Geral

O que é Anime? Qual a diferença de Mangá?

Anime

Quando falamos sobre anime e mangá, a maior dúvida que surge é exatamente qual a diferença entre os dois. As mais frequentes perguntas que são feitas é se os dois são a mesma coisa, e se não são, qual a diferença entre ambos?

O anime e mangá se tornaram imensamente populares no mundo todo. Esses meios de se contar histórias em japonês transmitem narrativas ricas, repletas de personagens dinâmicos e cenários vibrantes que são agradáveis tanto para o público infantil quanto para o adulto.

Ambas as formas são originárias do Japão e possuem estilos visuais muito semelhantes. Mas há uma diferença importante entre esses gêneros, e você descobre aqui.

O que é anime?

Anime é um estilo de animação que originou-se no Japão. É caracterizado pelo forte contraste, cores brilhantes e elementos temáticos da ficção científica e fantasia. Serve tanto para séries animadas de televisão quanto para filmes cinematográficos.

Atualmente, a mídia no estilo de anime é produzida em todo o mundo. Algumas pessoas no ocidente ainda categorizam apenas produções japonesas como anime, enquanto outras se referem a qualquer animação que use esse estilo visual característico como anime, independentemente de onde elas foram produzidas.

A palavra anime tem uma história bastante interessante. A pronúncia de animēshiyon em japonês é um empréstimo da palavra animação inglesa, que eventualmente teve sua abreviação para anime. Essencialmente, o japonês usou uma palavra do inglês e, em seguida, o inglês utilizou de volta.

Leia mais – O que significa metáfora?

Curiosidades sobre os animes

  • Alguns dos animes mais importantes da história são Dragon Ball, One Piece, Doraemon, Naruto e Pokémon;
  • Sailor Mooon é o anime mais popular entre as garotas adolescentes;
  • O anime A Viagem de Chihiro, de Hayao Miyazaki, foi o único a vencer o Oscar de melhor animação em 2003;
  • Katsudo Shanshin, um curta-metragem de 1907, é considerado a primeira animação da história do Japão;
  • O primeiro anime produzido para televisão foi o Hakujaden (A Lenda da Serpente Branca) que estreou em 22 de outubro de 1958;
  • O primeiro anime exibido no Brasil foi o Imokawa Mukozo, em 1917.

Anime

O que é mangá?

O mangá nada mais é do que um estilo de história em quadrinhos japoneses. Como o anime, é caracterizado por características faciais exageradas, contrastes e cores fortes.

A palavra surge após a junção de duas palavras da língua japonesa. Man, significa involuntário enquanto , significa desenho ou arte. Assim, mangá pode ser traduzido de maneira literal para desenho involuntário.

Os mangás possuem características bastante distintas dos quadrinhos existentes no restante do mundo. Uma dessas principais características é que ele sempre foi produzido em preto e branco e em papel de jornal. Isso por que a ideia é tornar o produto mais barato e acessível a todos os públicos.

Outro contraponto aos quadrinhos ocidentais é a representação gráfica aplicada pelos japoneses. Por conta do alfabeto japonês ser formado por ideogramas, que transmitem não só palavras mas também pensamentos, as onomatopeias dos mangás fazem parte da arte e também é um importante instrumento para a narrativa.

Outra característica única dos mangás, é que a leitura é feita de maneira diferente da habitual encontrada no ocidente. Enquanto por aqui as páginas são folheadas da direita para a esquerda, a leitura dos mangás são feitas ao contrário, da esquerda para a direita. Além disso, os diálogos também são invertidos, da direita para a esquerda.

No Japão as histórias têm apenas um capítulo publicado em uma espécie de almanaque, que reúne diversos títulos. Dentre elas, as que alcançarem maior sucesso, posteriormente ganham edições próprias, com mais de 200 páginas por exemplar, permitindo ao autor contar longas e profundas histórias.

Curiosidades sobre o mangá

  • O primeiro mangá foi produzido em 1814 por Katsushika Hokusai. Além disso foi o criador do termo mangá graças ao nome de sua obra, Hokusai Manga;
  • O mangá mais longo chama-se Kochikame. A obra que começou a ser produzida em 1976 teve seu fim apenas em 2016. Foram 200 volumes com mais de 156,5 milhões de cópias;
  • One Piece de Eiichiro Oda é a obra mais vendida de todos os tempos. Só em 2011 foram comercializadas 37 milhões de cópias. Para se ter uma ideia desse feito, o segundo colocado Naruto, vendeu apenas 6 milhões de cópias;
  • O mangá Shin Takarajima, de Osamu Tezuka foi a obra mais revolucionária da história. Isso por que foi lançado em 1947, em um Japão pós Segunda Guerra e influenciou toda uma geração com seus traços e estilo de narrativa.

Anime

Qual a diferença entre anime e mangá?

Uma maneira bastante fácil para distinguir um do outro é lembrar sempre que o anime é o produto animado, é a obra apresentada na TV ou cinema. Enquanto o mangá são os quadrinhos, publicados em jornais ou revistas.

Como a palavra anime é intimamente relacionada à palavra animação em inglês, no caso animation, você sempre será capaz de lembrar que anime significa desenhos ou filmes animados.

As duas mídias compartilham um estilo visual único, e muitos mangás servem de base para o anime. Ainda assim, a maioria dos mangás nunca são feitos em séries de anime, e nem todas as séries de anime são baseadas em mangás.

Leia mais – Significado de flor de lótus

Diferenças entre animação ocidental

Também é bastante nítida a diferença existente entre os desenhos ocidentais e os orientais. Os animes e os mangás são caracterizados por suas expressões faciais e uma variação nas características físicas.

Os desenhos orientais também focam mais na arte visual, não somente no enredo. O intuito de se contar uma história também é o “como” se conta.

Considerações finais

As duas obras estão ligadas intimamente. Uma praticamente dependeu da outra para ser criada. Até por que, antes dos animes mais famosos do mundo, eles foram os mangás mais famosos do mundo.

Um traço único, um estilo próprio e uma narrativa particular, são tantos pontos exclusivos que fazem do mangá e do anime estilos com laços tão estreitos com o Japão.

Ambos os meios de contar histórias usam imagens desenhadas à mão ou por computador que refletem sensibilidades visuais semelhantes.