Medicina

O que é o lúpus? Como surge? Como cuidar?

Lúpus

O lúpus é uma doença autoimune que faz com que o organismo produza anticorpos de forma exagerada. As pessoas que forem diagnosticadas com essa doença e receberem o tratamento adequado, conseguem levar uma vida normal. Saiba mais a seguir todas as informações sobre essa doença tão desagradável e como se tratar.

Considerada uma doença rara, as mulheres são as mais atingidas pelo lúpus do que os homens. O organismo sofre um desequilíbrio geral no sistema imunológico, produzindo anticorpos que atacam os tecidos do próprio organismo.

Infelizmente por causa das diversas formas de manifestação clínica, o diagnóstico é feito de maneira muito tardia e os portadores acabam, inclusive falecendo.

As pessoas que são diagnosticadas com essa doença devem ter em mente que precisarão de tratamento médico adequado se quiserem continuar vivendo de maneira adequada.

O que é o lúpus?

O lúpus é uma doença considerada gravíssima de origem autoimune e inflamatória que exige o cuidado médico com especialistas. É conhecida também com o nome de lúpus eritematoso sistêmico.

Sua característica principal é a formação em excesso de anticorpos que trabalham atacando os tecidos diversos dentro do organismo. Infelizmente as mulheres são a maioria com o diagnóstico da presença dessa doença.

Não existe um motivo aparente para que esses anticorpos sejam produzidos em excesso.

Esses anticorpos produzidos em excesso causam inflamações diversas dentro do organismo. Diversos órgãos são atingidos, os mais atacados são os rins, pulmões, articulações e pele. Infelizmente, existe o ataque de alguns outros órgãos como o coração e o cérebro.

Artistas famosas como Lady Gaga e Selena Gomez admitiram que possuem essa doença e que fazem tratamento para não terem complicações maiores.

A intensidade do lúpus pode ser grave, levando a pessoa a ficar incapacitada e até mesmo falecer ou mais brando, onde a pessoa não apresenta tantos sintomas.

Nos casos mais brandos a pessoa pode ficar anos sem apresentar nenhum sintoma e de repente eles surgirem de maneira bem forte.

Lúpus

Por que as mulheres são as mais atingidas e como surge o lúpus?

Atualmente, cerca de 90% dos pacientes de lúpus são mulheres, é preciso entender que existe uma relação entre o sistema imunológico e o sistema endócrino.

Existe um hormônio feminino chamado de estrógeno que tem como função ser formador de anticorpos e o hormônio masculino chamado de testosterona que é considerado um baixo produtor de anticorpos.

A mulher considerada lúpica tem um excesso de sinergismo, ou seja, uma produção excessiva de estrógeno. É possível diagnosticar pela taxa que costuma ser bem elevada da proteína gamaglobulina.

Infelizmente, mesmo que a mulher receba uma superdosagem de hormônios masculinos, ao contrário dos homens, os sintomas não diminuem. Elas ficam mais masculinizadas e sem nenhuma melhora significativa do quadro.

Como foi dito anteriormente, o lúpus pode demorar para apresentar alguns sintomas nos quadros mais brandos e nos quadros mais graves se não for tratado adequadamente, ser devastador.

Por que os raios solares são tão nocivos para quem tem lúpus?

Os raios solares são extremamente nocivos para o portador dessa doença. Os raios solares, recebidos no horário entre 10 e 15 horas agridem muito a pele.

Em estudos realizados no Hospital das Clínicas, diversos pacientes detectaram a doença depois de serem expostos ao sol.

É preciso ficar atento ao mínimo sinal de desconforto.

Conheça alguns critérios utilizados para fazer o diagnóstico de lúpus

A Sociedade Americana de Reumatologia afirma que existem 11 critérios infalíveis para se diagnosticar uma pessoa com lúpus.

Conheça a seguir quais são eles e se desconfiar de algum sintoma procure um médico.

Primeiro e segundo critério para diagnóstico

Esses dois critérios estão ligados diretamente a mucosa dos lábios, ou seja, a mulher apresenta lesões importantes na boca, como úlceras.

Algumas pacientes também podem apresentar estomatites com surgimento de aftas.

Terceiro critério para diagnóstico

Esse é considerado pelos médicos o principal critério para se diagnosticar a doença, mas não é. A pessoa que apresentar um desenho do rosto chamado de asa de borboleta ou butterfly rash está dentro desse critério apresentado.

Esta lesão surge nas regiões laterais do nariz e prolonga-se até a região das maçãs do rosto. Possui a cor vermelha e apresenta um aspecto descamativo, ou seja, se tiver um atrito nela, ela descama de maneira bem profunda.

Lúpus

Quarto critério para diagnóstico

Neste critério, o médico avalia se a paciente teve algum problema quando se expôs aos raios solares. Geralmente, as portadoras de lúpus acabam apresentando queimaduras gravíssimas na pele depois de ficarem expostas aos raios solares.

Principalmente no rosto, dorsos das mãos e outras partes do corpo. Muitas mulheres depois de irem a piscina e praia costumam apresentar esses sintomas, quando estão com essa doença.

Quinto critério para diagnóstico

O quinto critério busca avaliar se a mulher apresenta dores articulares. Essa doença causa dores articulares muito intensas em seus portadores, geralmente essas dores não são causadas por fatores inflamatórios.

As dores costumam ser itinerantes e assimétricas, caminhando pelos membros superiores e inferiores. Algumas pacientes relatam que sentem essas dores de um lado só do corpo. Não existe alteração de temperatura na região, nem edemas aparentes e muito menos alteração da cor da pele.

As articulações mais atingidas são as dos membros superiores como as do cotovelo, punho, ombros e dedos. Esse critério pode ser confundido com uma artrite reumatoide.

Sexto critério para diagnóstico

No sexto critério o médico avalia se a paciente apresenta alguma lesão renal. Algumas pacientes apresentam a lesão renal acompanhada de quadros de hipertensão. Esse quadro faz com que a paciente evolua para uma glomerulonefrite, ou seja, um processo inflamatório das membranas das estruturas que fazem a filtração do sangue.

Se essa inflamação não for tratada, a paciente evolui rapidamente para um quadro de insuficiência renal.

Sétimo critério para diagnóstico

Nesse sétimo critério, a paciente apresenta a lesão cerebral, que é gravíssima. O primeiro sinal é a convulsão, confundido geralmente com um ataque epilético.

Como cuidar da doença de lúpus?

Antigamente eram utilizado como tratamento de lúpus, as cortisonas e todos os seus derivados. Hoje em dia, o tratamento geralmente é feito com corticoides que não possuem efeitos colaterais.

Eles podem ser consumidos via oral ou por via endovenosa, através de injeção. A paciente é hospitalizada e a aplicação de uma grande quantidade é feita de uma única vez.

É importante que ao ser diagnosticada com essa doença, as pessoas façam o tratamento de acordo com as recomendações médicas para conseguirem ter uma vida normal.

Comentar