Religião

Budismo: o que é, origem, história e características

O que é?

budismo é uma religião e corrente filosófica proveniente do Oriente, fundada por Sidarta Gautama, mais conhecido como Buda.

Todos os ensinamentos, crenças e costumes de seus seguidores são guiados por Buda, que, por sua vez, crê que o caminho da iluminação está na libertação da consciência, algo que pode ser alcançado através de crenças e práticas espirituais, dentre elas, o yoga e a meditação.

Atualmente, o budismo é uma das maiores religiões do mundo, com milhares de adeptos no mundo todo, isto é, muito além do Oriente. Dentre as suas características, podemos citar que esta religião, em sua forma tradicional, não é considerada teísta, ou seja, não possui um deus.

Isso porque Buda não acreditava que uma divindade devesse ser adorava, mas sim, ser adotada com uma espécie de guia espiritual, no qual os seus fiéis seguem as suas práticas e crenças.

No entanto, esta prática religiosa ainda é influenciada por correntes teístas e panteístas (inerente ao panteísmo, que nada mais é que uma doutrina filosófica que defende a aproximação e identificação total entre Deus e o universo, sejam estes concebidos como uma única realidade integrada ou como realidades conexas).

Veja também:

Gratidão: definição, origem e significado

Origem e história do budismo

A religião budista foi fundada por Sidarta Gautama, o Buda, em meados do século VI a.C.. Quando ainda jovem, Sidarta fazia parte da realeza de sua região (local onde foi fundado o budismo e que, atualmente, compreende ao território do Nepal) e decidiu abrir mão de toda a riqueza e vida mundana para viver com outros monges, em busca da chamada Iluminação.

Após encontrar o caminho, Sidarta passou a chamar-se Buda e passou a proferir a sua palavra a outros monges, que tornaram-se os seus seguidores. Entre os ensinamentos mais primórdios de Buda estão o das “quatro verdades sagradas” ou “quatro verdades nobres”, que possuem o objetivo exclusivo de libertar o ser humano da dor. Veja quais são elas:

  1. A verdade é que o viver é sofrer. (Dukha)
  2. O sofrimento tem a sua origem nos desejos do ser humano. (Tanha)
  3. É possível eliminar o sofrimento se forem eliminados os apegos e desejos;
  4. Para eliminar o sofrimento é preciso seguir o Nobre Caminho Óctuplo (ou Oito Vias Nobres).

O budismo no Brasil

O budismo chegou ao Brasil no início do século XX, mais especificamente, em 18 de junho de 1908, junto o primeiro monge budista do país, chamadoTomojiro Ibaragui, popularmente conhecido como Ibaragui Nissui.

E, por conta do crescente número de imigrantes orientais, a filosofia é bastante difundida em todo o país até os dias de hoje. Para fins de curiosidade, os principais templos budistas do Brasil estão localizados em Cotia (SP) – no caso, o Templo Zu Lai – e Três Coroas (RS).

Crenças

O budismo carrega em si a crença de que consciência física e espiritual leva à iluminação e elevação, o que é simbolizado pelo que chamam de nirvana.

Este se trata do nível mais alto de consciência, onde o ser humano pode encontrar a o estado de paz completo e, portanto, manter-se livre da dor do mundo físico.

Além disso, para os budistas, todos os seres, sejam estes humanos, plantas ou animais, passam por encarnações e reencarnações.

Portanto, o homem deve ser bom em sua vida com todos os tipos de seres, já que pode reencontrá-los em outra vida ou, mais que isso, voltar experienciando aquela forma (animal ou planta). O ciclo de reencarnação dentro do budismo é chamado de Samsara.

Dentro do budismo, também há crença nas Três Joias, também chamadas de Três Refúgios, Três Tesouros ou Gema Tripla, que nada mais são que a base das práticas e tradições budistas. Fazem parte delas o Buda (O Iluminado), o Sangha (grupo formado pelos discípulos do budismo) e o Dharma (lei suprema ou doutrina pregada por Buda).

As Três Joias são consideradas aquilo que fornece a força necessária para aceitar tudo o que pode ser mudado, que encontra energia somente naquilo em que é possível agir e ser ajustado e, principalmente, a discernimento e consciência de uma coisa para outra.

Veja também:

Mandala: representação geométrica da relação entre o homem e o cosmo

Tipos de budismo

A religião budista é dividida em dois grandes ramos: a tradicional Theravada, escola de budismo mais antiga; e a Mahayana, a qual pertencem o budismo zen, o tibetano, entre outras linhas da doutrina.

Budismo Tibetano

O budismo tibetano, também popularmente conhecido como lamaísmo, é fortemente praticado aqui no Brasil. O seu líder é o Tenzin Gyatso, o Dalai Lama, que é a figura mais representativa do movimento.

Budismo Kadampa

Trata-se de uma escola budista criada pelo mestre indiano Atisha e é uma das muitas vertentes do budismo atualmente.

Budismo Nitiren

Baseia-se nos ensinamentos do monge japonês Nitiren, que viveu no século XVIII.

Budismo Engajado

Trata-se de uma expressão criada para se referir ao papel dos budistas em favor de uma sociedade sem sofrimento e dor para todos os seres. O termo foi inventado pelo mestre Zen Thich Nhât Hah.

Entre os objetivos e políticas do budismo engajado estão a ação social, feita para inserir os princípios da doutrina, além de ensinamentos como buscar sempre estar livre da dor, não fazer mal a nenhum ser e promover a igualdade e paz.

Outros tipos de budismo são:

  • Budismo zen;
  • Budismo japonês.

Veja também:

Significado de flor de lótus: entenda a simbologia da famosa “flor sagrada”

Símbolos

  • Flor de lótus: Significa pureza espiritual e é ligada ao aparecimento de Buda. Reza a lenda que flores de lótus foram desabrochadas atrás dos primeiros passos do pequeno Buda.
  • Buda gordo: Principalmente aqui no Brasil, o Buda gordo é um símbolo bastante comum do budismo. Ele fica sentado em cima de moedas, com o intuito de representar a prosperidade. No entanto, a imagem em questão não tem semelhança com Sidarta, já que este não era gordo. Acredita-se que a origem desse tipo de imagem tenha saído dos monges seguidores de Buda, que acabaram por associar a sua figura à abundância.

Budismo e hinduísmo: qual é a diferença?

O budismo e o hinduísmo têm em comum o fato de se tratarem de duas correntes religiosas e filosóficas originárias da Índia. Entre as suas semelhanças estão a crença em conceitos como samsara, karma e dharma.

No entanto, elas são bastante diferentes no que diz respeito às práticas religiosas. Isso porque, no caso do hindu, há a busca da consciência em Deus e, automaticamente, a adoração às divindades como um meio de salvação. Enquanto isso, no budismo, a única busca é pela iluminação espiritual.

Ainda, entre as práticas e costumes do hinduísmo estão a divisão da sociedade hindu entre as castas, o que diverge do conceito de igualdade entre os seres, que é defendido fortemente pelo budismo.

Além disso, o hinduísmo é uma doutrina religiosa muito mais antiga que o budismo, sendo datada de mais de quatro mil anos.

Gostou de saber tudo sobre o budismo? Então, compartilhe esse post!

Até a próxima!