Geral

Ovo de Páscoa: como surgiu? O que significa?

A Páscoa, festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo, é marcada por diversos símbolos. Entre eles encontramos o ovo de Páscoa, que, sob o aspecto religioso, simboliza o nascimento e a vida.

Nesta matéria falaremos como surgiu o ovo de Páscoa que é utilizado desde a antiguidade para presentear familiares e amigos na segunda maior celebração cristã do mundo: a Páscoa.

Páscoa: celebração cristã?

A Páscoa é uma festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo. Porém, é uma celebração que já era comemorada antes do surgimento do cristianismo. Segundo a Bíblia e algumas narrativas encontradas no Novo Testamento, Jesus, aos doze anos, teria sido levado por seus pais, Maria e José, pela primeira vez, celebrar a Páscoa.

A palavra Páscoa é originária de um termo em hebraico Pesach, que significa “passagem” e está relacionada com as comemorações dos pagãos com a passagem do inverno para a primavera (verão), bem como a liberdade do povo judeu por ter se libertado da escravidão no Egito, que durou aproximadamente 400 anos.

Veja também:

O Domingo de Páscoa é comemorado anualmente no primeiro domingo após a primeira lua cheia marcada pelo início da primavera no Hemisfério Norte, e do outono, no Hemisfério Sul, sendo a data sempre entre os dias 22 de março e 25 de abril.

Ovo de Páscoa: presente para celebrar a chegada da primavera

O ovo era um presente bastante comum em várias culturas na antiguidade encontradas no Mediterrâneo, no Leste Europeu e no Oriente que o utilizavam para celebrar a chegada da primavera.

Com a chegada da primavera, muitos povos da antiguidade realizavam rituais de adoração à Ostara ou Eostre, deusa da primavera. Em algumas gravuras podemos encontrar a deusa pagã representada pela figura de uma mulher que segurava um ovo nas mãos tendo ao seu lado um coelhinho.

Esses três símbolos juntos, a mulher, o coelho e o ovo, representam (e reforçam) o ideal de fertilidade comemorado nas celebrações pelos pagãos. Dessa forma, a celebração ocorria anualmente com a chegada da primavera (ou do verão, já que antigamente o tempo era divido em apenas duas estações: verão e inverno, ao contrário dos dias atuais).

Ovo de Páscoa

Durante a celebração era comum representear com ovos desenhados com elementos que lembrassem alguma planta ou outro símbolo ligado à primavera ou eram cozidos juntamente com alguma raiz ou erva que serviam de corante natural.

Embora seja muito questionada a associação da deusa aos ovos e ao coelho como símbolos da Páscoa, em 1835 o folclorista e linguista Jacob Grimm traça essa conexão e que, de certa forma, pode até ser aceita.

A chegada da primavera representa a renovação e o renascimento. Assim, faz todo o sentido a associação, pois os coelhos representam a fertilidade e a rápida multiplicação, bem como os ovos, símbolo da vida.

Ovo de Páscoa decorado: comum anteriormente ao cristianismo

Os ovos decorados, pintados e coloridos, de acordo com registros históricos, é bem anterior ao cristianismo. Por exemplo, há mais de 60.000 anos, nos tempos pré-históricos, ovos de avestruz eram utilizados para carregar água. Já a mais de 5.000 anos, também foram encontrados ovos decorados em tumbas egípcias.

Assim, a história deixa bem claro que o costume de pintar, colorir e decorar ovos de animais não está relacionado ao cristianismo, mas é bem provável que esse costume muito antigo tenha se espalhado pela Europa e posteriormente para o mundo.

Os símbolos da Páscoa e a igreja

Mas por que os ovos, o coelho e a mulher passaram a serem símbolos da Páscoa? Simplesmente porque a igreja queria arrebatar um maior número de fiéis e decidiu adaptar algumas tradições antigas e símbolos religiosos a eventos cristãos.

Assim, durante o Concilio de Niceia, em 325 d.C., esses três símbolos passaram a fazer parte das festividades cristãs.  Após a inclusão, começaram a surgir vários ovos pintados com as imagens de Jesus Cristo e de sua mãe, Virgem Maria.

De ovos de animais a ovos de ouro

O ato de presentear com ovos pintados, que representava a nova vida que surgia, era tradição entre a população menos abastada. Já entre a nobreza, era comum nas comemorações da Páscoa presentear parentes com ovos de ouro cravejados de pedras preciosas.

Um exemplo disso é o famoso Ovo Fabergé. O Czar Alexandre III, em 1884, encomendou ao joalheiro oficial da corte imperial russa, Peter Carl Fabergé, um ovo para presentear a sua esposa, a Imperatriz Maria Feodorovna, contendo em seu interior uma surpresa, que ficaria a critério do joalheiro.

O ovo, em ouro, e que continha uma galinha em safira e ouro em seu interior, agradou muito à Imperatriz e, a partir daí, tornou-se tradição criar dois ovos anualmente para presentear as esposas e as mães dos membros da aristocracia.

E assim foi feito durante anos até a queda da família Romanov, durante a revolução russa, onde os ovos foram confiscados pelos bolcheviques e, posteriormente, acabaram se espalhando pelo mundo.

Ovo de Páscoa

Cacau e os ovos de chocolate

O cacau já era cultivado pelos índios, principalmente os astecas, no México, o os maias, na América Central onde suas sementes, consideradas tão valiosas, eram utilizadas por eles como moeda de troca.

De acordo com registros históricos, o cacaueiro, chamado de cacahualt, era considerado sagrado e de origem divina tanto que, solenes cerimônias religiosas acompanhavam o seu cultivo. Historiados também apontam ser esse o principal motivo do botânico Carolus Linnaeus, batizar a planta com o nome de Theobroma cacao, denominando-a “manjar dos deuses”.

A iguaria, até então um privilégio de maias e astecas, teve sua divulgação para a Europa (e posteriormente para o mundo) após a descoberta da América por Cristóvão Colombo.

Segundo historiadores, o primeiro ovo de chocolate surgiu depois do século XVIII após chegar ao outro continente, onde culinaristas franceses tiveram a ideia de esvaziar ovos de galinha, enche-los com chocolate derretido e decora-los por fora.

A tradição do Ovo de Páscoa de chocolate pelo mundo

A Páscoa tem uma simbologia toda especial em vários países. Na Bulgária, por exemplo, os ovos são pintados após serem abençoados na missa da quinta-feira Santa e distribuídos aos familiares e amigos.

Nos Estados Unidos, acontece a tradicional caça aos ovos, onde eles são cozidos, pintados e escondidos para que as crianças o encontrem.

Na China, a celebração chamada de Ching-Ming, leva milhares de pessoas aos túmulos de seus antepassados onde são oferecidos alimentos e doces.

Os mexicanos celebram a Páscoa de uma maneira bem simples sendo tradicional a encenação da Paixão de Cristo.

Na Índia, os indianos que seguem a religião hindu, promovem o festival Holi, que simboliza o surgimento do deus Krishna.

Já na Suíça, um dos países que tem um dos chocolates mais saborosos do mundo tem como tradição esconder coelhos de chocolate dentro de casa para que as crianças os encontrem.

Como podemos ver cada país tem a sua maneira de comemorar a Páscoa, mas sempre tendo como principal objetivo celebrar o renascimento e a vida.

About the author

yasmin