Língua Portuguesa

O que é harmonia? Conceitos e definições

O conceito de harmonia vai muito mais além do âmbito musical onde a combinação de sons simultâneos que, apesar de diferentes, dão origem a belos acordes que soam de forma agradável aos ouvidos.

A harmonia também está relacionada à sintonia existente em um ambiente, presente em uma obra de arte, dentro de um grupo social e mesmo no interior de cada um de nós.

A palavra harmonia é de origem grega (apyovía ou armonía) que significa combinação, concordância e consonância. Alguns de seus sinônimos podem ser: equilíbrio, ordem, acordo, conciliação, entendimento, concórdia, por exemplo.

Harmonia também é o nome de uma deusa, filha de Vênus, deusa do amor, e de Marte, deus da Guerra e que rege a busca do equilíbrio entre os opostos, como por exemplo, entre o amor e o ódio, a razão e a emoção, a paz e a confusão.

A importância da harmonia no dia-a-dia

Mesmo que não nos demos conta disso, a harmonia é fundamental para mantermos o equilíbrio interior, a calma e a serenidade. Imagine, por exemplo, um ambiente cheio de móveis empilhados, paredes pintadas com cores berrantes, quadros desalinhados e por aí vai.

Muito provavelmente você se sentiria irritado e iria querer sair rapidamente do ambiente justamente por haver um desequilíbrio no local, ou seja, uma falta de harmonia. O mesmo acontece diante de um grupo de pessoas que não nos familiarizamos, não temos os mesmos pensamentos e objetivos, ou seja, não nos harmonizamos.

A harmonia das notas musicais é a concordância dos sons, mesmo que gerados por instrumentos diferentes, são agradáveis aos ouvidos e fazem bem para a alma. E por falar em alma, o termo harmonia, na linguagem coloquial, é utilizado como sinônimo de paz interior, equilíbrio e calma.

Veja só como a harmonia é importante em nossas vidas e que deve estar presente em todas as ramificações.

A harmonia na combinação de cores

Imprescindível na decoração do ambiente em que vivemos, a harmonia na combinação de cores nos proporciona calma e serenidade. E isso não é modismo não! A quase 4 séculos, o cientista inglês Isaac Newton criou o disco cromático ou roda de cores, que é a mais conhecida e utilizada até hoje para harmonizar a combinação de cores.

O círculo cromático criado por Newton em 1666, baseado na observação das cores da natureza, consistia em um gráfico circular com as sete cores do arco-íris distribuídas na sua circunferência. Atualmente, a roda de cores inclui as cores secundárias e terciárias, com exceção do branco, preto e cinza.

A harmonia familiar e entre grupos

Relacionar-se com outras pessoas, a vida em grupo, possibilita crescimento, bem-estar físico e psíquico. Conviver com outras pessoas é encarar o desafio de encontrar a harmonia nas relações, equilibrando os pontos de vista e as opiniões.

Mesmo que ocorram divergências, seja dentro da família, no círculo de amizade, ou entre companheiro e companheira, todos buscam encontrar caminhos que os levem a viver em harmonia.

A harmonia na arte

Vamos tomar como exemplo os gregos para representar qual o significado da harmonia na arte. Eles entendiam muito bem que para que uma coluna fosse maravilhosa e que enchesse os olhos da humanidade séculos depois, elas não poderiam simplesmente ser lisas, ou mais largas em baixo e fino em cima.

Elas deveriam ter saliências, adornos e reentrâncias de acordo com o tamanho de cada uma em comparação a sua altura e largura, bases que causariam a impressão de serem fortes, mas ao mesmo tempo em que fossem graciosas e belas. Qual a proporção de força e de leveza cada uma delas devesse ter para ser considerada bela?

Outro exemplo que podemos citar de harmonia na arte é a Ikebana, arranjos florais que valorizam a beleza de uma flor, bem como respeitam a sua essência e cuja intenção é propagar a paz e a harmonia. Para a criação dos arranjos é necessário aprender algumas técnicas e desenvolver habilidades manuais. Então, qual o segredo da Ikebana?

No modelo básico de Ikebana há uma ramo para cada elemento: Sol, Terra e Lua. Para que ele seja harmonioso é necessário que os ramos relativos a cada elemento seja posicionado tridimensionalmente.

O ramo correspondente ao Sol deve ser o mais exuberante, posicionado de forma inclinada. O ramo da Terra também deve ser posicionado de forma inclinada, porém ao lado oposto ao do Sol. Já o da Lua, deve ser menor ao do Sol e maior ao da Terra e posicionado no centro.

Aí está a harmonia dentro de uma obra de arte: a capacidade de estabelecer as relações entre os vários elementos de um todo, tornando-o agradável de ser visto.

A harmonia na música

Talvez a harmonia que fale mais aos nossos ouvidos seja a musical. Vários elementos criam a harmonia dentro de uma música: a tonalidade das notas, a escala, a frequência de determinado som e os intervalos, por exemplo.

A harmonia, dentro da música, é uma das principais responsáveis por despertar as nossas emoções, como por exemplo, felicidade, medo, tristeza e também as sensações. Assim, a harmonia musical está relacionada com a arte de combinar sons e fazer com que eles soem harmoniosamente entre si.

A harmonia interior

A harmonia pessoal está ligada diretamente ao equilíbrio interior. Ou seja, para ter uma vida plena e feliz é necessário encontrar a serenidade interior, saber lidar com os problemas da vida com equilíbrio. A partir do momento em que não conseguimos lidar com eles, perdemos o foco, a alegria e a esperança vão embora e acabamos muitas vezes adoecendo.

Entretanto, a conquista da harmonia interior não é definitiva. Temos que buscar incessantemente por ela para que os percalços do dia-a-dia não nos causem desequilíbrios e conflitos.

Existem algumas religiões e filosofias que tem como objetivo a busca da paz interior, como é o caso do Budismo. Para o Budismo, o homem conseguirá ser feliz se encontrar a harmonia interior na pluralidade do mundo. A meditação e o yoga também possuem muitos adeptos que buscam a harmonia interior através de sua prática.

A conquista da harmonia interior não é simplesmente se manter equilibrado o tempo todo, mas aprender a retomá-lo depois de tê-lo perdido ao passar por problemas e conflitos.

Comentar