Tecnologia

O que é mp3? O que significa essa sigla?

Tudo bem que os serviços de streaming chegaram com tudo. Mas sabia o formato mp3 ainda é a forma preferida de muitos adeptos da música digital?

Bem depois do LP, fitas K7, mas antes do streaming, o mp3 também deixou sua marca pela forma como revolucionou o compartilhamento digital de música. Quer saber mais?

Desde suas origens até os aplicativos para a reprodução dos arquivos mp3, venha curtir nosso artigo no volume máximo!

Apresentando o mp3

Pelo celular, carro, computador e até mesmo por pen-drive, seus arquivos mp3 rolam de boa. É dar play, que a festa começa!

Mas vamos entender um pouco mais sobre o formato mp3, suas vantagens, como funciona e como ele mudou a forma com que você ouve arquivos de áudio.

Como já dissemos, o mp3 revolucionou, de diversas formas, a música na internet. Bom, a tão reverenciada sigla tem origem na nomenclatura “MPEG Audio Layer-3”.

Essa outra combinação de siglas nada mais é do que o formato que permite a você ouvir músicas digitais com excelente qualidade, o que o elevou o mp3 a se destacar como o principal formato de áudio em geral.

Nos dias de hoje, comprar, trocar e ouvir música é fazer uso desse formato de arquivo. Claro que ele fez (e faz) parte da vida de milhões de pessoas por ser uma tecnologia que permite seu compartilhamento por toda a web.

Atualmente, com o grande número de dispositivos móveis conectados à grande rede, o mp3 se tornou uma tecnologia controversa.

Isso por que, ao mesmo tempo em que as músicas ficaram fáceis de serem compartilhadas as grandes gravadoras perderam o monopólio e poder de comercializá-las, incentivando até uma pirataria desenfreada.

Tudo isso gerou um cabo de guerra com inúmeras ações judiciais.

As origens do mp3

Ele surgiu no ano de 1987, na Alemanha. Foi quando o Institut Integrierte Schaltungen (ISS) começou a trabalhar numa codificação que consistia em utilizar apenas frequências sonoras captadas pelo ouvido humano, criando o Digital Audio Broadcasting, ou a Transmissão Digital de Áudio.

Toda essa pesquisa resultou num algoritmo que realizava a compressão do áudio sem haver perda de qualidade: o MPEG Audio Layer-3, mundialmente conhecido como MP3!

De modo geral, esse formato elimina partes inaudíveis da música, mantendo apenas as frequências perceptíveis ao nosso ouvido. Assim, os arquivos ficaram mais leves sem esse excesso, apresentando apenas o que importa.

A compressão do formato mp3

Ainda há a curiosidade sobre esse número “3”: é que ele se refere ao número de camadas de compressão presentes para que a música seja compactada com qualidade.

Vale ressaltar que essa forma de compressão elimina o áudio imperceptível ao ouvido humano, ao contrário de formatos até então conhecidos, como o AIFF ou WAV.

Para exemplificar melhor, no caso de um arquivo WAV com 40 megabytes, ao ser convertido para mp3 ele reduz de tamanho para cerca de apenas 4 megabytes. E o melhor, claro, sem nenhuma perda aparente de qualidade.

Sendo assim, se um CD for ripado para mp3, ele vai poder ser compartilhado facilmente pela internet, armazenado em dispositivos móveis e computadores sem ocupar espaço demais.

Para avaliar sua qualidade, os arquivos mp3 possuem taxas conhecidas como bit rates (ou kbps). Assim, quanto maior o bit rate melhor será o áudio digital. Indicamos ouvir seus arquivos com um mínimo de 192 kbps e máximo de 320 kbps. A partir daí fica impossível detectar melhoras!

A popularização do mp3

O mp3 se tornou muito famoso quando programas como o Winamp, Napster, E-mule e Audiogalaxy começaram a permitir que usuários da internet trocassem áudio em mp3 via redes P2P (peer-to-peer ou ponto-a-ponto).

Claro que tudo isso ajudou o formato de áudio a ganha ainda mais força. E, com a tecnologia acompanhando as inovações, chegaram os players digitais para os computadores e, a seguir, mp3 players para dispositivos móveis.

No caso do Napster, o formato gerou uma briga judicial gigante com as gravadoras, estendendo-se até os dias de. Afinal, elas viram o mercado ser ameaçado pela fácil e gratuita distribuição de músicas sem controle algum.

O maior caso de todos ocorreu em 2001, quando ele não resistiu a várias ações judiciais que envolviam gravadoras e grupos como o Metallica. Eles acusavam o Napster de violar direitos autorais, o que o fez desligar seus servidores.

Importante para você: lembre-se de que a troca de mp3 é protegida por lei até os dias, sendo considerada uma violação de direitos autorais e sujeita a punições por parte da lei.

Se você quiser curtir suas músicas digitais de forma legal, é possível e fácil. Com variações de formato, elas são vendidas, em alta qualidade, por diversas lojas online especializadas.

Programas para reproduzir mp3

Opa! Pintou alguma dúvida sobre como ouvir suas músicas? Fique tranquilo, pois hoje praticamente todos os players suportam esse formato!

Sim, existe uma infinidade de programas e aplicativos para você reproduzir, montar álbuns e até gravar músicas em mp3!

Entre os mais famosos, estão o iTunes, da Apple, e o Windows Media Player, da Microsoft. Mas vale (e muito) conhecer mais opções disponíveis nesse vasto mercado. Separamos duas excelentes opções para você ver (e ouvir)!

AIMP

Este é um mp3 player grátis e muito interessante visualmente, pois apresenta a interface bem intuitiva e acessível.

A vantagem dele é apresentar um algoritmo que gera um som mais cristalino, o certificando como um dos melhores aplicativos da atualidade. Se você sempre gostou do Winamp, o AIMP certamente é a sua melhor escolha!

Winamp

Lançado originalmente em 1997, esse player chegou a ficar fora do mercado. Mas, em outubro de 2018, após o longo tempo de espera de seus fãs, ele voltou com uma nova versão ainda mais completa.

Além de suportar mp3, o Winamp ainda reproduz ogg, mp4 e até flac! Fácil de usar, você pode criar playlists, regular a equalização e ainda reproduzir vídeos nos formatos avi, mkv e mpeg.

Famoso também pela opção de troca de skins, você pode alterar a aparência como quiser e ainda usar o recurso Tag ID3 para ter todas as informações sobre o arquivo, inclusive a arte do álbum.

Outro significados: