Geral

Vintage: conceito, origem e significados atribuídos à palavra

Vintage é uma palavra de origem inglesa empregada para denominar algo pertencente ao passado e que, apesar de ser antigo, não pode ser qualificado propriamente como uma antiguidade. Ficou confuso? Não se preocupe: neste artigo, explicamos tudo para você. Boa leitura!

O que é vintage?

O termo vintage pode ser utilizado para fazer referência a todos os tipos de objetos (acessórios, roupas, desenhos, instrumentos, entre outros) que tenham, pelo menos, duas décadas de idade e, sem embargo, ainda estejam em boas condições.

Veja também – Significado de App Seet Selfie

Desse modo, o conceito de vintage não se relaciona apenas a coisas velhas, mas, sobretudo, à significação, história, estética, funcionalidade e originalidade dos itens que apresentam um valor que transcende o sentido meramente utilitário ou decorativo.

Vintage

Por essa razão, muitas pessoas adquirem objetos vintage sem o propósito de efetivamente usá-los, mas para tê-los como parte de suas coleções particulares de itens antigos e raros.

Cumpre ressaltar que, às vezes, os itens vintage podem ter preços muito altos, dependendo de sua história, criador ou estado de conservação. É curioso notar, inclusive, que palavra vintage foi originalmente cunhado para indicar o ano ou local da colheita das uvas de uma determinada safra de vinhos.

A partir desse sentido original, essa palavra tem sido generalizada para se referir não apenas aos vinhos, mas a qualquer tipo de produto ou objeto do passado que apresente alta qualidade.

Estilo vintage

Atualmente, o estilo vintage goza de enorme popularidade, estimulando muitos a decorarem suas casas com móveis antigos, usarem roupas e acessórios no estilo de outras épocas e, até mesmo, celebrarem casamentos com trajes e vestidos de tempos idos.

O estilo vintage determina as tendências da moda de um grande número de pessoas, influenciando suas roupas, penteados e maquiagens, estimulando as mais ousadas a darem um toque de criatividade e recriar o que era considerado antigo. Esse é caso de diversas celebridades que apreciam o estilo vintage e se consolidam como verdadeiros ícones da moda.

Entre as vantagens mais notáveis dessa tendência, encontra-se a oportunidade de reutilizar objetos bem preservados e de valor especial. Sendo assim, há muitas opções de decorações que seguem o estilo vintage e conferem uma estética inusitada e bastante agradável ao interior de uma residência.

O conceito de vintage na moda

A partir da popularização de lojas online especializadas na comercialização de artigos usados, ficou mais fácil adquirir roupas vintage, mas essa comodidade é, de fato, bastante recente.

Esse viés fashion dado às roupas antigas surgiu, apenas, em 1957, devido a um casaco produzido com pele de guaxinim. Em 1955, a crescente popularidade de uma série de TV (Davy Crockett), cuja história se ambientava na passagem do século XVIII para o XIX, criou, entre os homens, a tendência de utilizar um chapéu de pele como o do personagem principal da trama televisiva.

Para atender um boom na demanda (os pedidos diários de chapéus atingiram a marca de 5 mil!), os comerciantes passaram a aproveitar a matéria-prima casacos antigos que se encontravam parados em seus estoques.

Esses casacos de pele de guaxinim foram uma verdadeira febre entre os estudantes universitários da década de 1920, usados principalmente pelos homens mais ricos (sendo adotado, inclusive, por algumas mulheres).

Todavia, a crise financeira de 1929 (que arrastou para a depressão econômica toda a década de 1930) fez com que esses símbolos de frivolidade e ostentação perdessem a popularidade e, consequentemente, ficassem esquecidos nas lojas. A moda do chapéu de Crockett veio em boa hora!

O professor e arquiteto Stanley Salzman e Sue Salzman, sua esposa, ficaram famosos pelas esplêndidas festas que organizavam em sua residência. Essas celebrações eram frequentadas pelas principais celebridades da época.

Certa noite, Sue relatou aos seus convidados como encontrou um maravilhoso casaco de peles em uma determinada loja e o perdeu para um comprador mais insistente, ficando bastante irritada com o fato, uma vez que aquela peça era um item muito raro.

Uma de suas convidadas, ex-estudante de arquitetura contou que sabia de um lugar em que era possível encontrar inúmeras peças daquele tipo: um de seus parentes possuía uma loja infantil e tinha acabado de comprar diversos casacos para convertê-los nos chapéus da moda.

Dessa forma, os Salzman encontraram 13 casacos e, com eles, presentaram os convidados da festa. Sue posou para uma foto que seria publicada em um jornal de grande circulação na época. Na imagem, ela aparece sentada ao lado dos casacos. A legenda informava aos leitores que Sue era uma grande fã dos anos de 1920.

A coisa espalhou-se rapidamente e todos os que conheciam o casal Salzman também desejavam uma peça. Isso os motivou a abrir a própria loja.

Em 1957, a foto de um desses casacos foi publicada na revista Glamour, apontando os Salzman como fornecedores e confirmando a força da nova tendência. Pouco tempo depois, a loja de departamentos Lord & Taylor contatou o casal e solicitou uma enorme compra de “casacos Vintage”.

O conceito de vintage na cozinha

A despeito de estarmos acostumados a dividir a cultura em distintas categorias, a verdade é que os fenômenos culturais atravessam quaisquer barreiras imaginadas e permeia diferentes esferas: política, moda, culinária, decoração, arquitetura etc.

Para caracterizar uma cozinha como vintage, é necessário a articulação dos mais distintos itens. Não basta apenas pintar o cômodo nas cores típicas do período. Os utensílios e os moveis devem, também, seguir o estilo. Se tiver dificuldade com isso, basta lembrar como era a cozinha da casa de sua avó.

Certamente, virá a sua lembrança aqueles móveis de linhas mais geométricas e pés finos ou a geladeira que tinha uma espécie de alavanca na porta. Os eletrodomésticos devem estar na linha vintage: cafeteira, torradeira, liquidificador, batedeira, fogão etc. O mesmo deve se dar com as cores (mais opacas e em tons claros).

Conforme mencionado, as peças vintage são mais caras do que os modelos contemporâneos, pois, além de terem uma qualidade superior, apresentam um melhor acabamento.

Contudo, quem aprecia essas peças estilosas e lindas e é fã do gênero não reclama do preço. Se você quiser aproveitar o estilo vintage na sua cozinha, lembre-se de que as mulheres da época usavam avental e saia ao cozinhar – logo, esses elementos não podem faltar!

About the author

yasmin