Geral

Piercing: história, significados e conceitos

Se a tatuagem já é uma das mais comuns formas de expressões do momento, já existe uma galera gigante que está aderindo ao piercing. Afinal, em vários sites e redes sociais, ele demonstra que a moda veio para ficar.

Para quem quer conhecer mais sobre o assunto e sempre pensou em colocar um (ou mais), antes de tudo você precisa saber que essa peça estética é uma forma de machucar seu corpo. Sendo assim, é preciso ficar por dentro de alguns cuidados especiais. Acompanhe este nosso artigo e veja se o piercing faz a sua cabeça.

Os significados

Como poucos sabem, antes de virar moda, o significado e uso do piercing como acessório têm origens culturais e religiosas. Hoje, seu emprego é mais voltado para dar mais estilo pessoal, numa crescente onda de admiração e influência que anda despertando o interesse geral pela adoção de mais um acessório decorativo no corpo.

Já na antiguidade, o uso da peça era comum em povos antigos como Astecas e Maias, ainda mais para a prática em homenagem a seus deuses. Mesmo assim, o piercing sobreviveu ao uso religioso e atua como um adorno para denotar liberdade, rebeldia e identidade própria.

O que diz a história

Antes do piercing ser um adereço para a moda atual, a prática da perfuração e inserção de objetos metálicos é uma tradição com cerca de cinco anos de história. Isso porque esse ato sempre teve uma relação com os ritos das tatuagens, exprimindo as escolhas individuais de cada cultura e até mesmo conferindo certo status a algumas camadas da sociedade.

Vale lembrar ainda que, em alguns povos, o piercing era usado para adquirir a força do animal de onde o adorno era extraído. Além de locais como nariz, orelhas e lábios, a peça também era utilizada para destacar quem era o líder entre os habitantes locais.

Presente em tribos espalhadas por todo o planeta, a presença do piercing vai da sociedade indiana até os romanos e faraós egípcios. Com o tempo, ele fez parte da cultura de aristocratas que viveram em meados do século XIX, mas se tornou objeto de mau agouro no século seguinte.

Só a partir da década de 1970, entretanto, a moda londrina o colocou em evidência mais uma vez, sendo objeto visado por artistas e demais usuários dos círculos alternativos, atingindo seu ponto alto poucos anos depois.

Piercing

As finalidades do piercing

Analisando a história, o local mais escolhido para se ter um piercing é a orelha. Isso porque ele costumava dar status de riqueza, como faziam os romanos. Afinal, eles acreditavam que o adorno era o responsável não só pelo acúmulo de fortuna como também fonte de erotismo.

Já em locais como o nariz, a peça teve uso comum há cerca de quatro mil anos, no Oriente Médio, sendo comum pelas classes mais abastadas e classificando o piercing como sinal de status, caráter e ótimo nível social. Mais recentemente, entre as décadas de 1960 e 1970, o adorno foi amplamente usado por hippies, enquanto os anos 1980 foram simbolizados pelo uso por punks.

Quando o assunto é piercing na língua, a peça era comum entre Maias e Astecas. Isso porque essas culturas acreditavam que essa prática os deixavam mais próximos dos seus deuses.

Materiais de um piercing

Nos dias de hoje, vale ressaltar que a juventude investe nessa forma de perfuração corporal em locais como lábios, boca e demais órgãos que remetem à sensualidade e poder. Assim como o material mais procurado é o ouro, piercings colocados em áreas como mamilos têm a meta de simbolizar energia e vigor.

Assim, você já percebeu que um piercing pode ser feito a partir de diversos materiais, embora os mais usados sejam os metais, como:

  • Aço cirúrgico;
  • Teflon;
  • Titânio.

O motivo para essas escolhas é simples: eles causam menos reações à pele e ao corpo, diminuindo ocorrências como inflamações e alergias. Mas fique ligado! Mesmo que a história comprove seu vasto emprego, um piercing de produzido em ouro não é o mais indicado por médicos e especialistas devido ao alto risco de problemas alérgicos.

Dicas de locais para colocar seu piercing

Nariz

Colocado na área nasal, a peça chegava a ser parte de ritos e atos culturais pelas tribos das Américas, assim como, em terras indianas, é comum ver mulheres e homens usarem o adorno para representar estado civil e símbolo de religiosidade.

Língua

Para os mais corajosos, saibam que nesse local os pioneiros foram os índios das américas Central e do Norte, e simbolizava o contato direto com as suas divindades pela área e o uso de sangue presente nos rituais.

Para os dias de hoje, o uso de piercing na língua apresenta uma relação mais a ver com a sexualidade e o erotismo, mesmo que vários de seus adeptos apenas visem o uso do adorno para estimular e melhorar o sexo oral.

Piercing

Lábios

Na antiguidade, esse local costumava ser usado por tribos da África para ficarem semelhantes de suas divindades, levando várias culturas a inclusive exagerem nos tamanhos e forma de aplicação. Nos dias de hoje, o piercing labial pode ser aplicado em locais diferentes.

Sobrancelhas

Como local um pouco inusitado, local como a sobrancelha é comum tanto para homens como mulheres. O detalhe do uso de piercing nessa região está na forma como ele pode ser aplicado. Considerado um dos vários símbolos de rebeldia e confiança, você pode escolher como quer o seu: na horizontal, vertical ou diagonal.

Umbigo

Um dos locais preferidos pelas adeptas do piercing, quase toda mulher considera a área como um ponto corporal para expor sua beleza e ressaltar toda a sua sensualidade. Além do mais, muitas acreditam que a fricção gerada com outro corpo cria mais prazer na hora das relações, atuando quase como uma carícia de amor.

O que diz nossa legislação

Gostou do nosso artigo? Ficou instigado e anda querendo colocar ser piercing? Chegou a hora de saber se você pode, pois a legislação pode mudar de Estado para Estado.

Por ser a maior capital do país, vamos citar São Paulo, onde, desde o ano de 1997, a aplicação de piercings em menores de idade, mesmo com a autorização dos responsáveis, é proibida. Assim, você precisa ter dezoito anos completos para investir no acessório.

E lembre-se sempre: fique atento aos profissionais do mercado e seus materiais. Além de certificação, eles precisam ser descartáveis e esterilizados.

About the author

yasmin