Medicina

O que é sífilis? Riscos de contágio, sintomas e tratamento

Sífilis

Classificada como uma IST ou Infecção Sexualmente Transmissível, a sífilis, ao contrário do que muitas pessoas pensam, pode ser curável e totalmente tratável. Essa infecção é exclusiva dos seres humanos e transmitida por uma bactéria chamada Treponema Pallidum. Saiba mais quais os melhores tratamentos e o que fazer, caso seja diagnosticado com ela.

Ao contrário do que podemos imaginar, mesmo com tantas informações disponíveis, a sífilis que até então vinha sendo controlada pelos órgãos responsáveis, já apresenta um aumento considerável de infectados pelo seu agente causador. O aumento em casos adquiridos foi de 27,9%, em gestantes de 14,7% e em bebês foi de 4,7%.

Composta por fases e estágios diferentes, se não for tratada de maneira adequada, pode levar o indivíduo a morte.

Ao contrário do que muitas pessoa pensam, é possível levar uma vida normal mesmo tendo essa doença. Basta receber as medicações necessárias, geralmente seu tratamento é bem simples.

O Ministério da Saúde admite que um dos motivos também para o aumento desse índice de pessoas infectadas é a falta da penicilina, medicamento utilizado para o tratamento dessa doença. Outro fator importante, que contribui também para sabermos quantas pessoas estão infectadas é a facilidade de se fazer o exame e assim detectar uma possível infecção.

Entenda o que é a sífilis

A sífilis é chamada de IST pelo Ministério da Saúde, ou seja, Infecção Sexualmente Transmissível. Essa infecção pode ser tratada com medicamentos e é causada por uma bactéria chamada de Treponema Pallidum.

Essa infecção apresenta diferentes estágios e algumas manifestações clínicas. Sua forma de transmissão acontece nas fases primária e secundária.

Quais são as formas de se transmitir essa infecção?

A maneira de contágio da sífilis é pelo ato sexual com alguém infectado sem a utilização da camisinha ou para o feto durante o nascimento no parto ou gestação.

Sífilis

Principais sintomas da sífilis em seus estágios

A sífilis possui estágios diferentes e todos eles apresentam sintomas e sinais de como a doença está reagindo no organismo.

Conheça a seguir seus principais sintomas, é importante que você fique atento, ao menor sinal de semelhança com qualquer desses sintomas, procure um médico imediatamente.

Sífilis primária

  • Surgimento de uma ferida bem no local onde a bactéria entrou, ou seja, no pênis, vagina, vulva, ânus, colo uterino, boca e pele. Geralmente essa ferida aparece após 90 dias do contágio. Essa ferida é riquíssima em bactérias, então, é importante a higienização das mãos;
  • Essa ferida costuma não apresentar nenhuma reação de dor ou ardência, não coça e não expele nenhum prurido, as pessoas podem apresentar pequenas ínguas nas virilhas.

Sífilis secundária

  • Nesta fase, os sintomas aparecem no organismo entre 6 semanas a 6 meses depois da cicatrização desta ferida inicial;
  • O corpo pode ficar com algumas manchas, que normalmente não coçam, os lugares mais afetados são os pés, bem nas plantas e as mãos, essas feridas também são cheias de bactéria, então a higiene também é fundamental;
  • Em algumas pessoas pode acontecer de surgir febre, dor na cabeça, gânglios inflamados pelo corpo e mal-estar em geral.

Sífilis latente ou a chamada fase sem sintomas aparentes

  • Nesta fase não existem sinais nem sintomas aparentes;
  • Esta fase é dividida em latente recente, quando o contágio é inferior a dois anos e tardia ou latente, quando a pessoa já está infectada há mais de dois anos;
  • Sua duração pode variar bastante, pois o surgimento dos sintomas da fase terciária podem surgir a qualquer momento.

Sífilis na fase terciária

  • Esta é a fase mais perigosa, pois o indivíduo só dá conta da infecção depois dos 40 anos;
  • Nesta fase surge sintomas e sinais de lesões neurológicas e cutâneas, cardiovasculares, a ocorrência de morte nessa fase é muito grande.

Como é feito o diagnóstico?

Atualmente, o diagnóstico da sífilis é feito de maneira muito fácil, com um simples teste rápido chamado de TR, disponível inclusive nos ambulatórios de saúde do Sistema Único de Saúde ou SUS, é possível diagnosticar de maneira precisa.

Esse exame não requer nenhuma leitura laboratorial estruturada, em apenas 30 minutos é possível saber o resultado.

Esse teste rápido ou TR é distribuído pelos departamentos responsáveis pela IST do Ministério da Saúde.

Quando o exame de TR dá positivo, ou seja, reagente, uma amostra do sangue da pessoa deve ser coletado para que um novo exame chamado de teste de laboratório chamado não treponêmico seja feito para que o diagnóstico seja confirmado.

Nas mulheres gestantes, caso o TR seja positivo, nem precisam esperar o resultado do outro exame, o tratamento para conter a infecção deve ser feito imediatamente.

Tratamento e prevenção

O tratamento para a sífilis ainda é feito com penicilina benzatina, que poderá ser aplicada facilmente nos postos de atendimento em saúde pública. Procure na sua região, com certeza tem algum perto de você.

A maneira mais correta de prevenção e ainda a mais infalível é a utilização da camisinha, seja ela masculina ou feminina.

A seguir vamos falar mais sobre ela, mas a sífilis congênita ainda é muito grave. As mulheres gestantes devem fazer o acompanhamento do pré natal para que essa infecção seja controlada.

Sífilis

Saiba mais a seguir sobre a sífilis congênita

O pré natal é importantíssimo para as mulheres grávidas, pois é através dele que é possível por exemplo, descobrir se a mulher possui sífilis. A transmissão para a criança acontece de maneira vertical.

Caso, o resultado seja positivo, a mulher e sua parceria sexual devem ser tratados de maneira a controlar a doença.

Existem 3 momentos em que a gestante deve realizar exames, são eles:

  • No momento do parto ou em casos em que ocorram abortos;
  • Primeiro e terceiro trimestre de gestação.

Principais sintomas

A criança manifesta a doença logo nos dois primeiros anos de vida. Existem algumas complicações da doença que podem acontecer como aborto espontâneo, surdez, cegueira, parto prematuro, deficiência mental, má-formação do feto, morte ao nascer.

Como é feito o tratamento?

O único medicamento que é capaz de prevenir que a transmissão seja feita para o bebê de maneira vertical é a penicilina benzatina. Por isso, a importância do pré natal, pois o tratamento deve ser iniciado imediatamente.

Os critérios de tratamento da gestante são:

  • Administração do medicamento penicilina benzatina;
  • O início do tratamento deve ser feito em 30 dias antes do parto;
  • Tratamento terapêutico deve ser feito de acordo com o estágio da infecção;
  • O intervalo entre as doses deve ser respeitado.

Comentar