Mitologia Grega

Pandora: quais são os seus significados?

Pandora

Personagem mitológico, presente em inúmeras histórias, filmes e outros elementos culturais, pandora possui vários significados e simbolismos. Suas interpretações vão desde os atributos femininos até a explicação aos problemas que atingem os humanos.

Na música, o termo pandora também representa um instrumento musical de cordas, muito parecido com o alaúde e que era muito comum na Europa Medieval. A evolução deste instrumento resultou em outros como o chitarrão, a guitarra barroca e a portuguesa.

Significados de Pandora

Pandora é uma palavra feminina, de origem grega e que significa “todos os presentes”. Ela é a junção de dos termos gregos, “pan” (todos) e “doron” (dom, virtude ou presente).

Segundo a mitologia dos povos gregos, Pandora seria a primeira mulher que possuía todos valores e virtudes possíveis e uma beleza incomparável. Pandora foi designada por Zeus, o maior de todos os deuses, para casar-se com Epimeteu, irmão de Prometeu.

Porém Zeus teria usado Pandora para vingar-se de Prometeu que havia roubado o segredo do fogo. Como presente de casamento Zeus entregou à Pandora, um frasco no qual estariam contidos todos os males existentes, e disse que ela não deveria abrir o recipiente sob nenhuma razão.

Mas, de maneira imprudente Pandora abriu este frasco que continha todo bem e todo o mal que existiria no Universo. E ao fazê-lo ela deixou escapar todos os males, como guerras, violência, doenças e todas coisas ruins, que desde então atingem toda a humanidade.

A partir daí o recipiente aberto por Pandora, recebe o nome de “caixa de Pandora” como forma de representar a liberação de destruição e coisas ruins.

Em razão do simbolismo deste mito, muitos associam este nome como presságio de coisas ruins, este fato tornou raro a existência de pessoas que se chamem Pandora.

Pandora

Caixa de Pandora: o que é?

Não se sabe ao certo, como e porque, o frasco que Pandora ganhou de presente passou a se chamar de caixa. Porém, segundo o mito ela teria recebido um recipiente, ou jarro, que continha males terríveis como o ódio, a ganância, as doenças e dentro dele havia apenas um dom positivo, a esperança. O fato é que, em língua portuguesa a história ficou conhecida como a “caixa de Pandora”.

Existem duas versões que explicam o mito da caixa de Pandora, na versão menos conhecida conta que ela teria sido enviada por Júpiter com a finalidade de agradar ao homem. E que, teria recebido de presente de casamento uma caixa (ou jarro) onde cada deus teria colocado um bem, porém ao abrir o artefato ela teria deixado escapar todas as coisas boas restando apenas a esperança.

Já a versão mais aceita, e conhecida, foi contata por Hesíodo, poeta grego que viveu no século VIII a.C. Segundo ele, Prometeu teria roubado o segredo do fogo no monte Olimpo e presenteado os homens com este recurso poderoso que permitia a dominação da natureza.

Zeus, o maior dentre todos os deuses, furioso com a traição teria usado Pandora para punir Prometeu e toda a humanidade. De acordo com o mito, Zeus antes de enviar Pandora para Terra, entrega-lhe uma caixa com a recomendação de que ela nunca deveria ser aberta.

A razão desta advertência seria o seu conteúdo: dentro dela estariam inúmeros males e desgraças que afetariam a humanidade. Se aberta, a caixa espalharia entre os humanos problemas graves que os perseguiriam para sempre.

O mito revela que ao aceitar a noiva, Epimeteu também recebe o alerta de que a caixa nunca deveria ser aberta. E, mesmo sem saber o conteúdo da caixa, Epimeteu guarda o presente no fundo de sua casa que é protegida por duas aves (gralhas) que fazem muito barulho.

Zeus, por saber que a curiosidade era o único defeito que Pandora possuía, apostou que ela não resistiria ao segredo e soltaria sua vingança sobre a humanidade.

Pandora teria sido consumida pela curiosidade e, desobedecendo a ordem de Zeus, ela seduz Epimeteu e o convence a se desfazer das aves que a incomodavam com seu barulho. Pandora e Epimeteu têm uma noite de amor e após ele cair no sono, ela corre até a caixa para verificar o que ela continha.

Neste instante, doenças, sentimentos ruins e desgraças são imediatamente liberados e passam a perseguir a humanidade. Zeus, tinha conseguido realizar a sua vingança.

Assustada, Pandora logo percebe seu erro e corre para fechar a caixa, ainda tendo tempo de manter lá dentro a única coisa boa que existia dentro dela: a esperança.

Pandora

Interpretações sobre a caixa de Pandora

Existem muitas explicações sobre o significado da caixa de Pandora, as principais versões são as seguintes:

A história nos conta que Pandora teria sido criada com todas as virtudes existentes, com uma beleza única e encantadora, mas com um único e grave defeito: a curiosidade.

Segundo estudiosos dos mitos e lendas antigas, a caixa de Pandora teria sido uma metáfora criada pelos gregos para representar o entendimento que eles tinham na época sobre a personalidade feminina.

Nesta representação eles apontariam como as qualidades femininas, entre elas a beleza, a sedução e a sensualidade poderiam ser utilizadas para finalidades ruins como a mentira, a manipulação, e a dissimulação.

Outros teóricos afirmam que a esperança contida na caixa de Pandora também seria encarada, pelos gregos antigos, como um mal. Segundo esta versão, a esperança seria prejudicial por oferecer uma visão muito frágil e positiva quanto ao futuro.

A caixa de Pandora também era importante para explicar tantos problemas que atingiam os gregos e que só seriam melhor entendidos muito tempo depois, com o avanço das ciências e tecnologias. Mas que, naquela época, trazia algum tipo de conforto.

Assim, as tragédias humanas seriam melhor compreendidas e aceitas através deste mito que explicaria porque tantas coisas ruins acontecem com as pessoas diariamente.

A caixa de Pandora também pode representar a capacidade humana de resistir e superar as diversas situações negativas que podem afligir-nos.

A expressão “caixa de Pandora” também é usada para se referir à problemas que perseguem a humanidade e sobre aquilo que não deveríamos saber ou fazer pois estas atitudes teriam consequências inesperadas e negativas.

A caixa existiria para nos alertar sobre os perigos da desobediência e da curiosidade.