Língua Portuguesa

Sarcasmo: a importância de entender essa figura de linguagem (e exemplos)

Sarcasmo

Sabe o que acontece quando você não entende o que é sarcasmo, quando é empregado com você? Faz papel de ignorante, trouxa, de que zombam da tua cara e nem percebe. Velho, então se você não sabe o que é sarcasmo, parabéns, realizou um feito, faz parte da geração mais idiota da história.

Opa, o que foi isso? Um exemplo de sarcasmo. Não notou? Foi agorinha, a última frase.

“Aquela que chamou o eventual leitor que não sabe o que é sarcasmo de idiota?”

Sim, exato! Reparando que não foi só o eventual leitor que não sabe o que é sarcasmo que foi classificado como idiota, mas também toda a sua geração. Mas não poderíamos esperar de alguém que não sabe o que é sarcasmo elencar todas as informações de forma correta, afinal, do contrário, não seria um idiota, nós é que seríamos.

Viu, só? De novo. Mais uma vez o sarcasmo foi usado.

Sarcasmo seria, então, simplesmente insultar as pessoas?

É e não é.

Não é bem assim.

Vamos destrinchar a terminologia, a origem do termo sarcasmo, para compreendemos melhor do que exatamente trata.

Quer saber de uma vez por todas o que é sarcasmo? prossiga na leitura. A menos que seja um idiota.

A origem grega

Examinando o vocábulo que derivou o termo na qual o conhecemos hoje, o grego “sarkasmos”, que por sua vez provêm do verbo “sarkáizen”, notamos que o sentido, o significado dessas palavras é algo como “queimar a carne”.

Pode parecer não ter muito sentido com a forma que é empregada hoje. Ninguém diz “vou fazer um sarcasmo e temperar com limão”. Mas se analisamos o efeito que o uso do sarcasmo provoca nas pessoas atingidas, essa significação passa, sim, a fazer sentido.

Sarcasmo

Sarcasmo: conceitualmente

Sarcasmo de fato é uma provocação, tem esse objetivo de zombaria, uma figura de linguagem que busca externar, sejam em gestos, palavras ou textos, desprezo por determinada pessoa ou situação. Contudo, ao contrário do insulto, do xingamento puro e simples, direto, o sarcasmo se vale de recursos de retórica, de oratória, de escrita que mistura dose ácida de humor e construção de frases inteligentes, sagazes, perspicazes e ferinas, exige um pouco mais de tutano para elaborar a crítica contundente do que apenas mandar fulano tomar naquele lugar.

É uma critica incisiva, provocativa, só que mais sofisticada, requintada, melhor desenvolvida do que o insulto banal e copioso.

Alguns exemplos de sarcasmo

Acima usamos o recurso da metalinguagem para exemplificar no próprio texto dedicado para tratar do tema, sem aviso prévio ao leitor, o emprego do sarcasmo.

Mas há outros exemplos de frases e que são clássicas sobre o assunto:

“Não há homem fiel, apenas homem sem oportunidade”.

“Ao avistar a luz no fim do túnel, tenha certeza que não é o trem se aproximando”.

“Não é preciso de muito para odiar esse governo, apenas um pouco de lucidez e umas pitadas de decência”.

“Tenho tanta confiança em pastor de igreja quanto na defesa do XV de Piracicaba”.

“A minha crença quanto ao moralismo das pessoas ditas ‘de bem’ é proporcional a minha credulidade quanto as renas voadoras do Papai Noel”.

“Eu adoro dias de eliminação no Big Brother. Sempre me dá a esperança de que vão colocar a opção de eliminar o programa”.

“Adoro ler a sessão de obituário nos jornais. Sempre há a possibilidade de se deparar com uma agradável surpresa”.

“Fulano de tal ainda não morreu? Alguém precisa matá-lo”.

“Se alguém jogar um livro na casa do presidente da república, ele agradecerá aos céus por não precisar mais de papel higiênico”.

“Toda vez que o presidente da república abre a boca, um Nobel é abortado”.

“A língua portuguesa sofreu nova atualização. ‘Babaca’ virou sinônimo de Neymar Jr”.

“Sempre me perguntei por que a Bruna Marquezine recebe tanto destaque. Pesquisando a fundo o assunto, descobri que a imprensa fica fascinada por, tirando a beleza, não haver absolutamente nada de especial nela”.

Sarcasmo

Diferença com ironia

É comum as pessoas fazerem confusão de sarcasmo com ironia, pois são figuras de linguagem com funções parecidas, mas há diferença entre elas.

Vimos que sarcasmo é uma forma de provocação, deboche, insulto, injúria que usa de artifícios de oratória, textuais e cênicas para elaborar uma contrariedade mais refinada, desenvolvida, trabalhada, contendo alta dose de humor com crítica contundente.

Já a ironia, apesar de também se valer de humor, não opera de modo tão explícito como o sarcasmo.

É um comentário escrito ou oral que busca apontar exatamente o oposto daquilo que é expressado. Por exemplo:

“Pobre sempre fui, mas nesta semana estou de parabéns”.

Então nos deparamos com diferença crucial:

Sarcasmo, apesar de recorrer a artifícios sagazes e espirituosos para demonstrar o ponto de vista contrário e provocador, não mede palavras, é bem explícito quanto a sua crítica.

Já a ironia usa de meio mais velado, não diz claramente a causa do descontentamento, da discordância, mas busca apontá-la com frases que significam exatamente o oposto do que se pensa, perceptível graças ao leve tom de deboche contido na pronúncia das sentenças com carga irônica.

Uma boa frase de definição tanto de ironia como de sarcasmo é essa: humor como escudo é ironia, como arma é sacarmos.

Outros tipos de figuras de linguagens

Agora que se sabe distinguir sarcasmo de ironia, é interessante conhecer outros recursos de linguagens para garantir que não haja confusão entre termos e conceitos.

Metáfora

Técnica de modificar o sentido de uma palavra para um sentido figurado. Exemplo: “Gosto de doces, logo sou uma formiga”.

Aliteração

Figura de linguagem que ocorre quando há repetição de sons nas consoantes.

Catacrese

Ocorre quando um objeto ou parte de um objeto ainda não tem um nome adequado para se nomear. Para suprir essa carência costuma se utilizar um termo já existente, mas fora de seu contexto habitual.

Alguns exemplos:

“Braço da cadeira”, “pés da mesa”.

Anacoluto

São as chamadas frases quebradas e isso se deve a interrupção de frases para se fazer observações.

Gostou deste conteúdo sobre sarcasmo?

Então curta, compartilhe, avalie, opine.

Seu apoio e sua opinião são muito importantes para nós.

Leia mais de nossa sessão de língua portuguesa.