Uncategorized

O que é a quaresma? O que significa o período?

Quaresma

De todas as festividades e solenidades cristãs, o mistério pascal é o que ganha maior destaque. É nele que existe a quaresma, período de 40 dias que antecede o renascimento de Cristo. Mas por que essa quantidade de dias? Existe algum ritual a ser feito? Entenda tudo sobre esse período tão importante para a fé cristã.

Este período chamado de quaresma foi instituído pela Igreja Católica e marca o seu início na quarta feira de cinzas e se encerra no domingo de Páscoa. Para todos os católicos esse período é de profunda reflexão e introspecção.

Com tanta intolerância religiosa é fundamental conhecermos a história de cada religião antes de julgarmos se aquela é boa ou ruim para nós. Querendo ou não, Jesus Cristo foi uma das figuras mais importantes para o planeta Terra quando o assunto é paz e amor ao próximo e mesmo assim foi condenado com requintes de crueldade.

Mesmo que você não acredite em tal feito, o respeito é fundamental para a perfeita harmonia entre as pessoas.

O que significa a quaresma e qual o seu período?

A quaresma é um período que possui quarenta dias, onde o seu início se dá na quarta feira de cinzas e o seu término exatamente no domingo de Páscoa. Para todos os católicos esse período é muito importante, pois representa o renascimento de Jesus Cristo.

Muitos católicos nesse período fazem inclusive alguns sacrifícios bem significativos como jejuns por exemplo. As atividades em todas as igrejas nesse período costumam ser bastante intensa, as missas inclusive costumam ser bem lotadas.

Os santos das igrejas são cobertos com um pano de cor roxa que representa a tristeza profunda. Alguns fiéis recebem uma marca de cinzas na testa, esse símbolo significa o período em que os fiéis jogavam cinzas na cabeça em forma de arrependimento.

Segundo a Igreja Católica esse período da quaresma que antecede a ressurreição de Cristo é muito importante para todos os fiéis, pois de certa forma ele se vê renascendo junto do seu protetor.

Algumas igrejas inclusive recomendam que seus fiéis façam alguns sacrifícios pessoais, principalmente na sexta-feira santa, como não comer carne, beber bebidas alcoólicas, por exemplo. Esse tipo de atitude seria uma forma de respeito a Jesus Cristo, pois enquanto estava sendo crucificado, banquetes eram servidos pelos seus algozes.

Atualmente, as lideranças da igreja ressaltam que muito mais importante do que ficar sem comer carne, é fazer com que os fiéis despertem para a realização de boas ações. É um período de despertar para a caridade e a oração por exemplo. De despertar para Deus, refletindo principalmente em suas ações no tempo presente.

Quaresma

Mas por que 40 dias?

Esse número de quarenta dias é uma forma simbólica contida na bíblia, onde diversos fatos históricos aconteceram nesse período de tempo. Para se ter uma ideia, quarenta dias foi o tempo que aconteceu o dilúvio, onde Moisés ficou no Monte Sinai, em quarenta dias Jesus foi tentado pelo diabo.

O período de quarenta dias foi determinado também com base na pregação feita pelas igrejas na época primitiva, onde os pagãos recebiam a preparação para poderem ser batizados no dia do sábado santo, data essa comemorada na vigília pascal.

Esse período era também de acompanhamento de todas as pessoas que porventura haviam cometido algum crime grave e se regeneravam, retornando para a fé. Essas pessoas eram batizadas ou reintegradas para a comunidade.

É importante ressaltar que esse período de quarenta dias é também muito simbólico, não sendo necessariamente um período cronológico certinho.

O que é a semana santa?

A semana santa é um período presente dentro da quaresma que marca principalmente a Paixão de Cristo, ou seja, sua morte e em seguida sua ressurreição. Foi em 1682 que essa semana foi comemorada pela primeira vez, mais precisamente no Concílio de Niceia, onde foi oficializada a Igreja Católica como religião no antigo Império Romano.

Neste Concílio de Niceia ficou determinado que a comemoração dessa semana santa fosse feita durante 8 dias com início no domingo chamado de ramos.

Acompanhe a seguir um breve resumo sobre essa semana santa presente dentro da quaresma.

Primeiro dia – Domingo de Ramos

Domingo de Ramos é o primeiro dia de festividades dessa semana santa. Ele marca a entrada de Jesus Cristo em Jerusalém. Neste dia, ele foi recebido como um rei com muita festa por todos da cidade, que o condenarão posteriormente.

O nome ramos foi dado porque as pessoas receberam Jesus com diversos galhos de árvores, folhas de palmeiras, ramagens, etc.

Sua entrada em Jerusalém foi marcada por muita festa, mas também por muita inveja por parte das autoridades que tiveram medo de perderem seus poderem diante do povo. A partir desse dia, começou uma verdadeira tramoia para persegui-lo e condená-lo.

Segundo dia – Jesus recebe a unção de Maria

Este dia marca a peregrinação que Jesus fez até o seu calvário. A Igreja Católica possui uma devoção especial ao Nosso Senhor dos Passos em homenagem a Cristo nesses dias tão penosos.

É comum vermos em alguns países, principalmente em Portugal, algumas ruas decoradas exatamente iguais as ruas que Jesus peregrinou.

Terceiro dia – Maldição da figueira

Esse dia é um dos dias mais tristes da trajetória de Jesus Cristo, pois marca o dia em que ele revela a sua morte e quem o traiu.

Jesus amaldiçoou uma figueira, que imediatamente secou após suas palavras. Nesta passagem, ele deixa bem claro o tamanho do seu poder e se quisesse acabar com seus inimigos, isso seria muito fácil, mas não, ele escolheu ser crucificado para purificar os seres humanos.

Quaresma

Quarto dia – Dia do ofício das trevas

Esse é um dos dias mais tristes da semana santa, ele significa a proximidade da morte de Jesus Cristo. Em algumas cerimônias até hoje, recitam-se salmos com temas penitenciais para simbolizar a escuridão e o luto que a Terra ficou depois da morte de Cristo.

Quinto dia – O dia em que a última ceia foi feita

Neste dia é comemorado o dia da Última Ceia, onde até hoje acontece a Missa dos Santos Óleos. Essa missa é destinada a benção do óleo dos Catecúmenos ou óleo dos enfermos.

Neste dia também ocorre a missa de lava pés, onde sua principal intenção é a de relembrar o gesto humilde que Jesus teve ao lavar os pés dos discípulos.

Sexto dia – O dia em ele foi crucificado

Este dia é o mais triste, chamado também de sexta feira santa ou sexta feira da paixão, é o dia em que Jesus Cristo é crucificado. Neste dia, especificamente, não tem realização de missas e nem entrega de hóstias. A noite geralmente, ocorre uma procissão.

Sétimo dia – Vigília de sábado

Este dia é considerado o dia que antecede a ressurreição de Jesus Cristo, existe muita vigília nas igrejas, orações e bênçãos do fogo novo.

Também ocorre a proclamação oficial da Páscoa e a renovação das promessas de batismo. É com esse fogo novo que o Círio Pascal é aceso, representando a vida nova de Jesus Cristo.

Oitavo dia – Ressurreição de Jesus Cristo

Este dia é o mais importante, pois é onde se comemora a ressurreição, o renascimento de Jesus Cristo. É uma das comemorações mais importantes do Cristianismo.

Ele é considerado o último dia da semana santa e chamado também de domingo de Páscoa. Até hoje, famílias se reúnem para comemorar o renascimento de Cristo.