Medicina

Neurastenia: transtorno resulta do enfraquecimento do sistema nervoso central

Neurastenia

Pouco discutida no Brasil, a neurastenia é um dos piores distúrbios psíquicos que um ser humano pode enfrentar. Ele é considerado um grande impulsionador de problemas grafes que afetam o psicológico, como por exemplo a esquizofrenia, a depressão e o transtorno bipolar. Estas patologias, pela força que representam, sempre sobrepuseram a doença colocada em questão.

Pesquisas apontam que o volume de pessoas com neurastenia no mundo está crescendo constantemente. Aponta-se que entre 3 e 11% da população mundial pode ser considerada neurastênica. Os números são considerados mais impactantes, principalmente, na Ásia e na América do Norte. Os Estados Unidos apresentam o problema como preocupação nacional em diversas regiões.

O que é a Neurastenia

A neurastenia é um transtorno psicológico que não é profundamente explicado, mas que tem como principal característica o enfraquecimento do sistema nervoso. Em contrapartida, o corpo começa a demonstrar sinais de cansaço excessivo, esgotamento, fraqueza, dores de cabeça constantes e questões conturbadas emocionalmente. O problema passou a ser mais identificado após a Segunda Guerra Mundial, onde muitas pessoas apresentavam sequelas por conta dos combates realizados na Europa.

Mas apesar de ser um problema psicológico, é possível afirmar que também há uma série de fatores ambientais e genéricos que também podem contribuir para a evolução do problema. Pessoas com rotinas altamente estressantes ou problemas na família também desenvolvem a doença. Para realizar esta constatação, é fundamental contar com um diagnóstico especializado.

Psiquiatras e psicólogos podem avaliar a situação de forma mais direta, analisando os sintomas e detectando se outros fatores podem estar contribuindo para a evolução deste problema. A doença é muito parecida com o transtorno de ansiedade generalizada (TAG), tendo o diagnóstico confundido em diversos cenários. Por isso, é fundamental apresentar todos os detalhes do que está ocorrendo.

Para iniciar uma luta contra a doença, é fundamental que o paciente comece a reestruturar a própria vida. Isso inclui a mudança de uma série de hábitos alimentares e uma rotina de exercícios, cortando alimentos com gorduras. O acompanhamento psicológico alinhado a atividades físicas pode fazer grande diferença na perspectiva de vida, principalmente se houver medicação.

Neurastenia

Sintomas da Neurastenia

Existem uma série de questões que podem identificadas na vida de quem está enfrentando a neurastenia. Um dos principais pontos é a forma como a pessoa lida com a própria rotina, nutrindo aborrecimentos e mágoas. Se a pessoa dorme mal, também já é necessário obter uma atenção a mais. Outras atitudes são alarmantes, como o consumo exagerado de bebidas alcoólicas.

Entre os fatores mais fáceis de serem percebidos, também podemos destacar as decorrentes dores no corpo, dores fortes de cabeça, esgotamento físico e mental, pressão e peso na cabela, aumento da sensibilidade, tonturas constantes, alterações severas na rotina do sono, zumbidos nos ouvidos, e cansaço excessivo, comprometendo qualquer atividade profissional e pessoal.

Outros fatores também são altamente marcantes na identificação da doença, como o desenvolvimento de ansiedade, depressão, formigamento de membros com constância, dormências, dificuldades para concentração e mais dificuldade ainda para aderir a um momento de lazer. Desta forma, é como se o paciente estivesse se torturando o tempo inteiro por não conseguir render em nenhum momento.

Diagnóstico

Após consultar um profissional da área, será possível analisar se há a possibilidade de um diagnóstico de neurastenia. O psicanalista ou psicólogo fará uma avaliação profunda sobre cada sintoma apresentado, além de questionar se outros problemas também podem estar presentes. Outra doença que também é facilmente acrescentada é a síndrome do pânico, que possui sintomas parecidos.

O profissional também será responsável pela realização de testes psicológicos. Por meio deles, será possível identificar o diagnóstico com uma velocidade maior ainda.

Grande maioria das informações estará baseada em quanto tempo a pessoa já está sentindo todos os sintomas. Caso seja um tempo superior a três meses, serão grandes as chances de constatar a doença. Mas é fundamental não tirar conclusões antes de conversar com um profissional especializado.

Neurastenia

Tratamento

Além da terapia constante, é fundamental que o profissional da área que está te acompanhando encontre o ponto de partida. É comum que exista uma causa para o desenvolvimento da neurastenia, já que fortes desgastes físicos e emocionais afetam diretamente o sistema psicológico. A partir daí, é possível encontrar soluções para que a pessoa possa ter uma vida mais tranquila.

Entre as supostas medidas para a melhora dos pacientes, estão inclusas uma melhoria na organização pessoal e profissional, atividades que sirvam para que a pessoa possa elevar a autoestima e a confiança, atividades físicas para que o corpo possa se movimentar e obter novas sensações e, por fim, atividades que incentivem o autoconhecimento e o relaxamento, como é o caso da yoga.

Caso o paciente esteja enfrentando um estágio extremamente avançado do problema, é possível que ele receite antidepressivos em um primeiro momento. Este medicamento é responsável por produzir e liberar um bom número de hormônios que poderão auxiliar em melhores sensações paras o paciente. Mas é fundamental focar nas quantidades prescritas via receitas, evitando qualquer tipo de negligência ou exagero.

Evitando o desgaste

Mas outro fator importante a ser citado também envolve a prevenção do problema. Evitar rotinas estressantes, cortar situações que te desgastam e abraçar as atividades físicas no dia a dia podem ser atitudes fundamentais para a saúde. Por meio destes caminhos, é possível que uma pessoa evite a formação da doença. Dessa forma, será possível manter uma vida muito mais tranquila e saudável.

Se você não quer ter problemas relacionados ao desenvolvimento da neurastenia, também é muito importante ficar de olho na alimentação. Você precisa equilibrar todos o nutrientes e fibras, consumindo muitos legumes, frutas e verduras. Alguns itens devem ser evitados, como cigarros, comidas gordurosas e bebidas alcoólicas. A nicotina, inclusive, é uma das grandes responsável pela potencialização da ansiedade.

Os hormônios responsáveis pela sensação de bem estar estão diretamente ligados ao condicionamento físico. Por isso, preze pela movimentação do corpo em todas as oportunidades que conseguir. Até porque este fator também vai ajudar na potencialização do relaxamento, que também está diretamente ligado a este fator. É preciso apostar em atividades físicas regulares para não ter problemas com a neurastenia.