Medicina

O que é herpes? Contágio, sintomas, tratamento

Medicina

Humanos podem contrair um vírus chamado herpes, que provoca sintomas nem um pouco agradáveis. As lesões na pele são as mais comuns e ao contrário do que muitas pessoas pensam, ele tem tratamento. Vamos conhecer como é o contágio desse vírus e como se tratar, caso receba o diagnóstico.

Existem diversos tipos de herpes, uma das recomendações de especialistas é que as pessoas conheçam que tipos são esses, para aí, buscar o auxílio médico adequado.

Apesar de serem bem semelhantes, os vírus dessa família podem ser classificados em oito tipos diferentes. Usar o mesmo medicamento em todos os casos pode não trazer resultados satisfatórios.

Os tipo 1, 2 e 3 devem ser observados com muita atenção, pois provocam os mesmos sintomas, com lesões bem semelhantes e inclusive, podendo inclusive, desaparecer e reaparecer depois de alguns meses.

Ninguém gosta de ficar doente, não é mesmo? Então, quando você percebe que o seu corpo está diferente, o mais indicado é procurar um médico. Ainda mais como um vírus como a herpes, que provoca lesões na pele.

Outra informação que é importantíssimo ficar atento é em relação a automedicação. Sabe aquele remedinho que a sua avó falou para você tomar, que era infalível contra a herpes? Esquece!

Se automedicar, sem nem saber para que serve e o que de fato você está tomando pode ser muito prejudicial para a sua saúde, deixando o vírus superpotente em alguns casos.

Entenda o que é a herpes

A herpes é uma doença provocada por um vírus que tem como principal sintoma, as lesões da pele.

Por enquanto, sabe-se que esse vírus pode ter uma variação muito grande, com sintomas semelhantes ou diferentes.

Essa doença tem tratamento e medicamento disponíveis a preços bem acessíveis. Muitas pessoas se assustam com os sintomas e acabam tendo medo dos tipos de tratamentos.

Tipos de contágio e herpes

O vírus da herpes tipos 1, 2 e 3 provocam alguns sintomas bem semelhantes com lesões localizadas na pele. Esses sintomas inclusive podem aparecer em períodos bastante variáveis, inclusive períodos com ausência de sintomas.

A seguir você vai conhecer de maneira bem simples e detalhada, os tipos de vírus da herpes e quais as suas formas de contágio.

Medicina

Herpes do tipo 1

Esse tipo de herpes provoca a herpes labial, onde ocorrem diversas lesões na boca. Essas lesões possuem uma aparência com vermelhidão em excesso, bolhas e muita dor. Dentro delas existem um líquido de cor clara, geralmente essas bolhas se localizam no lábio inferior ou dentro da boca mesmo.

É na infância que o indivíduo tem contato com esse vírus pela primeira vez. A transmissão é feita por saliva ou secreções orais. Esse vírus se aloja em algum neurônio e pode inclusive ficar ali pelo resto da vida, sem causar sequer algum sintoma. Esse estado em que não se manifesta nenhum tipo de sintoma é chamado de latência.

Tipos de transmissão

Transmitido através do beijo

Esse tipo de transmissão se dá realmente através do beijo. Isso acontece por causa da troca que existe de salivas, ou seja, o vírus pode estar justamente na saliva que foi passada para a outra boca. É preciso ressaltar que a boca não precisa conter obrigatoriamente uma ferida para que a pessoa seja contaminada, o vírus pode ser transmitido mesmo sem estar ativo, ou seja, no estado latente.

Transmitido através do sexo oral

Através do sexo oral sem proteção da camisinha, a contaminação pode acontecer, tanto da forma genital-oral, como oral-genital. Essa herpes é chamada de genital.

Transmitido através do uso de utensílios contaminados

Essa é uma das formas mais simples de se contrair esse tipo de vírus. Ele se aloja nas superfícies cutâneas da pele como lábios, boca e cavidade oral, podendo se manifestar anos mais tarde.

Portanto, cuidado ao compartilhar esses tipos de utensílios. Ter o seu próprio copo, talher, entre outras coisas é importante.

Segundo a OMS ou Organização Mundial da Saúde, quem foi infectado por um vírus da herpes labial, não contrairá outro tipo de vírus da herpes.

Herpes do tipo 2

Neste tipo, ocorre a contaminação da área genital. Ocorre uma vermelhidão muito intensa na região do ânus, vulva e pênis, além de poder surgir em outras regiões como virilha e nádegas. O indivíduo sente muita dor ao urinar e muito desconforto nas relações sexuais, impedindo-as de acontecerem.

Este quadro é acompanhado do surgimento de pequenas bolhas com líquido transparente dentro. Normalmente, o primeiro contato que o indivíduo tem com esse tipo é na adolescência, ou logo no início da fase adulta.

Algumas pessoas relatam que existem fatores que contribuem para o surgimento desse vírus de maneira recorrente. O que acontece nesses casos, é a reativação de um vírus que estava latente.

Segundo os médicos, esse quadro é considerado totalmente benigno, não havendo necessidade de tratamentos específicos, podendo ser resolvido de 5 a 7 dias. As medicações utilizadas no tratamento do tipo 1 pode servir para o tipo 2. Pessoas que apresentam os sintomas recorrentes, a utilização da medicação deve ser feita de maneira diária e continuamente, prevenindo assim a volta da doença e suas formas de transmissão.

Medicina

Tipos de transmissão

Transmitido através da relação sexual

Essa transmissão acontece por causa da relação sexual feita sem a utilização de preservativos. O contato com a genital contaminada promove a transmissão do vírus, que pode estar contido na saliva, secreções vaginais e sêmen.

Neste tipo, não ocorre a transmissão através do compartilhamento de utensílios, pois o vírus não sobrevive fora do corpo humano.

Transmitido da mãe para o bebê

A mãe pode ser uma potencial transmissora desse vírus para o seu bebê. A transmissão pode acontecer no momento do parto, por causa das secreções que se misturam ou até mesmo de maneira intrauterina.

O acompanhamento do pré-natal é importantíssimo para que a criança venha ao mundo de maneira saudável. Por isso, se você estiver grávida não deixe de consultar o seu médico.

Herpes do tipo 3

Esse tipo é muito conhecido e está voltando a atacar novamente, é a famosa catapora ou varicela. Sua forma inicial de infecção ocorre na infância através do contato com salivas ou secreções contaminadas, evoluindo para a famosa catapora.

As lesões apresentadas são vermelhas, seguidas de muita coceira e prurido. Essas bolhas espalham-se pelo corpo todo.

Este vírus também pode ficar em estado latente no sistema nervoso e se reativar anos mais tarde, apresentando-se de maneira restrita apenas no caminho do nervo acometido. Popularmente é chamado de herpes zoster.

Comentar