Geral

O que é semáforo? Quais os outros nomes? Para que serve? Quando surgiu?

O semáforo já está tão incorporado à vida nas grandes metrópoles que as pessoas mal reparam neles hoje em dia. Eles são itens indispensáveis na organização e controle na circulação de carros e pedestres, e cada vez mais de bicicletas também. Sem eles a cidade ficaria um verdadeiro caos.

Ele geralmente é formado por três círculos, cada um de uma cor. De cima para baixo, as cores são: vermelho, amarelo e verde. Cada uma destas cores possui um significado diferente, mas leis de trânsito.

Com a luz vermelha acesa, é indicativo de que o motorista deve parar imediatamente. O amarelo indica que é preciso ficar atento pois uma mudança ocorrerá em breve. E o verde significa que o motorista pode seguir, que o trânsito está livre.

Como foram escolhidas as cores do semáforo?

A escolha das cores não foi algo aleatório, mas sim baseada no princípio da Teoria das Cores.

A cor vermelha é reconhecida na natureza, por muitos animais e até mesmo pelos seres humanos, como um sinal de perigo. Por esta razão é que foi escolhida para ser a cor que indicasse que os automóveis deveriam parar a sua movimentação.

Já o verde é a cor oposta ao vermelho dentro do espectro de cores, isso fez com que ele fosse escolhido para representar o contrário do vermelho, indicando que o automóvel poderia seguir viagem normalmente.

E o amarelo foi escolhido por ser a cor que possui o maior comprimento de onda, vindo atrás apenas do vermelho e do laranja. Esse grande comprimento de onda faz com que ele seja uma cor de fácil visualização para os seres humanos. Como a ideia era que ele justamente chamasse a atenção para algo, então a cor foi escolhida para ficar entre o vermelho e o verde no semáforo.

Qual é a origem do semáforo?

Acredita-se que a existência dos semáforos é anterior à dos carros. Isso porque era preciso organizar o tráfego nas cidades, mesmo que a população fosse muito menor do que é atualmente, e das pessoas se deslocarem usando cavalos e vagões.

Em Londres, por volta do ano de 1868, haviam controladores de trânsito que decidiram implementar uma lanterna a gás com as cores vermelha e verde. Estas lanternas eram presas em dois braços que eram movimentados por policiais. Quando a luz estivesse na horizontal, estaria indicando a obrigação de parar, que o tráfego estava interrompido. Quando a luz fosse colocada em uma posição de 45 graus indicaria que o trânsito poderia seguir. Mas, durante a operação de uma dessas lanternas, houve uma explosão e um dos policiais que operada o dispositivo se feriu. O método se mostrou bastante inseguro.

No início do século XX, ainda com o sistema de transporte em transição e em expansão, andar pelas ruas das grandes cidades poderia ser uma loucura, já que cavalos, vagões bicicletas e pedestres ainda disputavam o mesmo espaço.

Pensando em como resolver este problema, a Alemanha construiu uma torre no meio de alguns cruzamentos da cidade de Berlim. Dentro de cada uma destas torres haviam policiais que operavam as luzes e faziam mudanças conforme fosse necessário. Este sistema de torres foi muito utilizado em Nova Iorque a partir de 1916.

O semáforo como conhecemos hoje nasceu mesmo nos Estado Unidos. William Potts, policial de trânsito. Inspirado pelos sinais ferroviários, ele concebeu um dispositivo que poderia controlar a rua em 4 sentidos (como um cruzamento). A sua criação tinha então três cores: vermelho, amarelo e verde. O primeiro dispositivo foi instalado em 1920 no cruzamento da Avenida Michigan e da Rua Woodward. Como ele foi um sucesso, em um ano 14 outros semáforos foram instalados na cidade.

Quais os outros nomes do semáforo?

O semáforo possui outros nomes que variam conforme a região do país. Em São Paulo, também é chamado de farol, já no Rio de Janeiro ele é sinônimo de sinal, e no Paraná chamado de sinaleira.

Como os daltônicos identificam as cores do semáforo?

As cores não foram escolhidas pensando-se nos daltônicos. A maioria das pessoas que possuem esta deficiência não conseguem distinguir as cores ver da vermelha. Mas, como o padrão adotado na grande maioria dos países é o mesmo (vermelho no topo e verde na parte de baixo), então isso permite com que as pessoas que sofrem deste tipo de deficiência possam identificar os sinais.

O semáforo de pedestres

Além dos automóveis, a presença do semáforo para pedestres também é essencial, principalmente nas grandes cidades. Ele ajuda a ordenar a movimentação das pessoas nas faixas de pedestres, evitando que acidentes ocorram.

Este sinal costume ter apenas duas cores, o vermelho e o verde. Além disso, ele também costuma ter a figura de uma pessoa, que está estática quando sinal está vermelho, e dá a impressão de movimento quando está verde.

Geralmente, os semáforos de pedestres são instalados próximos ao de veículos. Aí, quando está vermelho para os veículos, fica verde para os pedestres, que podem atravessar a rua com segurança. E quando está verde para os veículos, fica vermelho para os pedestres, que devem aguardar para fazer a travessia.

Semáforos pelo mundo

É bastante interessante olhar para a forma como os semáforos são exibidos ao redor do mundo.

Em Viena, capital da Áustria, os semáforos ganharam versões LGBT. Andando pelo centro da cidade é possível encontrar casais heterossexuais e homossexuais representados. Eles são um charme e dão um ar bastante autêntico para a cidade. Os semáforos para bicicletas também estão presentes pela cidade toda, e quando está vermelho é possível ver uma pessoa desmontada da bicicleta.

Já em Berlim, capital da Alemanha, os semáforos são pequenos homens de chapéu, que ficam de braços abertos e parados no sinal vermelho e aparecem andando quando verde. Além de espalhados pela cidade toda, ainda é possível comprar diversos souvenires com eles e trazer essa ótima lembrança para casa.

E você, já viu algum semáforo diferente durante as suas viagens? Compartilhe com a gente. E se você ainda tiver alguma dúvida, é só escrever abaixo que nós te ajudaremos.