Religião

Orixá: entenda sua origem e seus significados

Orixá

Um assunto muito comentado na área das religiões, saber como fazer a leitura de um orixá é motivo certo para causar ansiedade. Ainda mais para os leigos e novatos nessa religião, mesmo que a pessoa tenha simpatia por áreas do candomblé.

Afinal de contas, essas entidades são comumente confundidas com os populares signos da astrologia. Assim, é bom já falarmos que um orixá não tem relação com signos, pois sua relação é com os planetas.

Aliás, essa associação entre orixá e signo até costuma ocorrer pela semelhança com as influências de nossas vidas. Decerto, você pode ter muito a aprender com este artigo. Por isso, confira abaixo algumas informações e como é a influência dele na sua vida.

Definição é a origem do ser orixá

Primeiro, muitos acreditam que esse termo tem referências num ancestral da África que foi divinizado durante sua presença terrestre. Ou seja, diferente de demais termos hebraicos, ele pode ter adquirido controle sobre ações da natureza, como:

  • Chuvas;
  • Raios;
  • Ofícios diversos;
  • Minérios e riquezas;
  • Árvores.

Além dos mais, o termo ainda tem a abrangência de controle sobre inúmeras condições humanas, a exemplo de atos relacionados a:

  • Pesca;
  • Agricultura;
  • Guerra;
  • Metalurgia;
  • Saúde;
  • Maternidade.

Em geral, ainda podemos dizer que esses ancestrais africanos correspondem à pura força da natureza. Bem como seus arquétipos e suas manifestações, pois o orixá possui a semelhança de seres humanos, manifestando energia pelas emoções como:

  • Ciúmes;
  • Raiva;
  • Romantismo passional;
  • Amor em excesso.

Nessa linha, além de saber por que é importante, ainda podemos citar que cada orixá possui seu sistema de simbolismo próprio, em geral composto por:

  • Comidas;
  • Cores;
  • Rezas;
  • Cantigas;
  • Oferendas;
  • Ambientes.

Orixá

O resultado de todo esse sincretismo durou fortemente durante a escravatura, graças à presença imposta aos negros pelo catolicismo. Assim, cada orixá teve sua associação a um santo da igreja católica.

Com isso, mantiveram ele vivo sem perder o direito sagrado à realização de cultos. Assim, foram obrigados a dar uma disfarçada nas vestes de cada santo católico para emular um culto aparente.

Enfim, para você entender sobre a palavra, basta retornar ao início de vida de um ser na sua primeira concepção. Dessa forma, ao falarmos sobre essa primeira fase, a referência é a de um ser que não encarnou ainda no plano natural.

Pois, assim como Oxóssi, ele é gerado pela energia divina de por Deus, a sua estrela fatoral. Com isso, em nossa primeira chegada ao mundo, somos apenas fragmentos pequenos da vida, com o formato dessa chamada estrela advinda do orixá.

Entendendo as histórias sobre o orixá

Existem várias histórias sobre um orixá. Por certo, sabemos que sua origem vem do feminino e bem como do masculino. Assim, podem ser diferentes as formas ainda mais na música. Afinal, elas não podem ser tomadas como verdades intransponíveis e absolutas, apenas no modo social.

Por esse lado, teorias abordam diferenças naturais, por que mulheres e homens são seres distintos. Entretanto, é a cultura que prova as diversidades relativas aos modos opressores e negativos.

Enfim, para moldar pensamentos e criar novas possibilidades, o gênero não é impositivo, pois se torna apenas uma opção para vivenciar o mundo, satisfazendo a si mesmo. Aliás, essas alternativas são claras em movimentos que possam unir os fatores do bem comum visando o propósito comum.

A dança do orixá e seus significados

Fato comum a muitos elementos da religião do Candomblé, o ritmo da dança tem a função de agradar deuses e expor agradecimentos. No caso da dança do Orixá, a meta é a mesma.

Aqui, o ritmo dos atabaques junta-se a cantigas sempre entoadas, visando trazer orixás como o Orum. Assim, eles podem ser conhecidos como o atabaque maior (Run) e os atabaques menores (Le e Rumpi).

Vale ressaltar que as danças podem ser tocadas apenas pelos ‘Ogãns”. Já que eles considerados instrumentos essenciais e sagrados no mundo religioso de todo e qualquer dos santos.

Orixá

Dica para fortalecer seu orí

Em terras brasileiras, pela união com demais culturas e etnias, yorubás começaram a cultuar o orixá. Isso pela visão singular das forças naturais, relevando o conceito dos ancestrais como divindades.

Ou seja, todo culto a eles voltou-se ao natural, a exemplo de atos como vento, trovão, águas salgadas e doces. Assim, fora garantida a possibilidade de promover atividades como pesca, caça, trabalho com metais e ferro e até a agricultura.

Enfim, um orixá tem significado profundo, pois podem ser definidos como a junção das várias energias da terra e do espaço. Afinal, eles visam nosso amparo espiritual e físico. Vale finalizar o artigo definindo ainda a palavra orixá como uma mera modificação fonética de Orésé.

Quer dizer, a origem ou fonte de orí-cabeça, como a referência de que todo orí é o Senhor e Guardião de nossas cabeças. Assim, para fortalecer ainda mais seu orí, confira abaixo uma receita de primeira.

  • Cozinhe cerca de quinhentos gramas de canjica;
  • Deixe escorrer;
  • Então, espere esfriar;
  • A seguir, adicione açúcar cristal, numa tigela;
  • Depois, cubra com um algodão;
  • Aí, deixe por três dias numa casa, mas num ponto mais alto do que a sua cabeça;
  • Enfim, despache apenas a canjica aos pés de uma árvore.

Aspectos culturais e religiosos sobre o orixá

No Brasil, ao falarmos no orixá, vem à cabeça uma força geradora de vários fatores predominantes na vida de alguém, como natureza e pureza. Assim, cada orixá é o intermediário entre Deus e todos os demais seres humanos.

Contudo, quem são os orixás para os yorubás? Quais as suas origens, sua relação com o Homem e o Cosmo, seus cultos e surgimentos? Decerto, para perguntas assim, leve em consideração que certos aspectos religiosos e culturais dos yorubás precisam ser estudados.

Com isso, saiba que cada yorubá crê nas divindades advindas do espaço (Órun), bem como na existência presente de antepassados, ou Egúngún, e nos Ésá’s e Ésá’s-Órìsá’. Por outro lado, sobre as divindades do infinito, o yorubá diz que Deus (ou Olórun), é o único senhor que criou todo o Universo criando seres imateriais para povoar esse espaço.

Com isso, cada ser humano, assim como sua energia e constituição, pode possuir um ou mais protetores da vida, ou o chamado orixá, tendo como destino formas de culto diversas.