Tecnologia

O que é criptomoeda? Quais as mais famosas?

Você com certeza já ouviu falar em bitcoin e sabe que esse tema tem a tendência de se tornar cada vez mais popular. No entanto, o bitcoin não é a única criptomoeda do mercado. Entenda mais sobre o tema que é tão pertinente nos dias atuais.

Entenda o que é criptomoeda

Primeiramente, caso você não saiba nada sobre assunto, não precisa se sentir mal, até porque no Brasil isso não é divulgado. Apenas blogs e sites que são especializados tratam do assunto e, inclusive, muitos sites de economia não tratam das criptomoedas.

Veja também – Home office: o que quer dizer?

Elas são moedas digitais que utilizam da criptografia e da plataforma Blockchain para auxiliar nos processos de transação e garantir a segurança. Algumas dessas moedas podem ser centralizadas, mas a grande maioria é descentralizada.

Em 2009, Satoshi criou a primeira moeda criptografada e descentralizada do mundo: o Bitcoin. Juntamente com isso criou o Blockchain que é uma tecnologia de segurança praticamente inviolável, que conecta milhares de computadores do mundo, criando um sistema de rede onde seria necessário invadir todos para fazer uma alteração. Isso é inviável para qualquer cracker do mundo (não confundir com os considerados hackers).

O sistema blockchain, somado à criptografia, cria uma segurança e privacidades nas transações e no processo de armazenamento de dinheiro que é superior ao de qualquer banco que exista no mundo. Não é a toa que depois do bitcoin, várias moedas novas surgiram, sendo que algumas estão fazendo muito sucesso por aí.

Como a criptomoeda é armazenada

Elas são armazenadas em carteiras físicas ou digitais. As digitais, são como sites ou plataformas, onde você acessa do notebook ou por meio de smartphones, usando aplicativos ou até mesmo online. As físicas são pendrives especificamente feitos para isso, que cuidam da segurança, incluindo a criptografia.

É com essas carteiras que você consegue lançar suas moedas do mercado, fazer aplicações, trocas inteligentes e uma série de transações, além de manter seu dinheiro seguro.

Criptomoeda

O que é centralizado e descentralizado?

Se você está pesquisando sobre bitcoin, com certeza vai ouvir esse termo, mas talvez ele não seja tão familiar. A moeda centralizada é aquela que está conectada com algum governo ou instituição, de maneira que é fácil identificação pelas autoridades e fica bem fácil cobrar impostos e aplicar taxas.

A moeda descentralizada não tem conexão com nada disso, as transações são livre, mas de total responsabilidade do usuário. Além de ser difícil de supervisionar, pois a moeda descentralizada é justamente mais focada na discrição e privacidade nas transações.

O usuário da moeda descentralizada está livre de impostos e taxas, além de conseguir fazer diversas transações sem custos exorbitantes (por vezes sem custo nenhum), mas o usuário da moeda centralizada tem uma boa fiscalização por parte do governo, que cobra seus impostos, além de estar sujeito aos bancos tradicionais.

A criptomoeda é mais vantajosa?

Muitas pessoas diriam que sim, mas isso é relativo e depende da pessoa. No sentido de segurança a criptomoeda com certeza é melhor do que qualquer banco, assim como ela te isenta de taxas e impostos (pelo menos na maioria dos países).

Apesar disso, as criptomoedas vão exigir habilidades de gestão e administração do dinheiro por parte dos usuários. Enquanto o dinheiro centralizado possui subidas e quedas mais suaves, o dinheiro digital é bem mais brusco, com subida e descida de valores exorbitantes.

Isso tudo vai exigir um tato de mercado, além de saber lidar com diversos tipos de moedas diferentes, saber fazer comparativos, e em alguns casos saber o básico de programação, caso queira fazer um contrato inteligente.

Outro fator é que nem todos os estabelecimentos aceitam criptomoedas, então seria necessário organizar os tipos de moeda e de dinheiro você teria para administrar tudo de maneira adequada, de acordo da forma que pretende gastar ou armazenar.

Em suma, a criptomoeda é sim melhor em muitos aspectos, mas ela vai exigir habilidades e desenvolturas de seus usuários e nem todas as pessoas estão preparadas para isso.

Algumas das criptomoedas mais famosas

Algumas criptomoedas do mercado se desenvolvem muito bem, sendo que algumas até passaram por momentos de baixa, mas deram a volta por cima. Abaixo você pode conferir algumas das mais famosas.

Criptomoeda

Bitcoin

É claro que ele estaria na lista. É simplesmente a primeira criptomoeda que inaugurou o sistema Blockchain, sendo a criptomoeda mais valiosa da atualidade. Antes ela custava por volta de 1 dólar, mas hoje está estimada em mais de 6,5 mil dólares, aproximadamente 27 mil reais.

Apesar disso, a moeda pode ser subdividida, para a menor parte, damos o nome de satoshi, sendo que um bitcoin é composto por 100 milhões de satoshis. Você não precisa comprar o bitcoin inteiro, mas apenas uma parcela dele.

Ether

Do sistema Etherium, uma moeda que não é muito usada em transações diárias como uma moeda ativa, mas é bastante valiosa no mercado (cerca de 650 reais atualmente). Seu foco é ser usado em transações e para utilização de poder computacional.

A Etherium uma plataforma de código aberto que aplica a Blockchain em tudo o que for programável. Tudo isso em troca de Ether. A moeda vem se mostrando extremamente eficaz no mercado.

Cardano

É ainda mais complexa e trabalhada que todo o sistema de Etherium, mas não chegou a ser tão conhecida no ocidente. Apesar disso, é muito popular no Japão e muito utilizada por lá. A maioria dos seus usuários são japoneses, mas não pense que o seu valor é ruim.

CannabisCoin

Ela ficou bem popular em meados de 2017 a 2018. É uma moeda que financia o mercado de maconha. Mas fique tranquilo, pois é o mercado legalizado, em países como Holanda ou estados como Califórnia. Conforme mais países vão legalizando a erva, o preço da moeda tende a subir.

Considerações finais sobre a criptomoeda

Talvez você se pergunte: “Por que não ouvi falar disso antes?”. A verdade é que esse tipo de moeda não é muito popular no Brasil, somente em locais especializados, mas em países de primeiro mundo, múltiplos jornais já inserem as moedas digitais em sua seção de economia.

A criptomoeda é uma forma bem mais segura de lidar com o seu dinheiro a nível global, mas em troca disso ela vai exigir responsabilidade do usuário, que precisará estar sintonizado no movimento do mercado e terá que aprender a lidar com seu dinheiro.

About the author

yasmin