Medicina

Hipnose: o que é e como funciona? Entenda

O que é hipnose?

A hipnose é um procedimento de indução, semelhante ao sono, no qual um profissional de saúde ou pesquisador sugere, ao tratar alguém, que ele irá experimentar mudanças nas sensações, percepções, pensamentos ou comportamento. Esse conceito é proveniente da Associação Americana de Psicologia. 

O termo é original do grego hipnos = sono + latim osis = ação ou processo.

Embora a hipnose possa ser aproveitada para diversos fins, normalmente os procedimentos trabalham com sugestões de relaxamento, de calma e de bem-estar. Em uma sessão de hipnose, normalmente o paciente é induzido a  imaginar ou pensar em experiências agradáveis.

Como surgiu a hipnose?

Os primeiros vestígios da prática da hipnose datam o século XVIII,  quando o médico alemão Franz Anton Mesmer defendeu sua tese de doutorado na Universidade de Viena. Ele afirmou que a existência de uma atração gravitacional entre a Terra e outros corpos celestes afetava a saúde das pessoas, sendo responsável por vários tipos de doenças mentais.

A partir desse estudo, vários outros pesquisadores começaram a tentar entender a técnica, e até ganhou uma abordagem mais científica. Até Freud se apropriou da técnica para hipnotizar algumas pessoas o início de sua carreira.

Mas foi só em 1997 que a prática começou a ser oficialmente aceita pela ciência, quando o psiquiatra americano Henry Szechtman fez uma experiência com oito voluntários, comprovando a funcionalidade do procedimento.

Muitos estudiosos da área pesquisaram a técnica e confirmaram, então, que não se passava de algo inventado e que, sim, a hipnose existe e é uma simulação perfeita da realidade. 

Como funciona a hipnose?

Primeiro de tudo, é importante ressaltar que existem dois tipos de hipnose. A hipnoterapia, que se trata de seu uso para fins terapêuticos, e consiste em induzir o paciente a ter hábitos mais saudáveis, especialmente no quesito mental.

Mas também há uma maneira de realizar a hipnose sem um auxílio do hipnólogo, esta é conhecida como auto-hipnose.

Atualmente, a indução hipnótica é feita através do relaxamento dirigido por palavras ou toque em pontos específicos da face, e por aí vai. Em uma sessão de hipnose, quem está induzindo o processo cria uma atmosfera que leva o paciente a acessar as informações escondidas no seu inconsciente.

“O objetivo é atingir um nível máximo de atenção para extrair da mente o que for preciso para ajudar no tratamento, aproveitando que as condições cerebrais obtidas deixam o paciente com maior abertura para ser sugestionado.”

Com isso, o terapeuta é capaz de acessar as informações necessárias para tratar traumas antigos ou de infância.

A hipnose e a hipnoterapia não tem nenhum vínculo religioso e nem é regido por crenças.

Etapas da hipnoterapia

Geralmente, o trabalho de hipnose é realizado por meio de métodos como:

  • estimulação de sono;
  • escrita automática;
  • regressão;
  • projeção de um futuro;
  • diálogos com o terapeuta;
  • técnicas de psicodrama;
  • hipnoanálise (que combina hipnose e psicanálise), entre outros.

Em suma, esse processo pode ser resumido em cinco etapas essenciais:

1. Pré-talk

Nessa etapa o hipnólogo explica como funciona a hipnose e esclarece todas as dúvidas do paciente, desmitificando alguns fatos e esclarecendo todas as instruções para a realização do processo.

2. Anamnese

É como o diagnóstico geral do paciente, é a etapa onde são identificadas as possíveis causas dos problemas relatados.

3. Indução hipnótica

Período em que o terapeuta leva o paciente ao estado inconsciente por meio do transe.

4. Sugestões

O paciente já tem um objetivo em mente, escolheu um local apropriado, está confortavelmente sentado ou deitado e consegue facilmente relaxar seu corpo e mente por meio da respiração lenta e regular.

Nessa fase, há sugestões por meio de linguagem, imagens ou desenhos da situação problemática.

5. Dehipnotização

Fase a qual o paciente volta ao seu estado normal.

Mitos sobre a hipnose

Por ser um procedimento psicológico, e que é feito de maneira “inconsciente”, há muitas contradições e descrenças quanto aos processos de hipnotização.

Como muitos pensam, a hipnose não é capaz de permitir controle à mente, sendo assim não é capaz transformar pessoas em “zumbis”, como é comum em alguns filmes. Além disso, memórias não são apagadas e também não é possível acessar memórias reprimidas. Para finalizar, animais não são capazes de ser hipnotizados.

A hipnose é um procedimento comprovado cientificamente, e não apresenta tantos riscos como se imagina.

Ademais, é um procedimento que acontece de verdade e por isso é usado como terapia para muitos. Por esse motivo, tome cuidado ao ser hipnotizado ou ao tentar hipnotizar, a pessoa precisa ser total conhecedora do assunto e segura no procedimento.

Artigos relacionados:

About the author

Vitória Alice