Medicina

Entenda como funciona a cesariana, seus prós e contras

O primeiro parto que utilizou a técnica que veio a ser conhecida posteriormente como cesariana ocorreu somente em 1500. Não, não foi no Brasil. E se você pensa que esse nome tem alguma relação com o famoso imperador romano Júlio César, não está sozinho.

De fato, muitos pensam, pela clara semelhança dos nomes, e pela enorme influência dessa figura política e militar a sua época e na literatura de um modo geral, que o nome é inspirado em algum aspecto da biografia do líder romano. Contudo, essa é uma impressão equivocada. É o clássico “achou errado otário!”.

Veja também – Liberação miofascial

Não esquente, é natural que se faça tal associação. Mas vamos por partes, como diriam os seriais killers mais experientes. Antes de saber sobre a história envolvendo a cesariana sem dúvida é válido explicar o que significa esse procedimento e como funciona. Afinal, é o que o título desta postagem promete.

Portanto, nos próximos tópicos vamos explicar sobre o que é cesariana, como funciona o procedimento, o que inspirou o batizo dessa técnica além de outras curiosidades envolvendo o tema.

Saiba mais sobre cesariana a seguir prosseguindo na leitura.

Confira!

Definindo cesariana

Certamente deve ter noção de como funciona o parto normal, o nascimento de uma ou mais crianças seguindo o “curso natural da natureza”. Quando a criança estiver desenvolvida dentro do corpo da mãe e com condições, ou condições mínimas, de sobreviver no mundo externo, o próprio corpo mobiliza-se para “ejetá-la” espontaneamente.

O corpo nesse estado dá sinais e certamente qualquer mulher que passou por essa experiência irá confirmar: sinais bem dolorosos.

A cesariana é o parto que conta com intervenções externar para auxiliar, facilitar o processo, que pela via normal pode demorar horas e gerar complicações tanto para criança como para a mãe. Mas complicações podem surgir em ambos os procedimentos. É preciso avaliar sempre cada caso.

Ou seja, a cesariana é uma intervenção cirúrgica, que recebe esse nome assim como cesárea ou parto Cesário.

A cesariana costuma ter duração de 45 minutos a 1 hora. É aplicada na paciente uma anestesia espinhal na qual a mulher pode estar consciente ou inconsciente devido à anestesia geral.

A urina da bexiga é drenada com um cateter urinário e o abdômen é limpo com o uso de substâncias antissépticas. É feito na parturiente uma incisão de cerca de 15 cm no abdômen inferior.

Após esse procedimento, o útero que é aberto com uma nova incisão, de onde o bebê é retirado.

Cesariana

Prós e contras da cesariana

Por ser um procedimento que agiliza o processo e evita grandes desconfortos a mãe, a cesariana costuma receber preferência tanto de médicos, como pacientes. Além desses benefícios possibilita a escolha prévia da data de nascimento, evitando contratempos. Ainda reduz o risco de prolapso uterino ou de bexiga e também a incontinência urinária a longo prazo.

Mas o recorrer dessa prática de modo indiscriminado não é aconselhado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Alerta que o procedimento, apesar dessas vantagens, não deixa de oferecer riscos, muitas vezes mais do que o do parto normal, pois trata-se de uma cirurgia. Há chances maiores de infecções na paciente e outras complicações como:

  • Embolia pulmonar;
  • Trombose;
  • Hemorragia;
  • Problemas respiratórios para o bebê.

Entre outros.

Claro, a incidência de complicação não é alarmante, não pretendemos criar pânico, mas os riscos existem e não são insignificantes. O correto é uma junta médica avaliar qual o melhor tipo de parto de acordo com o progresso e características da gestação da paciente. Alguns casos, realmente demandam a cesariana, outros não.

O problema é: como o parto normal costuma gerar mais gastos, por ser mais demorado, a demanda ser grande e a estrutura de hospitais, geralmente, não serem suficientes para comportar esse tipo de parto, médicos e hospitais nem sequer cogitam a possibilidade do parto normal.

Como não é uma situação agradável para a futura mãe se submeter às dores, o estresse e a ansiedade de um parto de horas, e também por não ter, muitas vezes, condições financeiras de arcar com os custos da assistência médica durante todo o processo, também não fazem muita questão de cogitar a opção.

Cesariana

Tipos de cesariana

Há dois tipos de cesariana possíveis: a clássica e a do segmento inferior. Comecemos pela clássica.

Na cesariana clássica, aplica-se uma incisão verticalmente na parte anterior da parede do útero. O corte ascende até o segmento superior do útero. Esse corte costuma gerar mais sangramento.

A cesariana de segmento inferior é realizada com uma incisão no segmento inferior na porção diluída do corpo uterino. Dessa forma, retira-se a reflexão vesical do útero. Esse tipo de cesariana é indicada apenas para partos de condições específicas, como fetos muito grandes.

A história do nome

Muitos acreditam que cesariana vem de César, porque teria vindo ao mundo sob esse procedimento de parto. Contudo, uma lei romana da época determinava que esse tipo de operação só poderia ser realizada se a mãe viesse a óbito, pois não haveria outra forma que não a intervenção cirúrgica para retirara a criança do corpo. Ocorre que a mãe do imperador, Aurélia, não só sobreviveu ao parto como teve outros cinco filhos.

Cesariana ou cesárea não vem de César, mas da palavra latina “caedere” que significa “corte”, simplificação óbvia do procedimento que consiste fazer um corte no abdômen da gestante para auxiliar a retirada do bebê.

Como vimos era o procedimento rotineiro para retirar crianças de corpo de mães que vieram a óbito, mas como sabemos a cesariana também ocorre com a gestante estando viva e muitas vezes consciente.

O relato do primeiro caso de cesariana com a mãe ainda estando viva remonta a 1500 na pequena Sigershaufen, cidade suíça. Um homem chamado Jacob Nufer, habituado a fazer castração de porcas, ao ver a mulher sofrendo com as complicações do parto resolveu fazer o procedimento auxiliado por duas parteiras.

Apesar de seus parcos conhecimentos de medicina, conseguiu retirar a criança, fechar o corte feito na esposa e tanto mulher como filho tiveram vidas normais em termos de saúde. A mulher ainda teve mais 5 bebês.

Gostou deste conteúdo sobre cesariana? Então curta, compartilhe,avalie. Seu apoio e sua opinião são muito importantes para nós. Seu apoio faz sim a diferença. Leia mais postagens relacionadas conferindo o nosso conteúdo.

About the author

yasmin