Língua Portuguesa

O que é altruísmo? Por que devemos nos preocupar com isso?

Desde que se tem registros, existem histórias de que os seres humanos tomam ações que beneficiam os outros. Para isso damos o nome de altruísmo. Mas você sabe como a ideia surgiu e como ela se aplica de maneira filosófica?

Pode ser mais complexo do parece, no entanto, pode se tranquilizar, pois você vai entender tudo logo abaixo.

Significado da palavra altruísmo

Em termos gerais, altruísmo é quando a ação de um ser beneficia outro. Podemos definir como o oposto de egoísmo e sinônimo de solidariedade. É uma atitude presente nas ações humanas por muito tempo, assim como em muitas espécies de animais. Por exemplo, é muito comum que uma mãe proteja seus filhotes e isso pode ser considerado um ato altruísta, mesmo que ela seja levada por alguns impulsos naturais.

Veja também – Currutela

O ato de ajudar alguém em perigo é um exemplo claro de altruísmo. É praticado por diversas espécies, como os morcegos que podem regurgitar sangue para seus companheiros que não conseguiram alimento. Golfinhos auxiliam companheiros feridos e os alimentam.

A palavra altruísmo pode ter diferentes significados dependendo do ponto de vista, mas sempre se refere ao benefício de um ser pela ação de outro.

Altruísmo na biologia

Na biologia, altruísmo se refere ao sacrifício de si em função dos outros, como algumas espécies de aranha que se dão de alimento para os filhotes. Em essência, a palavra não tem relação com sacrifício, somente na biologia, já que os animais costumam se ajudar de maneira que acabam se prejudicando.

Altruísmo na filosofia

Aqui a conotação pode ser distinguida. Auguste Comte criou o termo altruísmo para explicar aquele que se dedica ao outro. Mais do que só tratar o termo, ele estabeleceu todo um embasamento em cima da palavra, por meio do positivismo. Podemos ver ações parecidas com Ludwig Feuerbach.

Não se difere do significado etimológico, pois foi o próprio Auguste que criou essa palavra, mas hoje utilizamos de maneira um pouco diferente.

Altruísmo em religiões

É evidente que inúmeras religiões vão tratar do altruísmo mesmo que de maneira indireta. Ela está presente no budismo, sugerida como um dos caminhos da iluminação, caso não deixe seu ego falar mais alto. Está presente no cristianismo, como uma das sugestões de Jesus. Está presente no hinduísmo, citada nos Vedas e faladas por Krishna.

Religiões como o espiritismo tem o altruísmo como sua base, já que é a caridade a premissa maior. As religiões de matriz afro-brasileira também, como a umbanda, que também possuem o princípio da caridade.

No islamismo existe um período chamado Ramadã onde eles entram em jejum. Nessa época é comum que alimentem os pobres na rua. Mutirões com grandes refeições durante dias acontecem em cidades predominantemente islâmicas.

Algumas contradições sobre a palavra

Etimologicamente a palavra tem a ver com fazer o bem para os outros e não necessariamente se sacrificar. Principalmente no caso dos humanos. Embora a biologia aplique a palavra quando um organismo se prejudica para auxiliar outro, entre os humanos não é necessariamente assim.

O ato de despender qualquer esforço ou recurso, por mínimo que seja, para auxiliar o outro já pode ser enquadrado como altruísmo.

Os filantropos, por exemplo, homens de grande quantidade de dinheiro que ajudam ONGs e a sociedade em geral, são definidamente altruístas. Inclusive um dos sinônimos de altruísmo é filantropia.

É interessante definir que o altruísta não é aquele que se sacrifica e que sempre coloca os outros em primeiro lugar, mas sim aquele que faz o bem para os outros (não necessariamente se prejudicando). Embora seja possível encontrar interpretações da palavra próximas da conotação de sacrifício.

Altruísmo

Altruísmo e empatia são sinônimos?

Empatia tem a ver com se colocar no lugar da outra pessoa e entendê-la e não necessariamente sobre tomar qualquer tipo de ação. O altruísmo tem a ver com agir em prol do outro, ou dos outros. É claro que esses dois andam junto a maioria das vezes, mas são distintos.

Uma pessoa que consegue entender o lado do outro, se colocar em outro ponto de vista e compreender é considerada empática. Isso não significa que ela vá tomar uma ação altruísta, mas simplesmente que ela entendeu o outro lado.

Suponha que uma pessoa viu a outra em perigo e sem pensar em nada simplesmente foi ajudá-la. Isso foi altruísmo, mas não foi empatia. Ela não se colocou no lugar de ninguém, ela nem pensou, somente ajudou.

É possível ser empático sem ser altruísta, mas também é possível ser altruísta sem ser empático. Embora sejam duas qualidades admiráveis e que sempre costumam andar juntas, não são sinônimo e não precisam necessariamente estar no mesmo contexto.

Egoísmo seria exatamente o oposto?

Assim como existem múltiplas conotações para o altruísmo, também existem para o egoísmo. Etimologicamente é aquele só pensa em si mesmo, mas existem aqueles que interpretem como aquele que só se coloca em primeiro lugar.

Se colocar em primeiro lugar não é ser egoísta, mas só pensar em si e não medir suas atitudes em relação aos outros, é sem sombra de dúvidas o oposto de altruísmo, portanto egoísmo.

Qual a importância do altruísmo?

O altruísmo se faz cada vez mais presente na sociedade em conjunto com a empatia. Independentemente das diferenças, existem pessoas que conseguem se movimentar em prol dos outros, sejam familiares, amigos, pessoas de mesma etnia, etc.

Existem diversos movimentos de minorias se movimentando de maneira altruísta. Independentemente da opinião política sobre esses movimentos, é inegável a crescente presença política deles no cenário nacional e como eles se fortalecem.

Cada vez mais ONGs surgem cuidando de animais e de pessoas necessitadas, enquanto voluntários também tomam seu lugar e fazem sua parte. O número de milionários no mundo também está crescendo e com ele, o número de filantropos.

Mas o altruísmo não precisa ser algo gritante e chamativo. Uma pessoa que segura o elevador para outra chegar, ou uma pessoa que dá uma informação correta para alguém perdido, já é um altruísmo que se faz presente no nosso cotidiano mais do que imaginamos. Ele é importante pois fortalece o ser humano e nos dignifica.

About the author

yasmin