Filosofia

Definição de ceticismo: entenda seu significado de uma vez por todas

Sem dúvida (e sem trocadilho), é agora que você vai poder entender o que é o ceticismo. Neste artigo, vamos abordar seu significado, os pensamentos filosóficos e quais são as ideias defendidas pelos céticos.

Você está cético quanto a tudo isso? Vem com a gente, e ainda leve na sua bagagem cultural, mais informações sobre a origem, crenças e as principais correntes filosóficas ligadas ao ceticismo!

Definição de ceticismo

Por definição, sabemos que ceticismo é uma corrente de pensamento ligada à filosofia, com o princípio de defender a ideia de impossibilidade de todo conhecimento sobre a verdade.

Criado pelo filósofo Pirro de Élis, ainda na antiga Grécia, em geral esta filosofia rejeita toda e qualquer afirmação considerada verdadeira, embora não apresente comprovação alguma.

Origens do ceticismo

Podemos dizer que ceticismo é quase um modo de vida, uma forma de se duvidar de tudo e de todos.

Fundado em torno de 272 a.C., essa filosofia fundada por um filósofo grego nos propõe que qualquer base de afirmação e conhecimento do homem não consegue atingir a em cheio a verdadeira certeza sobre um conhecimento específico ou mesmo uma determinada verdade.

Como os seguidores do ceticismo questionam tudo e qualquer coisa apresentada como sendo a verdade, não admitindo a existência de fenômenos metafísicos ou religiosos, eles usam o pensamento crítico e métodos científicos para tentar comprovar o quão verdadeiro são as muitas das teses existentes.

Ideias e crenças

Ainda de acordo com os seguidores do ceticismo, todo conhecimento é apenas algo relativo. Assim, como as leis, costumes, regras e visões do mundo mudam a cada período da história, os céticos acreditam na impossibilidade de se estabelecer o que é correto e incorreto, o real e o irreal.

Portanto, os adoradores do ceticismo procuram defender a ideia de que é necessário assumir uma postura neutra em todas as questões. Sem fazer julgamentos, todo cético acaba por defender também a indiferença total.

Veja também:

Assim, o termo ceticismo chega a designar uma atitude negativa de pensamento. Desse modo, os céticos podem ser vistos como espíritos hesitantes e até tímidos, pessoas que não dizem nada sobre nada, vivendo e se defendendo com críticas.

Outra forma vista sobre os céticos é que eles fazem parte de uma escola de negação. Na verdade, o ceticismo chega a vetar toda e qualquer posição decidida, começando pela ideia de que se pode afirmar sabemos apenas uma coisa: a de que nada sabemos!

Mas para você compreender mais a fundo o ceticismo, é preciso entender em que consistia o ceticismo antigo. Com muita história e informação, vem com a gente, e descubra ainda por que ele tem sido ignorado!

As correntes do ceticismo

Ceticismo filosófico

Com origens na filosofia grega, o ceticismo filosófico consistia numa negação da validade fundamental de algumas teses e até mesmo certas correntes filosóficas.

Este tipo de corrente implica na atitude de duvidar de qualquer noção de conhecimento ou verdade absoluta. Vale lembrar que o ceticismo filosófico acabou por se impor a correntes como o Dogmatismo e o Estoicismo.

Ceticismo absoluto e relativo

Como era se esperar, o ceticismo também apresenta certos níveis de intensidade. Analisando o próprio nome, o ceticismo absoluto revela que é impossível conhecermos a verdade pelo simples fato de que nossos sentidos nos enganam.

Criado por Górgia, para esse ceticismo tudo é considerado uma grande ilusão. Mas, por um lado menos radical, já o ceticismo relativo não chega a negar tão cegamente as possibilidades conhecermos a verdade.

Ele nega em parte essa possibilidade de conhecimento, ao mesmo tempo em que admite existir certas chances. Vale lembrar que o ceticismo ainda apresenta algumas linhas paralelas, como o relativismo, pragmatismo, subjetivismo e o probabilismo.

Ceticismo e dogmatismo

De acordo com renomados filósofos, o ceticismo é fazer oposição aos dogmas. Entretanto, ele chega a indicar a crença numa verdade totalmente indiscutível e absoluta.

Assim, o ceticismo é originário das atitudes de dúvidas em relação a verdades e até a própria capacidade de se solucionar, de uma vez por todas, as eternas questões filosóficas.

Ceticismo religioso

Como não poderia deixar de ser, em geral, ceticismo é ter atitudes opostas a qualquer tipo de fé. E, nesse caso, entra o ceticismo religioso, que levanta dúvidas sobre a cultura e tradição religiosa e questiona qualquer ensinamento e noção disseminada por religiões.

Ceticismo científico

Como definição, o ceticismo científico implica numa forma de pensar direcionada pelo método científico. Isso significa questionar toda a verdade de teses e hipóteses científicas, apresentando argumentos definitivos que a neguem ou a comprovem.

Os céticos do ceticismo cientifico são os que costumam questionar as crenças com base apenas pelo entendimento científico. Com a grande parte dos cientistas sendo céticos, eles procuram testar a confiabilidade de alguns tipos de afirmações executando investigações de fundo sistemático.

Como resultado, o ceticismo científico serve como a defesa dos crédulos perante explicações sobrenaturais e até contra possíveis ações de charlatanismo! Mas, apesar do uso de métodos científicos e pensamento crítico, essas ferramentas não são usadas constantemente.

Vale ressaltar, ainda, que a necessidade dessas evidências cientificas para suportar teorias é bem comum na área da saúde. Pelo simples fato de que, ao se utilizar técnicas sem avaliação adequadamente científica, os riscos superam seus benefícios e podem levar até à morte.

Por isso que no Brasil é vedada a utilização de algumas práticas que não sejam reconhecidas oficialmente.

Para citar um dos céticos científicos mais conhecidos, o astrônomo Carl Sagan dizia que devemos manter a mente sempre aberta, mas não aberta a ponto de fazer o cérebro cair! Mas a intolerância a esse tipo de ceticismo também traz muito preconceito.

Constantemente, os céticos científicos recebem acusações de possuírem uma mente fechada demais, o que pode inibir progressos na área da ciência por demandarem exigências demais sobre as questões de evidências válidas.

Em resposta, seguidores do ceticismo científico têm o argumento de que essas críticas são provenientes dos adeptos de algumas disciplinas não reconhecidas pela ciência. Aqui eles enquadram atividades como o reiki, a homeopatia, o espiritualismo e a paranormalidade.