Língua Portuguesa

Rosa dos Ventos: o que é, como surgiu, para que serve?

Você certamente já ouviu falar da rosa dos ventos. E sabe que ela é usada na navegação e na bússola. Mas você sabe a partir de quando ela foi usada e de onde ela surgiu? Sabe o quanto ela é importante e como utilizá-la?

Descubra agora todas as interessantes curiosidades sobre essa estrela que guia os navegantes há muitos séculos. E se encante com a rosa que acompanhou e ajudou no desenvolvimento das sociedades humanas.

O que é a rosa dos ventos?

É um desenho criado para a orientação humana. Largamente utilizada desde os primórdios da expansão do homem na Terra. E extremamente importante até hoje na geografia e na cartografia. Essa imagem associada a rosa ou a estrela aponta para os pontos cardiais, colaterais e subcolaterais. Esses pontos de orientação são muito precisos e por isso sua relevância. A rosa-dos-ventos hoje em dia pode ser utilizada junto com um GPS. Mas se torna imprescindível, em especial, em regiões onde outros recursos mais modernos não funcionam.

Porque esse nome e como surgiu a rosa dos ventos?

É surpreendente mas o objetivo inicial da rosa dos ventos não era indicar os pontos cardeais. E sim indicar o sentido dos ventos. Logo, quando foi criada as pontas da rosa dos ventos serviam para indicar os locais onde os ventos eram mais fortes.

Vários estudos levaram a criação da rosa dos ventos. Mas não existe um consenso de quem teria criado. Alguns têm atribuído a pesquisadores da astronomia e navegação, como Aristóteles.

O interessante é que descobriu-se que em alguns pontos haviam ventos mais predominantes. E entre estes pontos haviam outros com ventos um menos proeminentes. E entre eles, por sua vez, haviam outros menos fortes. Encontraram uma gradação de ventos que formaram os pontos principais, intermediários e menores. Foram esses os pontos que serviram de referência para a criação da rosa dos ventos.

Com o tempo descobriu-se a relação entre os pontos de ventos com os pontos cardeais. Os pontos cardinais são uma referência a posição da pessoa em relação ao sol. E só muito tempo depois que as pontas da rosa dos ventos deixou de indicar os ventos. Passando então a indicar os pontos cardinais de forma definitiva.

Algumas rosas dos ventos mostram apenas os pontos cardeais. Em especial, nos mapas geográficos. Outras os cardeais e colaterais. Em geral, nos mapas cartográficos e cartas de navegação. De certo que quanto mais a representação da rosa dos ventos é minuciosa mais precisa é a orientação.

Como usar uma rosa-dos-ventos?

O uso da rosa-dos-ventos está condicionada a pessoa saber a utilização da bússola, de um mapa e conhecer os pontos cardeais. A rosa dos ventos está desenhada dentro de uma bússola. A bússola, por sua vez, possui uma seta magnetizada que sempre irá indicar o norte.

É importante ter em mente que, independente de onde você esteja no globo terrestre, a seta sempre vai apontar para o norte magnético da Terra.

É preciso apenas manter a bússola numa superfície plana e aguardar a indicação do norte. Após isso, com o auxílio de um mapa, você saberá onde você está e para que lado deve ir. Conhecendo os pontos cardiais a orientação fica muito fácil.

E você chegará onde quer mesmo sem conhecer a área em que está. A utilização da bússola é fundamental em especial em locais mais isolados como florestas, desertos e também em alto mar. Também é imprescindível nas orientações espaciais, cartográficas, marítimas. Pois as mesmas são dependentes da utilização da rosa dos ventos.

Os pontos de orientação da rosa dos ventos

Norte (N) – Indica o sentido em que se encontra o Pólo Norte geográfico da Terra. Os antigos navegadores se orientavam pelas estrelas e procuravam a Estrela Polar. Ela serve como referência ou indicação do Norte. O norte também pode ser chamado de boreal e setentrional.

Leste (L) – Nosso planeta faz um movimento de rotação em torno de si mesmo mesmo chamado translação. Esse movimento de dá de oeste para leste. Mas temos a impressão de que o sol se movimenta de leste para oeste. Isso acontece porque vemos o nascer do sol a leste.

E após nascer o movimento aparente do sol é de atravessar o céu de leste para oeste. Por isso esse movimento de translação é nos indica o sentido do leste. Ele fica aproximadamente onde o sol nasce. O leste também pode ser chamado de oriente.

Oeste (O) – Usando o mesmo conhecimento sobre o movimento aparente do sol identificamos o oeste no lado em que o sol se põe. O referencial aproximado é o “pôr do sol”. O oeste também é conhecido como ocidente.

Sul (S) – Indica o sentido em que se encontra o Pólo Sul geográfico da Terra. Para encontrá-lo os primeiros navegadores procuravam o Cruzeiro do Sul no céu e o seguia. O Sul pode ser chamado também de austral e meridional

A distância entre os pontos cardeais é muito grande. Os primeiros navegadores precisavam de uma maior precisão. Por isso foram criados mais um conjunto de pontos que ficam entre os pontos cardeais. Por isso o nome é ponto colaterais. Após um tempo, esses mesmos navegadores sentiram a necessidade de uma maior precisão e foram criados os pontos subcolaterais. Vamos conhecer.

Pontos Colaterais

  • Sudoeste (SE/SW): Se encontra entre o oeste e o sul.
  • Noroeste (NO/NW): Fica entre o oeste e o norte.
  • Nordeste (NE): Está entre o leste e o norte.
  • Sudeste (SE): entre o leste e o sul, há o ponto colateral.

Pontos Subcolaterais

  • Leste-nordeste (ENE)
  • Leste-sudeste (ESE)
  • Sul-sudeste (SSE)
  • Norte-nordeste (NNE)

A rosa dos ventos é extremamente apreciada nas produções artísticas. E também dos amantes da tatuagem corporal. Isso se deve ao forte simbolismo que ela trás. A rosa dos ventos está associada ao sentido de orientação e direção na vida.

Também está relacionada a liberdade de poder escolher qualquer direção. A busca de sentido na vida e a vontade de ser livre para percorrer novos rumos está entre os muitos sentidos poéticos da apreciada rosa dos ventos.