Tecnologia

Blockchain permite a transação de criptomoedas

Se você se deparou com o termo Bitcoin e está pesquisando o assunto, com certeza já ouviu falar do Blockchain. Mas do jeito que as informações são passadas, geralmente não se preocupam em encher o leitor de termos novos e confusos. Abaixo você vai entender o que é Blockchain de maneira fácil e simples.

Entenda o que é Blockchain

É preciso entender o contexto em que foi criado. Ele surgiu como uma parte do código do bitcoin, a primeira moeda descentralizada e criptografada do mundo. Mas hoje ele vai além, e o seu conceito é aplicado em várias outras moedas e até mesmo outros programas e plataformas que se permitam.

Veja também – Home office: o que quer dizer?

Os dois estão intimamente ligados, sendo que o Blockchain era uma parte do Bitcoin, mas sua tecnologia se mostrou tão eficaz e inovadora que atraiu o interesse de empresas, bancos, governos, etc. Isso fez com que essa tecnologia fosse aplicada em outras moedas como Ethereum. Não necessariamente de maneira igual, inclusive a Ethereum aprimorou o conceito, assim como a Cardano.

Basicamente é um sistema de tecnologia, aplicado na programação, onde os registros e dados ficam distribuídos em diversos computadores ao redor do mundo. A intenção é criar um sistema compartilhado, como uma teia ou corrente, onde, para invadir, é preciso violar todos os computadores envolvidos. Isso é praticamente impossível para qualquer cracker atualmente.

No que o Blockchain pode auxiliar

Além de garantir a proteção e a segurança dos dados, ele favorece qualquer tipo de transação, acordos, tratados. Um exemplo disso são os contratos inteligentes, onde ambas as partes definem no sistema as condições, e após aplicadas recebem de acordo com o trato.

Não é só mais seguro, mas também mais rápido, pois não tem o sistema dos bancos, onde é preciso esperar até mesmo dias depois de pagar. Tudo pode ser feito em tempo real, em qualquer parte do mundo e sem taxas.

Outro fator é que as programações e os sistemas são disponíveis até certo ponto para a verificação dos usuários, o que permite uma participação dos usuários. Tudo é completo e acessível.

Sem contar que as transações ficam bem mais em conta, por exemplo, em 24 de novembro de 2019, uma baleia (termo utilizado para pessoas com alta quantidade de bitcoin) movimentou cerca de 1,5 milhão de reais em bitcoin, mas para isso pagou a pequena taxa de 1 real e 70 centavos.

Blockchain

O Blockchain e a descentralização

O Blockchain favorece a transação de moedas descentralizadas, isso é, sem conexão com governos ou instituições, sendo livre de impostos e de taxas. O usuário se torna responsável por si mesmo, portanto precisaria de alternativas seguras para lidar com seu dinheiro.

É justamente isso que ele oferece, uma autonomia nunca antes vista, onde o indivíduo pode lidar de inúmeras maneira com seu dinheiro sem depender de nenhum banco.

Como o mercado econômico lida com o Blockchain?

Muito bem, aliás. Talvez as moedas descentralizadas não sejam agradáveis para os governos, que não conseguirão cobrar impostos, mas para empresários e cidadãos comuns, as possibilidades ao lidar com moedas digitais é bem mais ampla.

Tanto é que existem empresas investindo bilhões em Blockchain, e a própria China pretende investir 2 Bilhões em 2023. Isso prova o quão promissora é essa tecnologia para nossas economias.

Vale citar que a Etherium funciona como uma Blockchain 2.0, além de ser uma moeda, o que facilita as transações de todo o tipo. Existem muitas empresas que apoiam a Etherium como o Itaú e a Microsoft. É importante saber disso, pois empresários e governos do mundo estão se movimentando para lidar com essas moedas.

E como os bancos lidam?

A tecnologia do Blockchain é interessantíssima para os bancos, que possuem servidores bem mais vulneráveis, geralmente em poucos computadores. Tanto é que existem casos em que bancos sofrem ataques de hackers com certa frequência (existem muitas notícias sobre isso).

Nesse quesito o Blockchain seria de grande ajuda, além de auxiliar o governo a lidar com o dinheiro também, mas o problema para os bancos é que o Blockchain favorece a descentralização, ou seja, o dinheiro com o qual os bancos trabalham cai em desuso.

Não dá pra dizer que os bancos necessariamente vão acabar, mas com certeza se não se adaptarem às moedas criptografadas e se restabelecerem no mercado, com certeza suas funções ficarão ultrapassadas. Se uma parcela muito alta da população resolvesse retirar todo o seu dinheiro do banco e transferi-los para alguma moeda digital, com certeza muitos bancos acabariam (uma porcentagem entre 25% e 30% seria o suficiente para mexer com toda a economia).

Ainda bem que o processo de interesse e utilização das moedas digitais estão sendo graduais, conforme as pessoas vão se conscientizando e se interessando pelo assunto, buscando mais autonomia de suas economias e não depender tanto de bancos.

Blockchain

Mineração e Blockchain

O Blockchain permite a mineração que é o fator base para as funcionalidades das moedas criptografadas e de uma série de outras plataformas (graças ao Ethereum). Basicamente você pode disponibilizar um computador para que as funcionalidades e o poder computacional dele seja utilizado por outros. Em troca disso você recebe alguma moeda criptografada de sua escolha.

Existem várias maneiras de se fazer isso, algumas podem até gerar prejuízos, mas existe quem consiga seus lucros dessa maneira e até fazem negócios. A tendência é que o número de mineradores aumente gradativamente.

Existem alguns tipos de mineração, mas o mais popular é quando disponibiliza seu computador (ou seus computadores) no Proof-of-Work, e ele, de certa maneira, compete com outros para conseguir as funções em seu espaço. Assim, aqueles que não querem comprar de outros usuários, podem conquistar seu dinheiro fornecendo poder computacional.

Considerações finais sobre a tecnologia

Sem sombras de dúvidas o Blockchain traz um novo caráter global para a economia, de maneira tão surpreendente que até bancos e grandes corporações e governos estão interessados. É apenas uma questão de tempo para ser aplicado no cotidiano de todas as pessoas. Por conta disso é importante estar preparado e saber o máximo possível do assunto, não necessariamente adquirindo as moedas criptografadas. Existe a possibilidade de governos aplicarem o Blockchain em moedas centralizadas (mesmo que essa não seja a sua função, em tese).

About the author

yasmin