Língua Portuguesa

O que é onomatopeia? conceitos e exemplos

A onomatopeia é uma figura de linguagem muito presente em poesias, músicas e livros de todos os tipos de gêneros. Sem ela, a literatura com certeza não seria a mesma e grande parte da intensidade passada através de textos deixaria de existir. Sendo ela a responsável pela descrição de sons de todos os tipos que queiram ser retratados através de palavras, foi na verdade uma das primeiras formas de comunicação entre seres humanos, quando se quer havia uma língua para ser falada.

Isso porque a única coisa necessária para criar uma onomatopeia é saber reproduzir um som, e tudo que um interlocutor precisa para entender esse som é já ter o escutado antes. Foi essa dinâmica que permitiu os indivíduos pré-históricos de manter relações e passar informações entre si.

Veja também – Significado de Rosa dos Ventos

Por conta dessa clareza que as onomatopeias oferecem, seu uso é bastante presente principalmente em textos infantis e em músicas, uma vez que proporcionam uma certa interação com o interlocutor. Dessa forma, a produção acaba ficando bem mais expressiva e a intenção que ela quer passar é intensificada.

Se você quiser saber mais sobre o que é a onomatopeia, como ela é usada, onde e quando aparece, como as usamos no dia a dia, continue lendo esse texto!

O que é uma onomatopeia

Dentre as estratégias que um locutor, a pessoa criadora do texto, pode adotar para causar uma determinada reação no leitor estão as figuras de linguagem. Elas vão ajudar uma mensagem a ter a expressão adequada para causar o efeito desejado em quem recebe-la. Temos contato com elas diariamente não só através da leitura mas também pelas conversações do cotidiano, pois nos ajudam a comunicar o que queremos da forma desejada.

Existem três subdivisões das figuras de linguagem, que são: figuras de pensamento, de construção e de palavras. E é dentro da última que está a onomatopeia, acompanhada da as outras figuras de palavras: catacrese, metáfora, comparação, metonímia, perífrase e da sinestesia.

Sendo assim, cada uma dessas figuras de palavras tem um papel na relação de sentido que o texto vai proporcionar para seu leitor. No caso da onomatopeia, sua função é de expressar ruídos através de expressões silábicas. Ou seja, é uma forma de descrever sons através de palavras, de forma que quem as ler, conseguirá lembrar desse barulho, e entender determinado efeito, contexto ou consequência dentro da leitura.

Com isso, pode-se conceituar onomatopeia como uma figura de linguagem que imita fonemas do mundo natural, sendo de objetos, animais, ações, eventos, ou qualquer coisa que provoque um ruído. Ela pode ser tanto escrita quanto reproduzida pela voz, contanto que haja um locutor para emiti-la.

Onomatopeia

Como ela é usada

Sendo uma ferramenta dos autores para melhor expressar suas ideias através de uma mensagem, as onomatopeias podem ser usadas livremente da forma que desejarmos. Tanto no dia a dia, através de mensagens, cartas, emails, conversas, telefonemas e etc. Claro que é necessário prestar atenção se a situação é adequada para esse tipo de linguagem. No entanto, existem situações onde a onomatopeia é tradicionalmente usada e amplamente explorada.

Entre elas, provavelmente a forma mais famosa seja em quadrinhos que, através de onomatopeias, juntamente às imagens, busca descrever exatamente tudo que se passa em determinada cena. Esse tipo de texto aparenta querer passar sensação semelhante às produções audiovisuais, usando onomatopeias para representar o som, elemento inexistente em livros. Além dos quadrinhos, temos outros exemplos como:

É importante ressaltar que as onomatopeias para sons parecidos são também diferentes de acordo com cada língua. Por exemplo, nos mangás, espécie de revistas em quadrinhos japonesas, temos a expressão que indica um grito de susto bem diferente da que nós conhecemos. Pois representa um fonema diferente e é escrita no hiragana ou katanaga, ambos alfabetos japoneses.  Da mesma forma nos cartoons, versão estadunidense do mesmo tipo de texto, temos a expressão para dor: ouch! Enquanto no português é ai!

Como criar uma onomatopeia

Por serem expressões usadas para representar qualquer tipo de som vindo do mundo, podem surgir novas onomatopeias todos os dias e nós estamos livres para criá-las sempre que necessário. A única coisa necessária que prestemos atenção é para a sua eficiência.

Quando estiver prestes a criar, tente ao máximo descrever quais fonemas compõem esse som que você está tentando transcrever. Quanto mais parecido com o ruído essa expressão ficar, mais fácil será para o leitor entender o que você quis dizer. É importante também deixar claro pelo contexto, dessa forma até uma onomatopeia muito estranha pode fazer o efeito esperado.

História da onomatopeia e sua importância

Dentre o universo da onomatopeia estão ruídos, gritos, sons do pássaro, do vento passando pelas árvores, dos animais, das ondas quebrando, os diferentes timbres da voz humana e etc. Ou seja, tudo aquilo que produz som. E essas coisas podem ser representadas se seu respectivo som for reproduzido e reconhecido.

Foi com esse princípio que a humanidade foi capaz de começar a se comunicar descrevendo coisas, antes mesmo que houvessem palavras para serem ditas. Uma prova disso é que para os índios tupis, o termo tatak significa bater, o que se refere ao som de coisas se batendo. Isso por que a interação entre as pessoas começou de forma intuitiva, e a maneira mais fácil de se referir a algo era reproduzindo-o através da forma ou do som desse objeto ou ação.

Sendo assim, as onomatopeias podem ser consideradas como as primeiras palavras da história da humanidade.

Onomatopeia

Onomatopeias no dia a dia

Apesar se sua presença ser mais reconhecida na literatura como em poesias, livros e em revistas de quadrinhos, as onomatopeias estão presentes constantemente em nosso cotidiano. Apesar de normalmente sermos capazes de comunicar tudo que precisamos através de outras formas de figuras de palavras, ela continua estando na ponta da nossa língua por conta da intensidade que passa.

Uma forma muito clara de perceber isso é quando olhamos para nossas mídias sociais. Está implantado em nossa comunicação o uso de onomatopeias como “kkkkk” ou “hahaha” para indicar que estamos rindo, “hmm” para mostrar uma desconfiança e “puts” para reagir a quando esquecemos de algo, por exemplo.

Além disso, podemos ver sua importância para a expressão de ideias quando a rede social Facebook dá a opção de reagirmos com “grrrr” a publicação de outras pessoas, apenas com o apertar de um botão para indicar que não gostamos daquela postagem.

E aí, aprendeu um pouco mais sobre as onomatopeias? compartilha com a gente nos comentários!

About the author

yasmin