Língua Portuguesa

O que é apócrifo? Quais os significados?

A palavra apócrifo deriva do latim e do grego. Aqui apresentaremos seus significados e seus usos. A palavra é muito usada para referir-se a livros. Entretanto, pode ser utilizada em outros contextos. Apresentaremos esses contextos aqui também. Assim, não lhe restarão mais dúvidas de como usar a palavra e quais os seus sentidos.

Significados da palavra apócrifo

Este termo significa a falta de autenticidade de uma obra. Pode ser considerado também o que é falso ou aquilo que não foi possível comprovar a autenticidade. Ou seja, não é possível dizer ao certo qual é a sua origem. Isso não significa que é algo ruim, mas apenas que não é possível constatar a autoria.

Veja também – Significado de abrupto

Vejamos alguns exemplos de frases que utilizam o termo:

  • Não foi possível aos pesquisadores descobrirem quem fez aquelas obras na Grécia. São livros apócrifos;
  • Os livros apócrifos encontram-se em uma outra ala da biblioteca. Como não sabemos quem os escreveu, não conseguimos os organizar de acordo com a autoria;
  • Alguns livros apócrifos foram descobertos. Não é possível determinar quem escreveu, somente que eles são muito antigos.

Nesses três exemplos, a palavra possui o mesmo significado, ou seja, a impossibilidade em determinar quem fez ou escreveu um determinado livro ou texto.

Como dito anteriormente, a palavra existe em latim e em grego. Entretanto, em ambos idiomas tem o mesmo significado: o que não pode ser atestado, o que pode ser considerado falso.

A gramática da palavra

Apócrifo é um adjetivo masculino. Seu plural é apócrifos. Também possui a variação para o feminino que é apócrifa e, o plural, apócrifas.

Podemos destacar como seus sinônimos:

  • Inautêntico;
  • Falso;
  • Forjado.

E seus antônimos:

  • Autoral;
  • Autêntico;
  • Puro.

apócrifo

O que são os livros apócrifos?

Existem muitas obras das quais não é possível remontar quem as escreveu.

Esse termo é muito aplicado na religião cristã. Entretanto, varia de acordo com cada vertente. Os livros apócrifos também podem ser chamados de livros pseudocanônicos, ou seja, falso canônicos.

No catolicismo há um especificidade de sua significação. Esses livros apócrifos seriam os livros que não foram inspirados por Deus, mas, sim, teriam somente uma inspiração em outras obras.

Esses livros não fazem parte da Bíblia, por exemplo, pois apesar de não ser possível determinar quais foram os homens que a escreveram, sabe-se que eles tinham uma inspiração do Espírito Santo.

Para saber mais sobre a Bíblia, clique aqui.

Esses livros não necessitam ser estudados por uma pessoa comum, apenas por um teólogo. Isso se deve por conta dessa sua característica de não ter a inspiração divina.

Já para os protestantes, os livros apócrifos seriam os deuterocanônicos dos católicos. No catolicismo, os deuterocanônicos são os sete livros que estariam no Antigo Testamento. Seriam esses: Tobias, Judite, I e II Macabeus, Sabedoria de Salomão, Eclesiásticos e Baruque.

Os judeus também não acreditam que esses livros tenham inspiração em Deus.

Historicamente, isso se deu porque esses livros só foram incorporados pela Igreja católica no século XVI. Antes, ela também os considerava livros apócrifos.

Entretanto, a Igreja católica possui uma extensa lista de livros apócrifos, chegando a mais de uma centena. Sua extensão é maior do que a da própria Bíblia.

Esses livros não são considerados como cópias e, por isso, sem importância. Mas, eles possuem sua relevância.

Eles fazem parte de uma contextualização da própria Bíblia. Sendo assim, são importantes para sua compreensão. Podem também estar escritos de maneira mais simplória, o que facilita a sua leitura.

Muitos dos livros apócrifos são bem aceitos e também lidos com frequência. É o caso do Evangelho de Maria Madalena, por exemplo.

apócrifo

Como um texto deixa de ser apócrifo?

Para que isso aconteça, é necessário que sua autoria seja comprovada. Ou seja, se ele tiver sido escrito por um apóstolo de Jesus Cristo, não se enquadrará mais nesta categoria.

Um comitê analisa a obra e suas evidências para que ele mude de categoria. Enquanto isso não for feito, ele não poderá ser promovido.

Por vezes, são localizados documentos que estavam em escavações arqueológicas que podem servir para construir essas evidências que comprovam a autoria e a inspiração divina de um livro apócrifo.

Portanto, só assim poderão entrar no cânon, ou seja, ser considerados como sagrados.

O termo nas normas jurídicas

Apócrifo é uma palavra comum também no setor do Direito. Em julgamentos, podem aparecer documentos apócrifos para defesa ou acusação.

Um documento apócrifo é aquele que não se sabe de onde vem. Ele pode ser usado em um procedimento jurídico, entretanto, não há qualquer assinatura nem está autenticado.

Por conta disso, não é possível atestar a sua veracidade, muito menos se ele tem a autoria que afirmam que ele teria.

Uma petição apócrifa, por exemplo, será sem assinatura, sem data. E, na maior parte dos casos, não será considerada no processo.

Por isso, é fundamental que todos os documentos sejam sempre assinados, com firma reconhecida ou até mesmo autenticados. Isso garantirá que ele não seja apócrifo, impedindo qualquer ação judicial que uma pessoa necessite tomar.

Podemos tomar como exemplo um testamento não reconhecido, escrito em uma folha de papel e à caneta. Quando a pessoa morre, não há nada que comprove que realmente foi o falecido quem escreveu aquilo.

Por isso, existe uma série de normas legais que devem ser seguidas para que um testamento seja considerado legal.

Outro exemplo pode ser um processo em que não se sabe quem foi o proponente.

Considerações finais

Como vemos, a palavra possui vários sentidos e usos. Destacam-se principalmente na questão religiosa e jurídica. Recorde-se que não se trata só de algo que pode ser falso, mas o sentido da palavra remete ao que não pode ser verificado, não pode ser autenticado.

Isso pode ter várias implicações, desde a desconsideração de um livro até o impedimento de se seguir com um processo jurídico.

A palavra apócrifo não diz respeito a somente coisas ruins, sendo somente uma categoria.

É preciso ter clareza como o termo é utilizado. Assim, utilize com cautela a palavra apócrifo. Aplique-a no seu cotidiano e, assim, engrandeça o seu vocabulário.

About the author

yasmin