Tecnologia

Wi-fi: O que é? Como surgiu a internet sem fio?

Talvez você já deva ter ouvido falar de Wi-Fi. No entanto, muitas vezes esta expressão passa batida e não nos atentamos em saber exatamente o que ela significa e sim, somente entendemos seu significado prático. Portanto, no artigo de hoje, você vai entender o que é Wi-Fi de maneira simples e prática. Acompanhe o texto.

Wi-fi: O que é? Como surgiu? Como funciona?

A primeira coisa que muita gente associa ao Wi-Fi é: internet sem fio. E não está errado. No entanto, existem outros conceitos maiores do que simplesmente este. E é por isso que preparamos este artigo, para explicar de uma maneira mais ampla o que esta tecnologia incrível oferece. Acompanhe.

Como surgiu a Wi-Fi?

A Wi-Fi é uma abreviação para a expressão “wireless fidelity”. Assim sendo, em uma rápida tradução: fidelidade sem fio. Ou seja, conexão em qualquer lugar.

Assim sendo, a Wi-Fi foi fundada pela Wi-Fi Alliance que é um grupo empresarial responsável por distribuir a tecnologia. Esta novidade chegou para as empresas apenas em 1999. Entretanto, seu surgimento oficial foi em 1997 a partir da criação do famoso IEE 802.11.

A partir daí, a tecnologia foi crescendo sem parar. Estima-se milhões de pontos de acessos espalhados pelo mundo. Estes pontos de acesso são chamados de hotspots.

Principalmente com a ascensão de smartphones no mundo, a Wi-Fi não só se tornou custo benefício, mas também, como praticamente uma obrigação em qualquer lugar que a gente frequente.

Tanto é que hoje em dia, já se encontra Wi-Fi em locais públicos, como shoppings ou praças de lazer na cidade. As vezes a conexão não é das melhores, mas, sabemos que é um avanço e logo versões melhores estarão disponíveis.

Wi-fi

Como funciona a Wi-Fi?

A Wi-Fi é um ponto de conexão a partir de um hotspot instalado em algum local. Este hotspot é quem decidirá o raio de alcance da conexão. Ou seja, quanto melhor o ponto de acesso com relação ao alcance, maior será o raio de sinal e mais benéfico será para o consumidor.

Assim sendo, podemos iniciar o entendimento do seu funcionamento técnico. Através da emissão de ondas eletromagnéticas que funcionam de formas específicas, o sinal do Wi-Fi é transmitido e distribuído.

Diversos estudos foram feitos para a melhor implementação de frequências nos pontos de acesso. Começou com uma frequência de 2,4GHz, que comportavam um alcance de cerca de 2 mb/s.

Após esta primeira implementação, a tecnologia foi se desenvolvendo juntamente com marcas de hotspots. Desta forma, o segundo padrão foi criado e denominado de 802.11b. Este, por sua vez, alcançava maiores taxas de transmissão, que comportavam cerca de 11 mb/s.

Após se tornar popular, foi constado outro problema no 802.11b: alta interferência de sinal com aparelhos tipo microondas.  O que dificultou a maior penetração do produto no mercado.

Após mais testes, uma nova versão foi então construída, suportando ainda mais taxa de transferência: 54 mb/s. Embora o problema de interferência tenha sido resolvido, ela era absurdamente cara. O que fazia não valer a pena para o consumidor e então, ela caiu em desuso logo.

Foi somente em 2003 que foi implementada então a 802.11g. Esta nova tecnologia, por sua vez, voltava a operar em baixa frequência: 2,4ghz. Porém, conseguia transmitir a mesma quantidade de mb/s que a última forma de conexão lançada, o que era extremamente benéfico para o mercado e para o consumidor de uma forma geral.

Wi-fi é de graça?

Da mesma forma que muita gente associa a Wi-Fi apenas a internet, há quem considere o termo Wi-Fi sinônimo de internet de graça. Embora a expressão caia no dito popular de uma forma muitas vezes distorcida, é importante deixar claro que não necessariamente este termo significa internet de graça.

Como já explicamos anteriormente, o termo Wi-Fi nada mais é do que uma sigla que identifica uma tecnologia de conectividade sem fio. Todos podemos ter um hotspot ou roteador (como preferir) dentro de casa. E cabe a nós entender se vamos deixar a internet sem nenhuma senha para todos usarem, ou bloqueá-la para uso.

Algumas empresas públicas e privadas já fornecem a Wi-Fi de forma gratuita em determinados lugares. As vezes pedindo apenas para o cliente fazer check-in no local para poder usá-la de forma grátis. Em outras alternativas, é aberta para qualquer um, bastando conectar o sinal e usar.

Assim sendo, é entendível porque o conceito acaba sendo um pouco distorcido da realidade. Mas, Wi-Fi não necessariamente é de graça e, caso for, você saberá através de sinais indicativos nos estabelecimentos que você frequenta.

Wi-fi

Wi-Fi é segura?

Esta é mais uma pergunta muito feita por utilizadores do serviço. Desta forma, sim, Wi-Fi é segura. Ela apenas é uma forma de transmitir dados para os seus equipamentos. Assim como um cabo conectado tem a mesma função.

No entanto, é importante deixar claro que conexões fora da sua casa requerem um pouco mais de atenção. Sempre tome cuidado em quais redes você irá conectar seu celular ou computador. Certifique-se de que seja um local com procedência e não conecte em qualquer sinal que aparecer, pois você pode sim correr o risco de ter suas contas acessadas e senhas descobertas. Todo cuidado é pouco.

Curiosidades sobre a Wi-Fi

  • O Wi, da sigla Wi-Fi, remete-se a “wireless”. Em inglês, “sem fio”.
  • As ideias de Wi-Fi iniciaram com uma atriz de Hollywood. Hedy Lamarr além de atriz, era inventora. Ela patenteou a ideia de comunicação via rádio o que, anos mais tarde, vinha a se tornar a internet sem fio, de certa forma.
  • Em 1971, as empresas NCR e AT&T testaram uma tecnologia que trocava dados de maneira sem fio, chamada de WaveLAN.
  • Embora muito útil, as redes Wi-Fi são muito suscetíveis a interferências. Seja eletrônica ou física, como paredes.
  • Números maiores não significam necessariamente a melhor opção. Por exemplo, 5GHz é mais veloz. Mas, 2.4GHz tem muito mais alcance.
  • Wi-Fi não foi o primeiro termo utilizado para a tecnologia. Outros surgiram, como DragonFly, WECA, FlankSpeed, WaveLAN e até mesmo o nome técnico, IEEE 802.11b.
  • Estima-se que existam mais de 50 bilhões de aparelhos estejam operando no mundo até o ano de 2020. É muita conectividade!

Outros significados:

About the author

yasmin