Geral

O que são jogos cooperativos? Características e benefícios

Os jogos cooperativos estão cada vez mais em moda. Eles possuem a capacidade de agrupar as pessoas em torno de um objetivo. São muito utilizados em dinâmicas para que cada um tenha a consciência de que trabalha com outras pessoas. Aqui você saberá alguns significados, características e benefícios.

O que são?

Os jogos cooperativos são aqueles em que se aprende a ter a parceria com outra pessoa.

Aprende-se que é preciso trabalhar em grupo, e não contra o outro. Por isso costumam ser utilizados em dinâmicas de processos seletivos de empregos para que se avalie se alguém consegue trabalhar em conjunto.

Veja também – Jogo de Dama: quando surgiu, como jogar e regras

Por meio deles também é possível observar se o candidato tem a capacidade de falar em público, se tem liderança, entre outras características.

Ganhar ou perder é somente uma consequência. Não se trata de um jogo como uma partida de futebol em que há a união de integrantes de uma equipe contra um adversário.

Não é uma luta em que um tem que acabar com o outro.

Ao contrário, nesses jogos todos sabem que são parte de um todo. Que quem ganhar não significa que será melhor que o outro, muito menos que ganhará um grande prêmio.

O que deve ser avaliado nesses jogos é a capacidade de colaboração. O grande vitorioso é despertar em cada um a vontade de ajudar, cooperar e colaborar com alguém.

As diferenças entre jogos competitivos e jogos cooperativos

A competição é sempre aquela que determina vitoriosos e perdedores. Sendo que os perdedores são sempre tidos como inferiores. E até mesmo são passíveis de piadas.

Como um jogo de vôlei, em que há a cooperação de uma equipe, mas sempre em competição com outro time.

Já em um jogo cooperativo, pode até ter um campeão. Mas ele saberá, assim como o grupo, que ele só conseguiu por conta de uma ajuda de todos.

Nesse tipo de jogo cada um terá uma função que será fundamental para o grupo obter sucesso.

Com eles as pessoas se unem em torno de um objetivo e trabalham em conjunto. Isso é fundamental para que uma sala de aula funcione em harmonia e para que uma equipe de uma empresa alcance uma meta desejada.

Até mesmo em um pequeno restaurante é preciso que exista essa consciência de grupo. Pois quando um estiver muito atarefado o outro entenderá e ajudará. Sem entender que a situação é uma competição em que ele precisa deixar o outro se dar mal.

Jogos cooperativos

Exemplos de jogos cooperativos

Existem vários jogos cooperativos. Eles despertam valores  importantes para uma boa vida em conjunto. Apresentaremos alguns exemplos para que se possa entender como eles são importantes para atividades em grupos:

  • Passar o bambolê

Esse é um dos jogos mais famosos. Aqui uma dupla precisa balançar em sintonia para que um bambolê para de um corpo a outro. As duas estão de mãos dadas e o arco atravessará de uma cintura para a outra.

Nessa situação desenvolve-se a confiança e a coordenação motora entre dois desconhecidos. Até mesmo que se conheçam, é uma situação completamente nova que pode trazer mais proximidade a essas pessoas. Elas entenderão que a dificuldade de cada um. E pode ser uma oportunidade de um orientar o outro. Esse outro aprenderá a ouvir e os dois cooperarão.

  • Bater a bola 100 vezes

Esse jogo costuma ser utilizados nas aulas de educação física nas escolas. Cada estudante deve dar dois toques na bola sem que ela caia no chão. Todos devem participar. E todos vão contando até dar 100.

Quando se chega a marca o jogo acaba. Entretanto, o que se ganhou foi a confiança em que o outro também consegue realizar a atividade. E também passa a existir um espírito de equipe que será fundamental para que todos estejam unidos.

Os jogos cooperativos e a teoria dos jogos

Esses jogos são parte da chamada teoria dos jogos. Uma das aplicações dessa teoria para medir a cooperação está no chamado dilema do prisioneiro.

Nela, presume-se uma situação em que há duas pessoas presas por cometerem um crime.

Submete-se cada uma ao inquérito em sala separadas. Ali afirma-se que já se sabe que elas são as culpadas. É para cada uma que elas pegarão 10 anos de regime fechado. E assim, é oferecido a cada uma delas a possibilidade de entregar o amigo em troca de 5 anos a menos na pena.

Entretanto, o que os prisioneiros são sabem é que a polícia não tem qualquer prova contra eles. Caso os dois se neguem a entregar um ao outro, os dois estarão livres em seguida. Porém, se um entregar, recai a culpa sobre os dois.

Nesse dilema do prisioneiro verifica-se a capacidade de confiança e colaboração entre os dois. Caso um deles suspeite que o outro irá entrega-lo, tentará se antecipar e confessará. Ou seja, não havia a menor cooperação e confiança.

Nos jogos cooperativos, apesar de não se tratar de uma situação tão radical, trata-se exatamente disso. De poder confiar no outro, de aprender que seu amigo não deve te entregar em troca de um benefício.

Em uma prática empresarial, poderíamos usar como exemplo, saber que seu amigo te ajudará quando você tiver dificuldades para bater a sua meta.

Jogos cooperativos

Considerações finais

Os jogos cooperativos são fundamentais para desenvolver a consciência de grupo entre as pessoas.

Aplique em sua empresa. O momento em que houver a diversão ajudará a cada colaborador a compreender que as dificuldades dos outros não é um problema. Mas pode ser solucionada com a ajuda de todos.

Apesar de tomar o tempo de trabalho, as pessoas passarão a produzir muito mais. Esse curto momento de diversão deixará as coisas mais leves.

Até mesmo em uma sala de aula em que os estudantes estão fadados a ficarem juntas por um ano, tal atividade poderá ajudar a diminuir a tensão. E também poderá dissolver os possíveis desentendimentos.

Com eles você atiçará a resiliência em cada um, mais do que qualquer competição. Cada um aprenderá a escutar, mais do que simplesmente criticar.

Assim, invista nos jogos cooperativos. Eles alimentarão a harmonia entre pessoas diferentes.

About the author

yasmin