Uncategorized

Significado de ignorante: entenda essa palavra

A palavra ignorante é amplamente utilizada nas mais diversas regiões brasileiras. Sua aplicação, contudo, pode variar dependendo da circunstância, e é justamente esse tipo de comportamento quanto ao seu uso que acaba por gerar confusão na mente de muita gente.

Para explicar de uma vez por todas o assunto então, preparamos aqui um apanhado completo sobre o termo, onde esclarecemos desde a definição até os usos mais comuns na língua portuguesa. A partir desse conteúdo você será capaz de aplicar adequadamente a palavra tanto na linguagem falada quanto escrita. Confira!

Definição de ignorante

Por padrão, dentro das regras da língua portuguesa a palavra ignorante é considerada um substantivo de gênero duplo, ou seja, de dois gêneros. Sua origem vem do termo latim ignorante, cuja grafia é exatamente igual.

Agora, em relação ao significado, um equívoco comum à grande parte da população é considerar que o termo originalmente é atribuído somente a pessoas rudes ou desprovidas de cordialidade.

Embora com o passar do tempo esse tipo de interpretação tenha se popularizado – e consequentemente seja incluída em muitos dicionários – a verdade é que originalmente seu significado vai além, conforme você confere a seguir.

Significado de ignorante

De maneira simples e direta, podemos definir que ignorante diz respeito à pessoa que ignora algo ou alguém. Isso pode ser feito tanto de maneira deliberada quanto inconsciente, ou seja, por falta de oportunidades e/ou interesse.

Na prática, portanto, trata-se de um termo corretamente aplicado aos casos de pessoas sem instrução, ou seja, que não têm conhecimento sobre determinado assunto. Exemplo: Gustavo precisa adquirir ao menos uma noção básica sobre geografia, é um completo ignorante.

O exemplo mencionado retrata o caso de uma pessoa que é totalmente leiga em geografia, ou seja, ignora completamente as regras e padrões do tema. Diante disso, portanto, podemos dizer que em sua essência, ignorante é sinônimo de inculto, ignaro, néscio, imperito, estúpido, dentre outros.

Dentro de um contexto mais abrangente, também pode-se considerar que a palavra diz respeito a alguém que acredita ser dono da verdade absoluta e deliberadamente ignora qualquer opinião contrária. Exemplo: Saulo é muito ignorante, nunca admite estar errado.

Nesse âmbito, portanto, o termo passa a ter relação direta com orgulho, arrogância e prepotência, ou seja, a pessoa não se permite mudar de opinião por acreditar que não precisa considerar outras verdades que não aquelas nas quais acredita.

Por último, mas não menos importante, a palavra também pode ser utilizada de modo a identificar uma pessoa rude e grosseira. Todavia, é importante dizer que em sua essência, esse tipo de atribuição é considerada por muitos como uma consequência dos significados mais comumente aceitos.

Não entendeu? Pois bem, nós explicamos. Tanto no caso da pessoa que é ignorante por não ter recebido a instrução adequada, quanto no caso da pessoa que não aceita ouvir a opinião alheia, a reação do indivíduo sobre determinados assuntos pode soar rude e grosseira.

Isso normalmente é comum em discussões mais acaloradas sobre assuntos polêmicos. Nessas circunstâncias normalmente alguém eleva o tom da discussão e muitas vezes é considerado estúpido, ríspido. Como consequência disso eventualmente é chamado de ignorante.

Na teoria essa aplicação do termo não está errada, todavia, diz mais respeito à consequência de ser ignorante que ao ato de ser rude e grosseiro propriamente dito.

Outros detalhes importantes

Além de tudo o que já foi dito a respeito da palavra, é importante ressaltar que isso ainda não é tudo. Diferente do que muitos acreditam, ignorante nem sempre é aplicado em contextos de caráter pejorativo como os que foram exemplificados até aqui.

Algumas vezes, por exemplo, o termo também pode se referir a pessoas que são inocentes e/ou ingênuas. Nesse caso, portanto, diferente do que foi dito anteriormente, temos uma distinção em tomar uma ação na ignorância e tomar a ação por ignorância.

No primeiro caso, a ignorância do indivíduo tende a ser relevada quando percebida que se trata de uma ação involuntária, ou seja, tomada por pura limitação do saber. Já no segundo caso, a ação do indivíduo tende a ser mal vista por se tratar de uma ação incivilizada derivada de uma postura prepotente.

É importante citar ainda que, em sua definição em inglês (ignorant) o significado também abrange a aplicação aos casos de pessoas que baseiam suas vidas em superstições, preconceitos e outras ideias infundadas.

A percepção é a de que nesse caso a pessoa acaba se isolando em um mundo falso criado apenas em sua mente e que por consequência a afasta da realidade do mundo a qual pertence de fato. Nesse âmbito o indivíduo também acaba sendo impedido de ver e aceitar verdades e buscar conhecimento além daquelas verdades que estabeleceu em sua imaginação.

Essa interpretação nos leva a refletir sobre uma importante frase de Aristóteles, um renomado filósofo grego conhecido por sua maneira lógica de pensar. A frase em questão é: “O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflete”.

Com essa simples afirmação ele conseguiu estabelecer uma verdade que até os dias atuais é considerada por muita gente: a dúvida é chave para o conhecimento. Isso é amparado naturalmente pela lógica por trás das palavras em si, ou seja, o que o contexto representa.

O princípio é o de que a dúvida leva à busca pelo conhecimento, que por sua vez leva à reflexão quanto ao sentido do que foi estudado. Somente depois desse processo é possível sentenciar de maneira embasada uma verdade, o que naturalmente leva à formação de um pensamento sobre determinado assunto.

Isso não quer dizer, porém, que uma vez definida uma opinião o indivíduo tenha que se fechar para novas possibilidades e ponderações futuras, muito pelo contrário, até porque, isso certamente seria também se tornar ignorante.

Como você pôde perceber então, a palavra ignorante é sem sombra de dúvidas muito mais abrangente do que a maioria das pessoas imagina. Todavia, esperamos que agora seja possível entender como e quando aplicar em cada circunstância adequadamente.

Sinta-se à vontade para compartilhar esse conteúdo e espalhar a palavra, contribuindo assim com um mundo menos ignorante, ao menos no que diz respeito à aplicação desse termo em particular.