Religião

O que é Bíblia? Qual sua definição e significado?

Bíblia

Aqui está o livro mais conhecido e lido da história: a Bíblia. Entretanto, milhares de pessoas ainda têm dúvidas sobre sua definição, origem e até mesmo certos significados. Então, é hora de conhecer mais um pouco sobre o livro dos livros!

Bíblia: a palavra de Deus

Mais que uma questão de fé e religiosidade, é sempre interessante e educativo termos informações sobre um livro tão histórico. Para isso, precisamos ter respostas a algumas perguntas, como:

  • O que significa o termo bíblia;
  • Quem a escreveu;
  • Quando foi escrita;

O que significa o termo bíblia?

Originada do grego bíblion, ela significa “conjunto de livros”. Dos seus 66 livros, 39 pertencem ao Antigo Testamento (ou Antiga Aliança) enquanto os demais 27, são do Novo Testamento (ou Nova Aliança).

Quem a escreveu?

Foram necessários cerca de 40 homens para escrever seus 66 livros. Entretanto, o importante é ressaltar que a bíblia tem apenas um único autor intelectual: o Espírito Santo de Deus.

Isso significa dizer que cada um de seus autores não chegou a escrevê-la de fato, mas que Deus os guiou no processo. De acordo com o segundo livro de Timóteo, nas passagens Paulo diz que a Escritura fora inspirada divinamente.

Assim, ela se tornou a palavra de Deus para os homens.

Quando foi escrita?

Enquanto o primeiro livro, o de Gêneses, é datado com origem em aproximadamente 1500 A.C. e o último, o Apocalipse, por volta de 90 D.C., ela levou um tempo de aproximadamente 1600 anos para ser escrita.

Lembramos ainda que o livro provavelmente mais antigo seja o de Jó, com data incerta.

Bíblia

Qual o seu idioma original?

Como a história nos revela, o Novo Testamento tem como idioma original o grego, ao passo em que o Antigo Testamento tem suas origens foi escrito originalmente em aramaico e hebraico, embora ela fora posteriormente traduzida também para o grego.

O termo “bíblia”

Com origem do grego, bíblia é uma palavra que atravessou milênios sem mudar a pronúncia. Com o significado de “livro”, “escritos” ou “rolo”, ela reúne um conjunto de livros, divididos nos entre os conhecidos Antigo e Novo Testamento.

Além de ser considerada a Sagrada Escritura, ela contém, além de toda a história do povo judeu, as doutrinas que regem o comportamento das raças e culturas compostas pelo cristianismo.

Aliás, a palavra Testamento significado “aliança”, “pacto” ou “contrato”, representando a ligação de Deus com os cristãos.

O conceito por trás do livro

De qualquer forma, seu conceito mais usual está mesmo relacionado às Sagradas Escrituras. Elas podem ser os livros canônicos para o judaísmo, ou o Antigo e Novo Testamento para os que seguem os preceitos católicos.

Os judeus e católicos acreditam que a Bíblia transmite a palavra de Deus. Mas é importante saber que esse conceito é usado desde antes do nascimento de Jesus Cristo.

Definição de bíblia

Como já sabemos, a Bíblia é o conjunto das Escrituras Sagradas divididas em dois livros: o Antigo e Novo Testamento. Também chamada de Bíblia Sagrada, para os cristãos ela é a interpretação dos desígnios divinos e todo o motivo da existência humana.

O fato de ser considerada uma inspiração divina, vem da origem de todos os seus textos serem escritos na inspiração proporcionada por Deus, seus profetas, milagres e revelações.

Historicamente, ela é considerada o livro mais vendido de todos os tempos, já sendo traduzida para mais de 2 mil idiomas com a meta de propagar seus evangelhos e divulgar a doutrina do cristianismo.

Os números de sua venda passam os mais de seis bilhões de cópias no mundo. Ainda vale lembrar que, no uso da palavra como um termo simplesmente genérico, a palavra bíblia pode iniciar com letra minúscula apenas para diferenciá-la da Bíblia Sagrada.

Antigo e Novo Testamento

Como sabemos, a estrutura básica de divisão da bíblia é Antigo e Novo Testamento. A bíblia apresenta, no Antigo Testamento, a história da criação do mundo, o início da existência humana, o surgimento de nações e povos e o exílio.

Aqui, ela apresenta uma realidade violenta sobre toda a existência humana. Desde a predominância do pecado, as constantes guerras, as adversidades enfrentadas pelos profetas e também por todo o povo hebreu, até mesmo as marchas que envolveram êxodo e exílio.

Como introdução do no Novo Testamento, a Bíblia apresenta a história da vida de Jesus Cristo, juntamente com a realização de seus milagres, sua crucificação, morte e ressurreição.

Mas também encontramos cartas que os apóstolos enviavam aos cristãos, mantendo os fiéis na luta pela fé e informando sobre a doutrina do cristianismo.

Bíblia

Por que ela é dividida?

Como já vimos, a Bíblia é apresentada em Antigo e Novo Testamento. O importante é saber que o termo “testamento” tem origem do latim e é extremamente significativo: “aliança”! Sim, essa aliança seria aquela que Deus mostrou a Moisés.

Entretanto, sua classificação pelos livros apresenta alguns aspectos. No caso dos livros proféticos, eles são colocados numa mesma divisão. São os livros históricos pertencentes ao Antigo Testamento e apresentam sequência cronológica.

Já no Novo Testamento, todos os livros chamados de Cartas de Paulo estão dispostos por ordem de tamanho, com as maiores aparecendo primeiro.

Dentro dessas divisões da Bíblia, para os cristãos o Antigo Testamento apresenta a seguinte ordem: Pentateuco, Livros Históricos, Livros Proféticos e os Livros Sapienciais.

No caso dos judeus, a divisão é outra: A lei (também conhecido por Torá ou Pentateuco, equivalente aos 5 primeiros livros), Os Profetas (divididos em anteriores e posteriores) mais os Escritos.

Já para o Novo Testamento, a Bíblia pode ser dividida em Evangelhos, Atos dos Apóstolos, Cartas e Apocalipse.

O fato é que a Bíblia, ou mesmo bíblia, apresenta o Antigo e o Novo Testamento de forma perfeitamente harmoniosa! Não existe uma simples palavra ou linha que contradiga o outro, embora não sejam nem digam as mesmas coisas.

Em suma, a Bíblia é uma sólida base que norteia a maioria das religiões cristãs. Mas, embora ela seja guia definitiva para os que acreditam em Cristo, ela também é grande inspiração para historiadores que veem em suas páginas, relatos de uma época com registros bem escassos.