Ciência

Exoplaneta ou planeta extrasolar: entenda seu conceito

Exoplaneta ou planeta extrasolar

Exoplaneta – ou, como também é conhecido, planeta extrasolar – é o como se chama os planetas que estejam na órbita de outra estrela diferente do Sol. Compreende-se como sendo um planeta pertencente a um sistema que não seja o Solar.

Os exoplanetas são subprodutos, ou seja, são os restos oriundos da formação das nuvens de poeira e gás que dão origem aos conjuntos estelares. Eles são objetos bastante abundantes dentro do universo, tendo como quantitativo equiparável ao das estrelas nas galáxias.

Parametrizando com a diversidade do sistema planetário em que vivemos, não é surpresa que os planetas extrasolares apresentem tamanhos e composições químicas variadas. Eles vão de pequenas massas rochosas a gigantescos compostos onde se predomina o gás.

A descoberta do exoplaneta

Apesar da abundância de sua presença, o exoplaneta é um corpo celeste difícil de detectar. É encontrado majoritariamente através dos indícios mais indiretos. Isso acontece porque o brilho dos exoplanetas é sempre bem menor que o brilho das estrelas que eles orbitam. Isso torna direta a sua observação, pelo menos ante a tecnologia que possuímos no momento.

Da mistura de instrumentos astrofísicos utilizados na busca por planetas extrasolares, empregam-se – de forma sistemática – as técnicas de:

  • Microlente gravitacional;
  • Imagem direta;
  • Astrometria;
  • Velocidade radial;
  • Trânsito.

Estas três primeiras, somadas, atendem por pouco menos que 4% do montante total das descobertas de exoplanetas. Isso evidencia que existe uma hegemonia nas técnicas de velocidade radial e trânsito dentro dos campos de pesquisas.

Nas técnicas de trânsito, responsáveis por quase 80% das descobertas, os exoplanetas são detectados quando se interpõem, dentro do movimento da órbita, entre o observador e as estrelas que eles orbitam.

A presença do planeta extrasolar é observada quando é possível fazer a verificação da diminuição periódica do brilho estelar. Este pode estar associado à uma interceptação de forma parcial de luz por corpos celestes em órbita.

As técnicas de velocidade radial atendem por quase 20% das descobertas. Elas detectam um exoplaneta com base no seu efeito gravitacional sobre a estrela em que faz sua órbita.

A presença dos exoplanetas faz com que as estrelas, vistas da Terra, apresentem pequenos movimentos oscilatórios. A velocidade desses movimentos que vão em direção ao observador alteram periodicamente as cores das luzes estelares captadas. Essa alteração, correspondente a uma variante da frequência das luzes emitidas pelas estrelas, é bem explicada por meio do efeito Doppler.

Exoplaneta ou planeta extrasolar

Outras ferramentas para a descoberta dos planetas extrasolares

Desde que foi confirmada a primeira localização de um planeta extrasolar, no ano de 1995, diversas ferramentas sobressaíram-se pela contribuição nas buscas.

Ferramentas como o satélite CoRoT e os telescópios espaciais Spitzer e Hubble foram capazes de detectar várias centenas de intrigantes exoplanetas na 1ª década do século XXI.

No entanto, o mais eficaz de todos eles nessa árdua tarefa foi o telescópio do espaço Kepler. Ele teve seu lançamento feito pela NASA no ano de 2009 e acabou sendo o responsável por cerca de 72% de todos os planetas extrasolares confirmados.

E por conta desse grande esforço da comunidade científica, já podemos contar aproximadamente 3.705 exemplares de exoplanetas. Estes foram validados devido a várias observações e foram distribuídos entre 2.760 sistemas planetários. Existem mais 4.496 outras detecções que estão aguardando para obterem a confirmação, que tem como probabilidade um percentual que chega a 90%.

Daqui a poucos anos, provavelmente os exoplanetas ultrapassarão centenas de milhares já detectados. Além de comprovar a teoria das formações estelares, o quantitativo excessivo de planetas extrasolares abre abundantes perspectivas de pesquisas.

Áreas como geologia, química e biologia possivelmente encontrarão, nesses novos mundos, em aspectos tão diversificados da Terra, campos férteis para que se desenvolvam outras teorias. Tudo leva a crer que os estudos sobre os exoplanetas se consolidarão como frentes deveras promissoras da nossa ciência moderna.

Como um exoplaneta é nomeado?

Em dezembro do ano de 2015, foram nomeados 31 exoplanetas e 14 estrelas. Os nomes foram selecionados por voto popular e depois por uma eleição com validade determinada pela IAU (União Astronômica Internacional).

Foram cerca de 182 países contando um total de aproximadamente 500.000 votos para escolherem os nomes. E como isso se deu?

O nome de determinada estrela é dado com base na constelação ao qual ela se encontra. Já o nome de uma constelação se precede pela ordem de luminosidade da dita estrela. Ela tem a representação feita por letras latinas, gregas ou números, dependendo do posicionamento da estrela.

Um planeta recebe o nome com base na estrela em que orbita. É seguido por letras latinas, um b para planeta descoberto primeiro, um c para o planeta seguinte, etc.

Na listagem abaixo, temos os nomes das estrelas e os nomes dos planetas para cada um dos sistemas planetários.

Exoplaneta ou planeta extrasolar

Alguns nomes dados aos exoplanetas descobertos pela sonda Kepler

HAT-P-11b (Kepler-3b) TrES-2b (Kepler-1b) HAT-P-7b (Kepler-2b) Kepler-200c Kepler-200b
Kepler-199c Kepler-199b Kepler-198d Kepler-198c Kepler-198b
Kepler-197e Kepler-197d Kepler-197c Kepler-197b Kepler-196c
Kepler-196b Kepler-195c Kepler-195b Kepler-194d Kepler-194c
Kepler-194b Kepler-193c Kepler-193b Kepler-192d Kepler-192c
Kepler-192b Kepler-191d Kepler-191c Kepler-191b Kepler-190c
Kepler-190b Kepler-189c Kepler-189b Kepler-188c Kepler-188b
Kepler-187c Kepler-187b Kepler-186f Kepler-186e Kepler-186d
Kepler-186c Kepler-186b Kepler-185c Kepler-185b Kepler-184d
Kepler-184c Kepler-184b Kepler-183c Kepler-183b Kepler-182c
Kepler-182b Kepler-181c Kepler-181b Kepler-180c Kepler-180b
Kepler-179c Kepler-179b Kepler-178d Kepler-178c Kepler-178b
Kepler-177c Kepler-177b Kepler-177b Kepler-176e Kepler-176d
Kepler-176c Kepler-176b Kepler-175c Kepler-175b Kepler-174d
Kepler-174c Kepler-174b Kepler-173c Kepler-173b Kepler-172e
Kepler-172d Kepler-172c Kepler-172b Kepler-171d Kepler-171c
Kepler-171b Kepler-170c Kepler-170b Kepler-169f Kepler-169e
Kepler-169d Kepler-169c Kepler-169b Kepler-168c Kepler-168b
Kepler-167e Kepler-167d Kepler-167c Kepler-167b Kepler-166d
Kepler-166c Kepler-166b Kepler-165c Kepler-165b Kepler-164d
Kepler-164c Kepler-164b Kepler-163c Kepler-163b Kepler-162c
Kepler-162b Kepler-161c Kepler-161b Kepler-160c Kepler-160b
Kepler-159c Kepler-159b Kepler-158c Kepler-158b Kepler-157d
Kepler-157c Kepler-157b Kepler-156c Kepler-156b Kepler-155c
Kepler-155b Kepler-154f Kepler-154e Kepler-154d Kepler-154c
Kepler-154b Kepler-153c Kepler-153b Kepler-152c Kepler-152b
Kepler-151c Kepler-151b Kepler-150f Kepler-150e Kepler-150d
Kepler-150c Kepler-150b Kepler-149d Kepler-149c Kepler-149b
Kepler-148d Kepler-148c Kepler-148b Kepler-147c Kepler-147b
Kepler-146c Kepler-146b Kepler-145c Kepler-145b Kepler-144c
Kepler-144b Kepler-143c Kepler-143b Kepler-142d Kepler-142c
Kepler-142b Kepler-141c Kepler-141b Kepler-140c Kepler-140b
Kepler-139c Kepler-139b Kepler-138c Kepler-138b Kepler-137c
Kepler-137b Kepler-136c Kepler-136b Kepler-135c Kepler-135b
Kepler-134c Kepler-134b Kepler-133c Kepler-133b Kepler-132e
Kepler-132d Kepler-132c Kepler-132b Kepler-131c Kepler-131b
Kepler-130d Kepler-130c Kepler-130b Kepler-130b Kepler-129b