Geral

Equinócio de primavera: o que é e como funciona?

Como você acha que foi determinado o início e o fim das estações, primavera, inverno, verão, outono etc? Um rei das antigas entediado especificou os dias de início e fim de cada estação e todo mundo dali em diante passou a concordar porque vossa majestade era um representante divino? Bem, isso poderia ocorrer, mas não foi dessa forma. Ao explicarmos o que é equinócio de primavera passará a entender a lógica que faz que seja um consenso os dias que marcam o começo e o encerramento das estações tanto no Hemisfério Sul, o nosso, brazuca, e do Hemisfério Norte.

Também aproveitaremos o tema para esmiuçar a origem do termo, o que significa equinócio, quais são as consequências desse fenômeno, que reação provoca no tempo, no clima, no organismo das pessoas.

Outro aspecto digno de mais detalhamento é a relação que os povos antigos tinham com o equinócio de primavera e a simbologia que os efeitos desse evento evocava – e evoca ainda – para alguns.

Sempre quis saber do que se trata equinócio de primavera, qual a sua relação com essa estação do ano? Tire essas dúvidas de uma vez por todas conferindo o texto abaixo.

Prossiga na leitura!

O equinócio

Trata-se de um fenômeno natural que marca o início da primavera e do outono, por isso ocorre duas vezes por ano e dependendo da época é chamado de equinócio de primavera ou de outono.

Mas por que marca o início e encerramento das estações citadas?

Porque as noites dos equinócios são os únicos dias do ano em que tanto dia como a noite têm a mesma duração, isto é, 12 horas, e após essa data ou o dia ou a noite passarão a ter um tempinho maior do que o antagonista, o que determina qual a estação se inicia.

No caso do Hemisfério Sul, o equinócio de primavera ocorre em setembro, é quando o sol passa a brilhar por mais tempo nessa faixa do planeta, enquanto no Hemisfério Norte são as noites que passam a ficar mais longas. O efeito inverso ocorre quando a primavera chega nesse lado do planeta.

Esse fenômeno da natureza que acaba se tornando um guia orientador sobre as chegadas das estações durante o ano. Era também uma referência para os antigos para marcar o início de festividades, de rituais de adoração as divindades que cultuavam, mas isso é assunto para mais tarde.

Importa agora saber o que explica esse fenômeno. Por que trevas e claridade ficam com a mesma duração apenas em dias específicos no ano e não nos demais, ou o que explica a variação de tempo de dia e de noite ao longo do ano?

Explicando o equinócio

O que explica tanto o equinócio de primavera como o de outono, e o fenômeno que marca a chegada do verão e do inverno, solstício, aliás, é o eixo de rotação da Terra, o giro que o planeta realiza ao redor de si mesmo, ao redor de seu próprio eixo, o que permite que diferentes áreas do planeta sejam iluminadas pelo sol, a Terra gira em torno de si mesma em 24 horas, e o movimento de translação, a Terra orbitando, fazendo uma elipse ao redor do sol.

Ocorre que o planeta tem uma inclinação de 23º27, em relação ao plano da órbita terrestre, o que faz que a iluminação solar não seja igual em todas as áreas da Terra ao longo do ano.

Mas na época que marca o equinócio de primavera os dois hemisférios, norte e sul, ficam postados, alinhados, igualmente perpendiculares em relação ao sol, recebendo, dessa forma, a mesma quantidade, intensidade de raios solares.

Ou seja, apenas em momentos específicos do ano a Terra fica na inclinação exata para que possa ser dividida exatamente ao meio pelos raios solares, o que explica a igualdade de tempo tanto de dia como de noite no equinócio de primavera. Passado esse período e os posicionamentos dos astros se alterando, essa igualdade é desfeita, com ora o dia sendo mais longo do que a noite, ora a noite mais longa do que o dia.

Veja também:

Curiosidades sobre os equinócios

Tanto o equinócio de primavera como de outono não são britânicos, não são pontuais. Há uma variação de tempo de ano para ano que compreende algumas horas de diferença. E isso ocorre porque a Terra costuma completar a sua translação em volta do sol em 365 dias e algumas horas.

O equinócio de outono, ou melhor, suas luzes, são capazes de promover alterações biológicas nos seres vivos, o amadurecer de legumes e frutas e queda de árvores.

A origem do termo

Equinócio de primavera, na verdade “equinócio” se origina de “equus” e “nox” ambos os termos do latim e significam “igual” e “noite”, respectivamente. Ou seja, “noite igual” ou “noites iguais aos dias”, em referência a equiparação da duração de tempo entre dia e noite na data específica.

Diferença entre equinócio e solstício

O equinócio de primavera marca no Hemisfério Sul e no Hemisfério Norte a data em que noite e dia se igualam em termos de duração. No entanto ocorrem em datas diferentes. No lado sul, a data do equinócio de primavera é 21 de março, já no lado norte, 23 de setembro.

Em ambos os casos, quando ocorre a chegada da primavera, o outono se instala no lado contrário.

A diferença para com o solstício, que segue a mesma lógica de rotação e translação da Terra para seu advento, é que em vez de promover a noite mais longa, ocasiona a noite mais curta e o dia mais longo. Ou seja, é o extremo oposto do equinócio.

Equinócio de primavera: simbologia e religião

Ao longo dos séculos diversas culturas celebraram e cultuaram o equinócio de primavera por entenderem que era o momento de reequilíbrio das forças, trevas e luz, em decorrência do fato de dia e noite se igualarem em tempo nessa data.

Monumentos e esculturas como a grande esfinge Egípcia e as obras celtas de Stonehenge e Newgrange foram erguidos, alinhados a projeção do sol na data do equinócio de primavera. Celebração de datas nos períodos de ocorrência de equinócios e solstícios ocorre até hoje, nas religiões mais populares, como herança de culturas passadas que promoviam seus rituais nesses dias, culturas como a do mitraísmo.

Gostou deste conteúdo sobre equinócio de primavera?

Então curta, compartilhe, avalie.

Sua opinião é muito importante para nós.

Leia mais de nosso conteúdo.