Medicina

A pessoa bipolar tem variações acentuadas e incomuns do humor

Bipolar

É frequente apontar que uma pessoa é bipolar ao apresentar variação de humor em curto intervalo de tempo. Por exemplo: pela manhã fulano está empolgado, cantarolante, distribuindo bom dia sem esforço, mas à tarde, sem motivo aparente, mostra-se irritadiço, grosseiro ou, então, demonstra abatimento, melancolia.

Mas a classificação de tal pessoa como bipolar pode ser precipitada, pois existem outros transtornos mentais que podem causar essa variação de humor. Não por acaso, o diagnóstico de uma pessoa bipolar costuma levar dez anos, pois se analisa todo o histórico do paciente, os relatos do próprio, de amigos e parentes para ter conclusão precisa.

Apesar de a variação de humor no mesmo dia ser a característica mais popular dos tipos que sofrem desse transtorno, esse não é um sintoma obrigatório para se classificar alguém como bipolar, pois o estado de euforia ou depressão pode durar dias ou até meses.

Pessoas que sofrem de bipolaridade podem passar uma vida inteira sem se perceberem como tal devido ao grau do transtorno ser moderado para leve, pois os sintomas nesse caso não chegam a causar grandes prejuízos no âmbito social, familiar. Mas os que sofrem do grau mais avançado costumam enfrentar grandes dificuldades tanto na esfera pessoal como profissional.

Todo diagnóstico de transtorno mental precisa de acompanhamento médico para ser tratado e não é diferente com a bipolaridade. Com psicoterapia e uso de medicamentos adequados, é possível melhorar significativamente a qualidade de vida das pessoas que padecem desse transtorno.

Bipolar: definição

A bipolaridade é uma doença psiquiátrica classificada como Doença Maníaco-Depressiva. Tem como uma de suas características a variação de humor. A alteração passa pelo estado de euforia, também conhecido como mania, ao de depressão aguda. A intensidade desses sentimentos pode ser leve, moderada ou grave.

A mudança de humor no bipolar, ainda que tenha uma duração curta, muda completamente o comportamento, porque a mudança não se restringe apenas ao ânimo, ao tom como se dirige aos próximos, mas também interfere no modo de pensar, de projetar o futuro, de avaliar acontecimentos passados.

Toda a persona do bipolar é tragada pela força do sentimento dominante no presente, o fazendo parecer muito instável, errático e até irresponsável nas suas atitudes.

Esse comportamento, além das dificuldades já citadas no campo profissional e pessoal, certamente potencializa desgastes preocupantes à saúde e perda da autonomia da própria personalidade, proporcionando muitos problemas.

Bipolar

Bipolar: sintomas

A mudança brusca ou sem motivo aparente de humor e consequentemente de comportamento é apenas um dos sintomas dessa Doença Maníaco-Depressiva. Há um conjunto de comportamentos, sinais, para cada estado emocional. Comportamentos que se distinguem.

Portanto, para analisar todos os sintomas, ou mais frequentes, da pessoa diagnosticada como bipolar, é preciso separar os sintomas por estado emocional.

Euforia ou mania

Nesse estado, é comum tanto o sentimento de euforia como de irritação. O bipolar nessa condição apresenta humor elevado, acima do que seria considerado como o seu padrão, além de autoconfiança para ser expansivo sem temer a euforia.

Principais sintomas do estado eufórico:

  • Fala rápida com mudança frequente de assunto;
  • Irritabilidade desmedida por não ter suas vontades atendidas;
  • Interesse repentino por atividades várias;
  • Consumo excessivo;
  • Interpretação equivocada sobre determinados fatos;
  • Reação exagerada a estímulos, comentários e acontecimentos banais;
  • Hiperatividade;
  • Elevado amor próprio, sentimento de autoimportância exagerada;
  • Insônia;
  • Dificuldade para admitir-se como bipolar e transferir a culpa de seus problemas para terceiros;
  • Elevação da energia sexual, estimulando comportamento inadequado para atender suas vontades libidinosas;
  • Consumo exagerado de álcool e outras drogas;
  • Delírios, perda da noção de realidade.

Hipomania

A hipomania é o estado mais ameno da mania, porque os sintomas listados do estado anterior estão presentes, no entanto, em intensidade mais branda.

A duração desse estado é mais breve, pois não dura mais do que alguns dias. É um diagnóstico difícil de ser realizado, porque esse comportamento pode ser reflexo da ingestão de antidepressivos, síndrome do pânico, distúrbios de ansiedade, esquizofrenia ou depressão.

Depressão

O sentimento predominante do bipolar nesse estado é o de tristeza profunda que pode evoluir para o total desespero. Há graus variados, conforme informado anteriormente. Dependendo da intensidade, portanto, muitos dos sintomas listados abaixo podem ocorrer simultaneamente:

  • Perda da autoestima;
  • Culpa excessiva;
  • Sentimento de inutilidade;
  • Repetição de pensamentos negativos;
  • Preocupação excessiva com fracassos ou incapacidades;
  • Dificuldade de concentração;
  • Fadiga constante;
  • Permanente estado de intranquilidade;
  • Dificuldade para dormir;
  • Alteração no apetite e no peso;
  • Redução da libido;
  • Vontade constante de chorar mesmo não conseguindo mais;
  • Pensamentos suicidas;
  • Tentativas de suicídio;
  • Consumo inadequado de bebidas alcoólicas ou outras substâncias;
  • Desvinculação com a realidade;
  • Ideias absurdas;
  • Delírios imaginando vozes com discurso negativo e depreciativo.

Bipolar

Qual é a causa da bipolaridade?

Ainda não há estudos conclusivos que apontem exatamente a origem desse distúrbio psíquico, mas as avaliações feitas até o momento indicam que fatores genéticos podem ser uma das causas para o irromper da enfermidade. Também se infere que fatores biológicos, como a química no cérebro, influenciem para as ocorrências de bipolaridade.

Outros aspectos que sugerem influir nos transtornos de bipolaridade são a personalidade e o estresse prolongado ou intenso.

Há cura para a doença bipolar?

Não existe cura para a bipolaridade, no entanto, existe tratamento à base de medicações que aliviam muito os sintomas, sendo totalmente possível uma boa qualidade de vida mesmo portando esse transtorno.

Os medicamentos receitados geralmente são estabilizadores do humor que evitam, com alto grau de eficácia, recaídas, seja de crise de depressão ou euforia desmesurada. Para a depressão também se receita antidepressivos.

Mas o tratamento não é inteiramente à base de medicação. A psicoterapia é um recurso importante para ajudar o paciente a superar as dificuldades ocasionadas pela doença. Ajuda a prevenir a recorrência das crises e incentiva o tratamento medicamentoso.

Por não ter cura, o tratamento da bipolaridade deve ser mantido pela vida inteira. A dosagem dos medicamentos pode necessitar sofrer alterações, seja diminuindo ou aumentando, conforme o progredir do tratamento. Cabe avaliação do médico especialista.

Famosos bipolares

Uma amostra de como o tratamento é eficaz e não impede uma vida produtiva é conferir casos de grandes personalidades que já revelaram portar o distúrbio.

Veja abaixo:

  • Jean-Claude Van Damme;
  • Demi Lovato;
  • Catherine Zeta-Jones;
  • Carrie Fisher;
  • Linda Hamilton;
  • Rita Lee.

Gostou deste conteúdo sobre doença bipolar? Então curta, compartilhe, avalie. Seu apoio faz a diferença. Leia mais de nosso conteúdo.