Geral

Guirlanda: o que é e de onde surgiu?

Em época de Natal é comum ver alguns enfeites específicos ao nosso redor. A guirlanda é um deles que está sempre nos encantando. Mas será que você realmente sabe o que é esse objeto e para que ele serve?

Pode não parecer inicialmente, porém mesmo esse objeto tem uma tradição milenar. Não é algo apenas decorativo e serve para fins religiosos. Portanto, é comum que você encontre em várias casas no Brasil, porque fomos criados em determinada cultura.

Nossa cultura não é baseada nos valores budistas, e sim nos cristãos. Então, a guirlanda começa a ter relação com essa religião desde a Idade Média. Infelizmente, a tradição é mais antiga e nem todos sabem disso.

Descubra hoje algumas curiosidades sobre a guirlanda, você irá se surpreender!

O que é a guirlanda?

Pode ser que você não saiba exatamente o que é uma guirlanda, por esse motivo, a matéria irá te explicar do que se trata esse objeto. É aquele círculo de flores artificiais que fica pendurado em nossa porta com algumas bolinhas, papais noéis, bonecos de neve, etc.

Esse círculo enfeitado pode ter diversas cores e tamanhos. Em alguns países, em Dezembro, contemplados com o solstício de Verão, a decoração pode seguir um tema mais tropical. Contudo, no geral, são utilizadas referências aos pinheiros, pinhas e outras plantas comuns do Norte do globo terrestre.

O que muitas pessoas não sabem é que a guirlanda tem uma origem pouco cristã. Seu significado é muito bonito e a maioria das pessoas acaba praticando esses atos sem saber. Desse modo, é melhor entender como funciona exatamente esse objeto para deixar de usar apenas como decoração.

Afinal, usar um objeto tão poderoso e significativo como ornamento, é desrespeitoso para a cultura original. E não se preocupe, os valores e as crenças da origem da guirlanda nada tem a ver com adoração ao demônio, como algumas pessoas insistem em afirmar.

Guirlanda

A origem da guirlanda

Ainda que não tenha nada a ver com o termo etnocentrismo, a origem de um objeto está conectada com o estudo da Antropologia. Isso ocorre porque se refere a determinados valores humanos e faz parte de uma dada cultura.

Esses valores culturais são estabelecidos socialmente e podem se alterar ao longo do tempo. O caso da guirlanda é justamente esse, que expandiu seus conhecimentos ao longo do globo. O problema dessa chamada globalização da cultura é que alguns aspectos podem acabar se perdendo.

Desse modo, também é comum que muitas mentiras e equívocos surjam em torno da origem de determinado objeto. Já foi dito anteriormente que algumas pessoas insistem em afirmam que a guirlanda é algo que se refere ao demônio. Portanto, o uso desse objeto seria a adoração do mal em si, o que não é verdade.

Na realidade, a guirlanda é utilizada pelo cristianismo porque essa religião foi influenciada por valores mais antigos ainda. Isso mesmo, esse objeto tão comum no Natal surgiu muito antes mesmo do Natal como o conhecemos hoje.

Em civilizações mais antigas, como a grega, as pessoas utilizam guirlandas na entrada de suas casas em forma de respeito. Era uma espécie de chamamento aos Deuses para dar as boas-vindas. É sinal de respeito muito forte na cultura.

Na Roma Antiga, o adorno já tinha outro significado, que era o voto de saúde. Assim sendo, utilizar as flores nesse formato significava que aquela casa pedia por saúde para seus moradores.

O que entendemos desse objeto hoje?

O que ocorre no caso da guirlanda, e de diversos outros objetos, é que acabaram por esquecer seu real significado. Quando o cristianismo se estabeleceu no mundo em detrimento de outras religiões e se apoderou de alguns objetos para sua cultura, muita coisa mudou.

A guirlanda que antes era utilizada como um tipo de amuleto para dar sorte, saúde e cumprimentar os Deuses de maneira respeitosa, virou um simples ornamento. O mesmo ocorre com a árvore de pinheiro utilizada no Natal ou na estrela que fica em seu topo. Isto porque é a junção de outras culturas sem o devido respeito pelas crenças delas.

Dessa maneira, a próxima vez em que você decidir enfeitar a sua casa com uma guirlanda, lembre-se de sua origem. O seu significado é muito bonito e não deve ser esquecido ou deixado de lado por influências de outra cultura.

Tente, também, pesquisar a origem real de outros objetos utilizados para fins decorativos. Você entenderá que nem todos são cristãos e que os seus significados são interligados com a cultura que os criou. Desse modo, o ideal é utilizar com respeito e não apenas como um mero ornamento sem significado nenhum.

Guirlanda

Não significa traição com a religião

Continuar a utilizar esses objetos sagrados para outras culturas e entendendo seu significado não é uma forma de traição. Pode ser que muitas pessoas afirmem que esse ato seja pouco cristão ou afirmem ser bruxaria. Não é o caso da guirlanda e demais objetos presentes no Natal.

Isso ocorre porque o próprio cristianismo incorporou esses valores na religião. A guirlanda na porta é um chamamento para Deus e Jesus nessa noite tão especial, bem como um pedido de saúde para todos aqueles que são fiéis a eles. A religião cristã só não lembra a verdadeira origem do objeto, e é justamente isso que você deve saber.

Dessa maneira, a sua religião não será traída de maneira alguma e o respeito pelo seu Deus ainda permanecerá. O que você fará agora, é respeitar o objeto e saber de sua origem, respeitando-a. Nesse ato, você garante que não utiliza em vão os objetos que estão ao seu redor como um todo.

Assim, especialmente objetos influenciados pelo cristianismo acabam por perder suas características originárias, ainda que sejam muito bonitas e respeitosas. O caso da guirlanda é justamente esse, por esse motivo que o ideal é respeitar a cultura através de um processo muito simples e conhecido. Na época de Natal, procure você mesmo montar o objeto e ali colocar os seus desejos de saúde e boas-vindas.

Essa é uma maneira de manter o respeito com a antiga tradição da guirlanda. E, também, não desrespeita nenhuma crença atualmente. Ao juntar o melhor desses dois mundos, você se torna uma pessoa mais empática e respeitosa.

About the author

yasmin